Arquivo do mês: fevereiro 2017

Assim é facinho, facinho

16939281_1261038887305736_1042918039653811136_nVolta ao mundo sonhada sob a sombra de uma varanda.

Olha o eclipse aí, gente!

eclipse

Na animação produzida pela Nasa, agência espacial dos EUA, indica as regiões que será possível observar o eclipse do Sol que acontecerá dia 26/02. Segundo a Agência, quando a Lua encobrir o Sol, poderemos ver um anel de fogo em volta do astro rei  e sentir quedas significativas na temperatura e na luminosidade. Bem, como será domingo de Carnaval, já tem gente por aí fazendo piada com a história do anel de fogo. Eita povo criativo!

Dos deuses da culinária

2 Fevereiro (188)

Escaldaréu na linguagem simples e direta do pescador é um pirão do caldo de peixe preparado sobre o piso da jangada e muitas vezes feito com a própria água do mar. Mas não se assuste e nem faça careta, porque nesses tempos modernosos, em que os barcos estão mais equipados, o pirão é feito mesmo na panela, porém, para tudo na vida existe  saudosismo. No último dia 22/02 acordei com desejo de comer um escaldaréu e saí pesquisando com aos amigos pescadores da praia de Enxu Queimado/RN sobre a melhor receita do prato e entre várias indicações vi que, como toda receita, não existe aquela que podemos chamar de original, pois depende dos ingredientes que tiver a bordo e todas me pareceram deliciosas. Lá para as tantas cheguei na casa de Paulino Correia e Lindamar e falei do meu desejo e eles se prontificaram a preparar o prato, mas eu disse que queria que tudo fosse preparado sob as barracas que ficam na beira mar. – E qual o problema? –Vamos preparar lá! Combinamos para o começo da noite e na hora marcada estávamos a postos, com uma garrafa da cachaça alagoana Caraçuipe embaixo do braço. Convidamos alguns amigos, entre eles Seu Neném Correia, Seu Nilo, Dona Tita, Lucinha de Pedrinho, Loura, Dedinha e alguns meninos que estavam zanzando por ali. Lindamar acendeu o fogareiro a carvão, botamos o panelão com peixe no fogo e fomos bater papo até que o cheiro denunciou que a prato estava pronto e fomos tirar a prova dos nove se o bicho estava mesmo bom como merecia. Rapaz, o bicho tava bom não, tava a molesta de saboroso e teve gente que raspou o tacho. De bucho cheio e a cabeça com algumas doses de cachaça a mais, voltamos para casa satisfeitos da vida e com a certeza que o danado do escaldaréu é de se comer lambendo os beiços. Agora vamos a receita: Peixe cortado em postas, incluindo a cabeça e o rabo; cebola, tomate, pimentão, cebolinha, coentro, um pouquinho de colorau, um pouco de óleo e sal a gosto. Ponha tudo na panela e leve a fogo até ferver. Coloque farinha de mandioca em outra panela e vá despejando o caldo quente do peixe em cima, mexendo, até ficar homogêneo. Pronto: Chame os amigos, abra uma cerveja bem gelada, ou uma garrafa de cachaça da boa, mande seu nutricionista procurar coquinho em ovo e coma sem culpa.    

Ocaso

2 Fevereiro (135)

A poesia é livre

Chuva ou seca, eis a questão

mapservA Emparn, Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte, divulgou o relatório do encontro de meteorologistas dos estados nordestinos, acorrido em Natal/RN, onde eles apostam em mais um período normal de chuvas para a região Nordeste em 2017. O que será normal para os homens do clima? Será chuvas abaixo da média ou será aquela chuva de escorrer água das bicas das casas para alegria da criançada? O bocado que choveu nos últimos dias em algumas regiões do Rio Grande do Norte encheu barreiros, fez açude, que há muito não via água, sangrar e já tem roçado de feijão bonito que só vendo. O estudiosos dizem que as chuvas ficarão concentradas sobre a região Oeste, nas outras regiões apenas chuvas escassas. Da última vez que vi um relatório falando de chuvas normais, o  que vimos foi o agravamento da seca que já dura cinco longos anos. Tomara que dessa vez o normal não seja tão normal assim.   

Ops!!!!

16864506_1591315587560365_2172745110744765916_n

Será que bateu saudade de navegar em monocasco?

Cadê o gelo que estava aqui?

alemanha-encalhara-navio-no-gelo-por-um-ano-em-maior-expedicao-cientifica-ao-polo-norte-1487595338511_615x300Cientistas alemães querem saber em que pé está o comprometimento da camada de gelo que cobre o Polo Norte e para isso aprontam um navio para passar um ano encalhado no Ártico. O navio Polarstern, com 12o metros de comprimento, servirá de base para o projeto que deve acontecer a partir de meados de 2019 e a pretensão da equipe é tentar descobrir até quando a camada de gelo que cobre o Ártico – que no mês de janeiro os satélites registraram como sendo a de menor extensão desde que começaram as observações – sobreviverá. O projeto deverá custar a bagatela de 63 milhões de euros e será financiado por contribuições de parceiros internacionais. Fonte: site uol