Arquivo do mês: fevereiro 2013

É da Ilha de Maré

IMG_0187

Essa é das boas! Essa saborosa moqueca baiana nos foi servida no Bar do Mano, na famosa Ilha de Maré e um dos bons redutos náuticos da Baía de Todos os Santos. Ancoramos por lá como quem não quer nada e logo chegou um rapaz numa canoa a motor perguntando se queríamos ir em terra. Na hora ficamos em dúvidas se aproveitaríamos o cockpit do barco ou iriamos aceitar o convite do canoeiro. Lucia, para variar, decidiu que iriamos e fomos.

IMG_0188

O canoeiro nos levou ao Bar do Mano, que era seu pai, e depois de lavar a goela com uma cerveja estupidamente gelada, pedimos, para experimentar, uma salada de Peguari. Peguari é um molusco que vive dentro desses búzios: Strombus pugilis.JPG que enfeitam muitas casas pelo litoral brasileiro. Essa foto eu fui pescar lá no Wikipédia apenas para ilustrar o post. Tem sabor e consistência que lembra a lula e que na Ilha de Maré é servido como  moqueca e salada, que foi o que escolhemos. E dizem que é um excelente afrodisíaco.

IMG_0186

Como velejador forma um grupo unido e quando se reúne a ordem é comemorar, enquanto fazíamos o nosso pedido chegou a tripulação do veleiro Divã e assim formamos uma grande confraria ao sabor de Peguari, moqueca e muito bate papo acompanhado e servido pela simpatia do dono da casa.

IMG_0189

Lucia, que não deixa barato, ainda foi conhecer na cozinha a mulher do Mano, Dona Raimunda, que mesmo sem querer teve que posar para uma foto.

IMG_0180

Na Ilha de Maré é assim: Barco ancorado em frente ao bar e muita amizade e simpatia para nos agradar.

Cadê a Polícia Marítima?

barcofim

Essa história do Brasil não ter uma polícia marítima tem causado grandes transtornos pelo litoral. Precisamos mudar esse quadro e todos que tem o mar como paixão deve se engajar nessa luta. Mais uma vez o Ceará é palco de assalto a mão armada a uma embarcação. Já é sabido em todo mundo que próximo ao Porto de Mucuripe é um território sem Lei. Por lá existem vários relatos e por isso mesmo que o Hotel Marina Park, apesar de oferecer uma decadente e cara infraestrutura náutica, é o local escolhido por quem pretende ancorar em Fortaleza. Dessa vez foi esse catamarã que rumava para o Caribe e por problemas mecânicos teve que parar em Fortaleza. Nem bem atracou os bandidos fizeram a festa, e teve até ladrão roubando ladrão, pois enquanto um primeiro grupo fazia o assalto, outro grupo chegou arregaçando e mandou ver em todo mundo. Foi bandido se atracando e outros sendo atingindo, para saber quem era mais forte. No final sobrou mesmo para a tripulação, que ficou sem nada e também para a embarcação que foi literalmente depenada. Os bandidos, depois do arranca rabo, saíram de fininho para dividir o roubo em um acordo de cavalheiros. E a polícia, mais uma vez ficou a ver navios! fonte e foto: G1  

A vida, os sonhos e as escolhas

IMG_0146

Não sei se é essa minha aproximação com o mar ou se é o meu eu sonhador que está cada vez mais realizado, mas a verdade é que adoro falar em sonhos. Não é daqueles sonhos que nos faz remexer na cama e muitas vezes insistimos em continuar sonhando e ficamos aborrecidos quando o filme não continua. Gosto de falar do sonho vivo que habita a nossa mente e que nos faz delirar por longos e bons momentos enquanto estamos sós.

Gosto de relembrar aqueles velhos sonhos de criança, em que somos íntimos das muralhas e aposentos de grandes castelos. Gosto de rever aquelas cenas de grandes batalhas ganhas contra poderosos homens do mal. Gosto de saber que tudo aquilo poderia ter sido uma grande verdade, mas que a velha idade de pirralho sonhador, não deixava que víssemos além do que uma simples e inocente brincadeira de criança.

Quantas crianças hoje em dia tem a felicidade de sonhar? Quantas crianças de hoje já se depararam com um sapo e imaginaram que aquele bicho olhudo poderia ser um belo príncipe encantado? Quantas crianças hoje em dia são desautorizadas, por pais irresponsáveis e egoístas, a sonhar com castelos e sereias? Como deve ser chato ser criança nesse destemperado século XXI, sem conhecer a beleza de um Papai Noel. Sem saber da magia existente nas historinhas infantis. Sem poder cantar atirei o pau no gato. Sem nem saber da existência de um demoníaco papafigo. Como deve ser sem graça ser criança hoje em dia!

Continuar lendo

Imagem de uma bela noite

IMG_0090

Dizem que uma imagem vale por mil palavras. A foto não está boa, mas tem sido assim as nossas noites a bordo do Avoante enquanto navegamos por essa Bahia do Senhor do Bonfim. Não é para fazer inveja, mas bem que a intenção seria justa.

Onde fica?

IMG_0047

Essa é fácil, mas mesmo assim, vai ganhar uma dose da melhor cachaça da adega do Avoante o primeiro que adivinhar onde fica esse belo recanto de mar, em que descansam esses velozes Hobie Cats.

Vinho com sabor especial

IMG_0008

É sabido que velejador adora uma cervejinha bem gelada, mas também, não dispensa um bom vinho nos encontros de bate papos, no aconchego da cabine ou no  frescor do cockpit de um veleiro. Na adega do Avoante, os vinhos tem lugar de destaque e nunca falta. Dia desses um amigos nos presenteou com essa garrafa e para ser sincero eu nem atentei para o rótulo. Numa dessas noites de bate papo no cockpit, com o Avoante ancorado na bela enseada em frente ao Aratu Iate Clube, abri a garrafa do tinto português e me vi envolvido na emoção de estar bebendo um vinho cuja garrafa homenageava o grande e inesquecível potiguar Luíz da Câmara Cascudo.

IMG_0001 

A caricatura do nosso maior historiador e folclorista estava lá, estampada e nos fazendo companhia naquela noite sobre o mar da Bahia. Mar que banhou Amado, Caymmi, Castro Alves e tantos outros baianos que fizeram das letras e da arte a razão maior de suas vidas. O vinho era um Quinta do Portal, que você pode até achar que não é dos melhores, mas para mim, que não conheço nada de vinhos, ele teve sabor especial.

Prontinhos para você

veleiro Tempo II (1)

Na página Barcos a Venda tem mais dois veleiros prontinhos para realizar seus sonhos.