Arquivo da categoria: assuntos e assuntos

Hyperion, a galáxia do tempo do ronca

103896523-hyper

O universo com suas distâncias-luz é um poço sem fim a resguardar segredos inalcançáveis pelos terráqueos. Por mais que consigamos avançar no manto negro, por mais que nossos telescópios ultrapassem o alcance das lentes, por mais que nossas naves cheguem aos cafundós do espaço, jamais conseguiremos saber um tiquinho sequer do que existe de fato lá em cima, pois estamos sempre atrasados e muito do que enxergamos já não existe mais. É difícil compreender a lógica do firmamento e suas estrelas de brilho maravilhoso, porque tudo parte de um princípio e esse princípio é inalcançável. Daqui de baixo avistamos o Sol, a Lua, os planetas próximos, sonhamos com extraterrestres, com discos voadores, pusemos os pés na Lua e até fincamos uma bandeira. Avançamos mais, cada vez mais, deixamos o pequenino Plutão para trás e mergulhamos no vazio da incógnita. Existe o que lá fora a não ser o eco do silêncio? Agora nossas lentes focaram as barbas do titã Hyperion, filho de Urano, que na mitologia grega era a divindade que personificava o Céu, e Gaia, a Mãe-Terra. – Titã? – Hyperion? – Que papo de maluco é esse, rapaz? – Peraí que conto! É que um grupo de astrônomos de várias partes do mundo localizaram um superaglomerado ancestral de galáxias, com massa de “zilhões” de vezes maior do que a do Sol e batizarão de Hyperion, devido a grandeza colossal e pelos cálculos que nós,  pobres mortais, só entendemos se dormirmos três dias e três noites amarrados, de cabeça para baixo, pelo dedão do pé, a galáxia anciã é do tempo que nem sei lá danou-se, pois a bicha se formou, segundo os homens das ciências, nos primeiros 5 bilhões de anos do universo. Vale puxar pelos ensinamentos de colégio para lembrar que o Big Bang, que deu o ponta pé nessa maluquice toda, se deu a mais de 13 bilhões de anos. – Vai fazer a conta? – Pois pegue a caneta e o papel e comece anotando que quando apontamos um telescópio para os confins do espaço o que observamos já não existe faz tempo. – Entendeu não? – Nem eu, mas vamos lá! Como a luz viaja a uma velocidade de 300 mil quilômetros por segundo, ao olhar para o céu, o que se vê é apenas a luz emitida pelos astros, que muitas vezes já não existe. – Coisa de maluco! – Também acho, mas é assim! – Quer saber mais? O calor do Sol, que está bem ali, só queima a nossa pele 8 minutos depois que esfriou. Rapaz, sabe de uma coisa: Vou é parar por aqui pois já não sei se estou indo ou se estou voltando. Tchau, vou dormir que meu mal é sono! Zé Dias, me ajude aí, homem das estrelas!

Anúncios

Dilúvio de cerveja

The_manor_house_of_Toten_Hall_-_1813Essa história está no Wikipédia, mas quem enviou foi o amigo Eugênio Vilar, caboco que conheci sob a varandinha de minha cabaninha de praia e não saiu mais do coração. – Eugênio pai, vou contar esse moído, mas antes quero agradecer pela garrafa de cachaça Doministro, que tomei faz tempo, viu! Pense numa cachaça boa! Tem gente que joga na loteria toda semana na esperança de tirar uma fortuna para realizar o desejo de encher uma piscina de cerveja gelada para dar um mergulho. – Não resmungue não, pois cada qual com seu sonho! Mas em Londres, em 17 de outubro de 1814, aconteceu um dilúvio de cerveja e o resultado não foi o que espera os desejosos apostadores brasileiros. Tudo aconteceu quando um tonel com 610 mil litros de cerveja da cervejaria The Meux e Brewery Company rompeu e num efeito cascata fez romper outros toneis, espalhando pelas ruas uma avalanche de mais 1,5 milhões de litros da “loura quente”. A onda derrubou muros, destruiu casas e causou a morte de 18 pessoas. O reboliço foi grande e a ressaca da empresa foi ainda maior, pois ela foi levada as barras dos tribunais e entre uma roda e outra, o júri considerou que a tragédia foi um “ato de Deus” e que por isso ninguém foi responsabilizado. – Como é? – Isso mesmo! Como ressaca é ressaca, a empresa por causa do acidente quebrou, quebrando e ainda foi condenada a pagar os impostos da cerveja derramada e aí foi briga feia, com direito a discurso no Parlamento, apostas nos bares, jogo de porrinha, mas no final, alguém pediu um chá de boldo, outro pediu chá de camomila e a turma do deixa disso aprovou que os impostos fossem devolvidos e assim, a cervejaria juntou o apurado e voltou a funcionar para alegria dos papudinhos e tristeza dos que perderam entes queridos e casas. A foto que abre a postagem não é da cervejaria, mas da freguesia de St. Giles, onde tudo aconteceu. E quem quiser que conte outra!

Mulher de fibra

exercitoEita, faz uns dias que não batuco os dedos nas teclas para atualizar este Diário, mas juro que o motivo é a mais pura preguiça, porque assunto é o que não falta nesse mundão de meu Deus. Mas se avexe não que prometo espantar o banzo, azeitar os dedos e botar os miolos para trabalhar. – Sim, e o que danado faz a foto dessa mulher, com cara de arretada, aí em cima? – E apois, num foi ela que me fez sair do berço esplendido! – Vou contar! Dia desse numa tirada de prosa com Dona Tita – amiga que tenho muito carinho e afeto, em Enxu Queimado –, confabulamos sobre o papel da mulher no mundo e afirmei que a mulher tem papel preponderante no mundo atual e ai daquele marmanjo metido a arrochado que duvidar que essa preponderância arrefecerá no futuro. Como bem disse o bordão: “Lugar de mulher é onde ela quiser” . Pois bem, o mulherão da foto é a tenente-general Laura Richardson, que assumiu provisoriamente nesta quarta-feira, 17/10, o comando das Forças Armadas dos Estados Unidos e manterá sob suas ordens 776 mil militares e 96 mil civis. Pense numa mulher de sangue no olho!  

Previsão do tempo

br1Ao escutar  o vento assobiar por entre as frestas das portas e janelas, na manhã desta segunda-feira, 08/10, fui conferir o que diziam os “meninos” do CPTEC/INPE, que são antenados que só vendo, e eles dizem assim: “o dia será com muitas nuvens e pancadas de chuva, que localmente serão de forte intensidade, em parte do centro-norte do RS, em SC, no PR, em SP, sul, centro, sudeste e oeste de MG, na Região Centro-Oeste, RO, AC, grande parte do AM e do PA, em TO, e no MA.” Nas paragens do Nordeste, o sol inclemente e os alísios que acariciam as belas praias estão trabalhando a todo pano.

Swell em Noronha entra para a história da Refeno

ondas-porto-outrubro-2Como previu a rapaziada do CPTEC/INPE e divulguei na postagem De olho no vento e no mar para a Refeno 2018, o bicho pegou na ancoragem do Porto de Santo Antônio, na ilha maravilha de Fernando de Noronha, com um swell temporão que mexeu com tudo e com todos. As ondas, para alegria dos surfistas e tristeza das empresas que trabalham com turismo,  chegaram a mais de 3 metros de altura. Segundo o CPTEC, a partir de amanha, 02/10, o paraíso volta a ser completo. – E o que é swell? – São ondas ininterruptas que se formam em alto mar, devido a tempestades ou outras perturbações meteorológicas, e se propagam por longas distâncias.

A dor de um povo

navioO terremoto de 7,5 graus e tsunami com ondas de mais de dois metros de altura, que devastou a ilha Sulawesi, na Indonésia, dia 28/09, deixando um rastro macabro de mais de 800 mortos, até o último boletim oficial, abalou o mundo, mas sinceramente, não vi um traço de tristeza no rosto e nem algumas palavras de condolências do governo brasileiro e nem dos pretensos candidatos a assumir o cargo. – E o que isso tem haver? – Nada não, foi apenas um comentário besta, porém, diante de tantas cobranças estrangeiras contra as decisões das nossas instituições, como se aqui não existisse soberania, fica o registro. As autoridades ainda não sabem a extensão da tragédia, porque é uma região com várias áreas isoladas e não foi apenas um terremoto e sim uma série. A indonésia está localizada na região conhecida como Círculo de Fogo do Pacífico, uma das áreas do mundo mais sujeitas a tremores e atividades vulcânicas. Seguimos as palavras do Papa Francisco: “Oremos pelos mortos – infelizmente muitos – pelos feridos e por aqueles que perderam suas casas e empregos. Que o Senhor os fortaleça e apoie os esforços daqueles que estão tentando trazer alívio”

O buraco e a fonte – II

cratera-1Em junho, na postagem O Buraco e a Fonte,  falei sobre uma cratera que apareceu no centro da Ilha Matarandiba, município de Vera Cruz/Ilha de Itaparica, que está intrigado ambientalistas e técnicos da Dow Química, empresa que explora a área. Hoje, cascaviando notícias, fiquei sabendo que o buraco continua aumentando e pela última medição já tem 34,4 metros de largura, 83,5 metros de comprimento, porém, diminuiu a profundidade para 41,2 metros. É na ilha de Matarandiba que está localizado um dos mais deliciosos e belos pontos de ancoragem da Baía de Todos os Santos, a Fonte do Tororó. Será que a natureza aceita negociação para transferir o buraco para outro local? Será?