Arquivo da tag: refeno

REFENO, celeiro de boas amizades

Imagens 105Imagens 106Imagens 114Imagens 122Imagens 125Imagens 127Imagens 129Imagens 130Imagens 136Imagens 137Imagens 138Imagens 140Imagens 145Imagens 148Imagens 155Imagens 159Imagens 167Imagens 172Imagens 174Imagens 185Imagens 187Imagens 191Imagens 195Imagens 199Imagens 201Imagens 206Imagens 212Imagens 215Imagens 216

A REFENO – Regata Recife/Fernando de Noronha, uma das mais gostosas provas do iatismo brasileiro, um grande encontro dos amantes da vela de oceano, mas antes de tudo, é nas dependências do Cabanga Iate Clube de Pernambuco que boas e sinceras amizades são forjadas e se perpetuam abençoadas por gotas de água salgada. As imagens que ilustram essa postagem, com personagens que fizeram a história da REFENO 2010 – uma prova que os deuses do mar fizeram questão de testar a capacidade dos comandantes em um mar de faroeste – fazem parte de um recheado acervo de memórias que guardo com muito carinho.  Lembranças e saudades de uma vida bem vivida ao sabor dos ventos e sob os ensinamentos do mar.   

Anúncios

REFENO – Registros retirados do tempo

IMG-20181225-WA0039~2IMG-20181225-WA0040~2IMG-20181225-WA0041~2IMG-20181225-WA0042~2IMG-20181225-WA0043~2

A 31ª REFENO – Regata Recife/Fernando de Noronha – vem aí, com largada programada para 12 de outubro, e fico aqui com minhas lembranças e saudades dos bons tempos em que o AVOANTE fez fila na raia do Marco Zero e aproou a Ilha Maravilha. As imagens, se a memória não me falha, foram registros da REFENO 2002 com personagens que navegaram na história da mais fascinante e desejada regata brasileira: Cláudio Almeida, Flávio Alcides, Marcos Tassino, Paulino, Marcos Camelo, Érico Amorim, Pedrinho, Lucinha, Agis Variane, Ceará, Lucia e, para não faltar o registro, Nelson. 

Swell em Noronha entra para a história da Refeno

ondas-porto-outrubro-2Como previu a rapaziada do CPTEC/INPE e divulguei na postagem De olho no vento e no mar para a Refeno 2018, o bicho pegou na ancoragem do Porto de Santo Antônio, na ilha maravilha de Fernando de Noronha, com um swell temporão que mexeu com tudo e com todos. As ondas, para alegria dos surfistas e tristeza das empresas que trabalham com turismo,  chegaram a mais de 3 metros de altura. Segundo o CPTEC, a partir de amanha, 02/10, o paraíso volta a ser completo. – E o que é swell? – São ondas ininterruptas que se formam em alto mar, devido a tempestades ou outras perturbações meteorológicas, e se propagam por longas distâncias.

Patoruzú é o Fita Azul da 30ª Refeno

20180508143607

Com o tempo de 25hs 58min 12seg, o trimarã pernambucano Patoruzú é o Fita Azul, primeiro barco a cruzar a linha de chegada, da 30ª REFENO – Regata Recife/Fernando de Noronha

Acidente e recordações de uma Refeno

fitzgerald1navio2

A batida, ou barruada, entre um navio de guerra dos EUA e um cargueiro filipino, acidente acontecido no último sábado, 17/06, no mar do Japão, é no mínimo curioso. O acidente que resultou na morte de sete militares americanos, afogados nos compartimentos alagados do destróier, é um caso a se pensar e precisaria ser muito bem explicado, coisa que dificilmente será. Como pode uma embarcação que dizem ter poder de fogo para destruir uma cidade, equipada com o que existe de mais moderno em matéria de tralhas de navegação e segurança, bater com uma montanha de ferro carregada de container? Soberba? Ego nas alturas? Ou terá sido mesmo a famosa barbeiragem? Isso me fez lembrar um episódio hilário ocorrido durante uma Refeno, Regata Recife/Fernando de Noronha, em que uma frota americana, que seguia para uma das guerras do golfo, ficou em rumo de colisão com os veleiros da regata. O navio dos EUA, que comandava a frota, emitiu aviso pelo VHF para que os veleiros mantivessem afastados e não cruzassem o rumo. O velejador Guga, comandante do trimarã pernambucano Ave Rara, pegou o rádio e respondeu em cima da bucha: – Vocês que se afastem, pois estamos em nosso país e ponto final. Pronto, a flotilha da regata seguiu em frente e esse diálogo oceânico rendeu, e rende até hoje, boas rodadas de cerveja nas praias e bares da ilha maravilha.

Imagens que trazem saudades

IMG-20170502-WA0001IMG-20170502-WA0002IMG-20170502-WA0003IMG-20170502-WA0004IMG-20170502-WA0005IMG-20170502-WA0006IMG-20170502-WA0010IMG-20170502-WA0007IMG-20170502-WA0009IMG-20170502-WA0012IMG-20170502-WA0014IMG-20170502-WA0017IMG-20170502-WA0018IMG-20170502-WA0020

Estas imagens foram retiradas do tempo pelo velejador, fotografo e geólogo potiguar Joaquim Amorim, que possui um maravilhoso arquivo fotográfico contando um pouco da história das regatas REFENO, Regata Recife/Fernando de Noronha, e FENAT, Regata Fernando de Noronha/Natal, como também momentos que marcaram época no Iate Clube do Natal.

 

Refeno 2017

refeno2O Cabanga Iate Clube de Pernambuco lançou o primeiro aviso para a 29ª Refeno, Regata Recife/Fernando de Noronha, que tem largada marcada para dia 30 de setembro de 2017. As inscrições começam dia 15 de abril ao preço inicial de R$ 650,00 por tripulante. A Refeno é uma das mais famosas regatas do Brasil e tem números que demonstram o seu sucesso: 28 edições; 1785 embarcações (média de 64 embarcações por edição); 10.385 tripulantes (média de seis por embarcações); Média de 370 tripulantes por edição; Participantes de 16 estados brasileiros e 22 países; Em 2004, a Refeno bateu recorde de participantes: foram 146 barcos inscritos na regata. E o grande vencedor foi o Ave Rara, um trimarã de Pernambuco, embarcação espartana e muito veloz, comandada por Vicente Gallo; O atual recorde é do veleiro Adrenalina Pura, da Bahia, que tem como comandante Georg Ehrensperger. Ele conquistou a marca de 14h34min54 em 2007; O recorde dos monocascos é do veleiro gaúcho Camiranga, comandado por Samuel Albrecht, que em 2016 fez a travessia em 19h56min40