Arquivo do mês: janeiro 2019

Passeio de jet no litoral potiguar termina em empurra-empurra

600x400Um passeio dos usuários de motos aquáticas que seria realizado nesta sexta-feira, 11/01, no litoral Sul do Rio Grande do Norte, deu o que falar nas redes sociais, expôs a maluquice das repartições fiscalizadoras que cuidam do bom cumprimento das leis ambientais e tirou os prefeitos, das cidades por onde a flotilha navegaria, do conforto dos alpendres das casas de veraneio. O Idema, órgão ambiental do Estado, navegou pra lá, deu bordo pra cá e sem ter um rumo certeiro passou o comando para o Ibama, que sem saber se acelerava ou parava as motocas voadoras, devolveu o timão para o Idema sem ao menos visualizar o horizonte. Quem botou ordem na derrota foi o prefeito de Tibau do Sul, que numa canetada fechou a barra. O quiprocó teve início quando foi anunciado a navegada que sairia da praia de Barra do Cunhaú, uma das joias do litoral potiguar, com destino ao município de Senador Georgino Avelino, passando por uma extensa área de proteção ambiental na Lagoa de Guaraíras. Segundo os organizadores, o “passeio” tinha como objetivo fazer distribuição de cestas básicas a comunidades carentes, porém, os ambientalista vislumbraram uma possível agressão ao meio ambiente e aí o reboliço foi grande. Procurei nas ondas livres da internet notícias se o “passeio” encalhou ou seguiu em frente, mas não tive resposta, como também fiquei sem saber qual foi o posição da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte diante desse moído. Estou comentando o caso porque navegando por aí deparei com vários passeios de motos aquáticas e vi de tudo: de motonautas bem comportados e seguidores das leis de navegação a turmas que mais pareciam saídos dos filmes de bárbaros sanguinários. As leis de terra podem não ter a clareza necessária, mas as leis marítimas não deixam dúvidas, porém, todas escorregam pelo mesmo ralo por onde escorrem as coisas nebulosas. Já os ambientalistas, nem sempre olham para onde deveriam olhar e muitas vezes se apegam apenas em aspas.          

Anúncios

Fenômenos astronômicos para anotar na agenda

FB_IMG_1546984097840Navegando pelas páginas do Facebook, que apesar das muitas picuinhas e fofocas politiqueiras tem bastante coisa boa, me deparei com esse folheto virtual no perfil do fotografo, velejador, pedaleiro, cervejeiro e excelente papo, Hélio Viana, ou melhor, Hélio de Mara, e copiei para colar aqui. É a programação dos fenômenos astronômicos para serem vistos em 2019. Claro que terá muito mais e até surpresas, como a de algum meteorito invasor, que vez por outra dá drible nas lentes dos telescópios e passa tirando “fino” em nosso quengo. É bom anotar as datas, ou então dar o ar da graça aqui no blog, para não perder o espetáculo.  

Cartas de Enxu 34

1 Janeiro (108)

Enxu Queimado/RN, 08 de janeiro de 2019

Pois é, Tio, mais um Natal se foi e mais uma vez a data foi comemorada com uma alegria desconexa, em que o riso sai frustrado e os abraços, por mais que se apertem, não conseguem produzir o calor necessário para confortar a alma. Mas vamos levando por aqui, até que Nosso Senhor, que está aí ao seu ladinho, remexa nas fichas e lembre de nos mandar subir. Tio, aquele dia foi pesado demais, tão pesado que até hoje ele permanece vivo e em cores em minhas lembranças.

Talvez a data marcante colabore para aumentar o peso. Talvez as últimas cenas que ficaram gravadas: Nosso último bate papo, momentos antes de sua partida; O presente que eu havia comprado para lhe dar, uma imagem de Nossa Senhora da Conceição, que ficou no ar; A notícia que me deixou momentaneamente sem fala; As palavras que não foram ditas; A cena de lhe ver estirado naquela mesa de pedra fria; Quem sabe as palavras emocionadas de seu grande amigo, Dr. Virgílio, diante do seu corpo inerte sobre a pedra daquele necrotério, “Seu merda, isso é coisa que você faça com a gente…”; A lembrança da imagem de Ademar, sentado no batente da escada que levava ao escritório da padaria, apenas balançando a cabeça; O choro de Tia Cecília no saguão daquele hospital repetindo a palavra: Acabou! Vinte e quatro anos e é como se fosse hoje!

Tio Emídio, antes de continuar preciso lhe dizer, mesmo sabendo que você já sabe, que essa carta começou a ser escrita na véspera de Natal de 2018, mas por motivos de forte emoção, a deixei de lado até que as lágrimas cessassem e o coração tomasse tento. Hoje, diante de um ano que já vai alto e que promete um festival de esquisitices, resolvi dar andamento depois de uns mergulhos nas águas do mar para salgar a alma.

Tio, ao sentar numa pedra para refletir sobre a vida. olhando para os domínios da Rainha do mar, decidi que não iria escrever sua carta com tristeza, porque você encarnava e irradiava alegria e irreverência. Quero apenas falar um pouco das coisas daqui e mandar notícias dos nossos, principalmente de Tia Cecília, que de tanto carinho e amor não cabe em meu coração. Pois é Tio, a vida aqui vai indo e a cada dia o mundo dá tantos giros de 180 graus que está ficando difícil a gente ficar aprumado sobre ele. Tá brabo e sei que vocês, encantados que se avexam a nos proteger, estão se virando nos trinta para manter em dia a proteção. Se vacilar a coisa desanda, num é não?

Pois bem, tia Cecília está bem, Ceminha também está indo, apesar de que, vez por outra se mete a aprontar sustos, Nanã está em plena e franca recuperação e os demais da família estão caminhando num caminho meio espinhoso, bambeando aqui, ali, acolá, porém, de cabeça erguida e seguindo em frente. Nessa minha Enxu mais bela a coisa está a cada dia mais gostosa e em paz. Os homens do poder daqui começaram o ano anunciando que a estrada que liga Enxu Queimado a sede do município, dessa vez sai para valer. Porém, já coloquei minhas barbas de molho, pois nos vinte e nove anos que ando por esse paraíso/praia, perdi as contas de quantas vezes assisti essa novela. Se me perguntam se sou a favor da estrada, digo que sou por Enxu e desejo que a paz e a tranquilidade permaneçam altaneiras sobre o paraíso.

Ei, Tio, você que está aí em cima, me diga se a outra face da Lua é bonita mesmo ou se tudo não passa de marketing de chinês. Vejo que os chinas colocaram um carrinho para fazer rastro no terreiro lunar e mandar uns retratos da paisagem que jamais conseguiremos ver daqui de baixo. Só não sei para que danado isso vai servir para a humanidade, mas um dia saberemos, quem sabe. Por falar em lua: os mandatários da Terra estão cada dia mais aluados e doidinhos para trocar uns sopapos. É um tal de trincar os dentes e rosnar feito fera das trevas que tá dando até medo. Os cabras de peia já esqueceram as agruras das duas grandes guerras e agora estão querendo tirar onda com a nossa cara. Dizem que cachorro que late não morde, mas quando ele morde aí é nó. Até o nosso Brasil, mais pra lá do que pra cá, está querendo meter a mão nessa cumbuca. Sei não, viu!

Tio Emídio, você lembra da vez que viemos a Enxu? Viemos para ver uma panificadora que estava à venda na cidade de Parazinho, mas o senhor não se agradou do que viu. De lá viemos comer um peixe frito, com cerveja gelada, na mercearia de Dona Tita. Lembra? Tudo que vimos naquele ano está mudado e mudando rápido. O progresso chegou, meio torto, mas chegou, e tudo focado na mais alta tecnologia. Muito ainda haverá de ser feito e não vai demorar para esse paraíso/praia ser apenas uma feliz lembrança em algum álbum de retrato.

Emídio Nogueira Mattos, meu tio amado e um dos principais pilares de minha formação, como queria lhe ver sentado sob a sombra da minha varandinha de praia apreciando o coqueiral e ditando seus ricos ensinamentos. Agora me diga: As palavras que não foram ditas e os segredos que não foram ensinados, são os chamados mistérios da vida? A saudade é imensa e jamais terá fim.

Eh, Tio Emídio, a carta ficou meio mórbida, mas eu precisava lhe contar e desabafar. Desculpe e receba um grande beijo!

Nelson Mattos Filho

REFENO 2019 já tem data

49628811_2199493073608953_8326815476583759872_nO Cabanga Iate Clube de Pernambuco cravou a data 12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida, para a largada da 31ª REFENO – Regata Recife-Fernando de Noronha, uma das regatas mais desejadas do iatismo brasileiro. Aqueles que pretendem colocar o barco na raia é bom ficar antenado na data de 1º de fevereiro, dia que serão abertas as inscrições. – Outubro? – Sim, por quê? – Nada não! – Beleza!

Atum de diamante

1546717405781

Confesso que não sei ao certo qual o preço de um quilo de atum nos mercados de peixes Brasil afora e nem nos barracões de pescadores espalhados pelo Rio Grande do Norte, meu torrão amado, e  muito menos qual o valor negociado nas areias da beira mar de Enxu Queimado/RN, prainha linda que me acolhe com carinho, porque meu amigo Pedrinho de Lucinha, jamais me deixou gastar um tostão  sequer num peixe de ‘terceira”, porém, vou arriscar um chute na casa dos R$ 10,00. Pois é, dez reais e não pago um tostão a mais! Aí vejo nas páginas online que o dono de um restaurante no Japão pagou, neste sábado, 05/01, a bagatela de U$ 3,1 milhões (cerca de 11,6 milhões de reais) por um atum de 278 kg, que se não me engano, o quilinho saiu a mais ou menos R$ 42 mil. Ao passar na boca do caixa, o japa falou que pretendia pagar um quinto desse valor, mas ao começar a tirar dinheiro do bolso, sem quase parar, percebeu que pagou um pouco demais. Pense num peixe caro da mulesta!  

 

 

 

 

 

Batalha de Salamina

Batalha de salaminaDando os primeiros passos em um ano que promete boas emoções e que exigirá determinação e parcimônia dos homens que comandam os palácios, vamos navegar nas páginas do blog Mar Sem Fim, no Estadão, para conhecer um naco da história dos oceanos. “… seja qual for a nação que queira ser dominante ela precisa, antes de mais nada, dominar o mar…”

Imagine uma batalha naval há 2.503 anos. A primeira de que se tem notícia, e uma das mais importantes da História da humanidade. E tudo num cenário paradisíaco. De um lado, 1.200 navios atacantes, do outro, apenas 300 navios defensores. Em terra as tropas atacantes contavam com cerca de um milhão e setecentos mil homens vigiados de perto por seu rei. A Batalha de Salamina foi das primeiras escaramuças que colocariam o Ocidente representado pela “Grécia europeia, síntese do pensamento progressista da antiguidade”, em rota de colisão com o Oriente; a Pérsia, pomposa, lúbrica e primitiva”…..  Clique no texto para ver mais