Arquivo da tag: Marinha do Brasil

Pronto, falei

janeiro a junho (495)

Tem coisas que por mais que procuremos saber a verdade, mais a verdade se afasta, porque as explicações que surgem não passam de achismos ou mesmo mentiras deslavadas, mesmo aquelas que saem da boca de “grandes” figurões ou técnicos afamados. Somos uma nação viciada na pouca verdade, na falta de ética, na mentira, na canalhice e o pior, baixamos a guarda, a vista e nos ajoelhamos diante de qualquer canalha que por ventura faça um ajuntamento dos nossos vícios e os abone em praça pública. –E a Lei? – Que Lei? – Não temos Lei, nem clara, nem obscura. O que temos é uma Constituição que de tanto ser rasgada, pisoteada, queimada, achincalhada, já não conseguimos juntar os pedaços para saber decifrar, a contento, os artigos. Vivemos num eterno mar de lama! Mar de lama? Vixi, agora que tomei ciência do tema que queria abordar nesse textinho malcriado. Queria falar do óleo. – Do óleo? – Sim, do óleo sem dono, sem origem, sem defensor, sem acusador e que vai se escafeder sem ninguém mais saber e ponto.

Pois bem, desculpe a maledicência do parágrafo aí de cima, mas tem coisas que vão se acumulando em nosso juízo e quando damos por fé, nos danamos a falar coisas sem coisas, temperadas com uma danação de impropérios que até Nosso Senhor sai de perto para não sair lambuzado. Eita, peraí que lá vou eu saindo do rumo novamente, mas agora vai!

Pois bem de novo, quando começaram a surgir as primeiras manchas de óleo pelas praias do Nordeste, um amigo sugeriu que eu escrevesse algo sobre o assunto, mas sinceramente não me vi com autoridade e nem bagagem para falar o que fosse, porque até ali ninguém sabia nada, como não sabem até os dias de hoje. Na verdade, o que se tem até o momento é um festival de desinformação e declarações estapafúrdias.

Assim como o verão da lata, dos contêineres, dos maços de dinheiro nas praias do Rio, que passaram como passam as chuvas, agora teremos o verão do óleo, aliás, tudo indica que a sangria irá estancar até o Sol fazer valer o colorido e a cerveja gelada tomar conta das praias, pois pelo preço que anda o petróleo por aí, não tem quem aguente bancar a sujeira por muito tempo, a não ser que seja para apertar o nó para algum sabido com cara de anjo poder desatar depois.

Aliás, ao meu ver, o óleo serviu para duas coisas: Uma para provar que somos bestas mesmos e a outra para provar aos crentes, descrentes, doutores, doutorandos e pitaqueiros em geral, que as correntes marinhas existem e nem tudo que se sabe das errantes navegações dos portugas é o que se sabe. Aliás, não sabemos nada e quando alguém me pergunta, apenas porque naveguei durante onze anos o litoral nordestino, para lá e para cá até perder a conta, se o Brasil foi descoberto pelo Rio Grande do Norte, respondo: Não boto fé nem aqui e nem nas praias do povo dos orixás, mas quem sabe no espaço que fica entre os canaviais, que nem existiam, das Alagoas e as florestas dos babaçus? – E os pataxós? – Pois é, né? – E o que danado tem a ver alho com bugalho, ou melhor óleo? – Vamos lá, as primeiras manchas surgiram nas praias do tal Consórcio Nordeste, entre Sergipe e Alagoas, subiu subindo labuzando quase tudo, ou melhor, onde as correntes e os alísios mandam e desmandam, somente quando pegaram uma refregazinha do lestão, fizeram o retorno é se bandearam para as bandas do Sul e aí já sabe, né. Chegou nos terreiros do Axé, o povo de lá fala e canta que só vendo e pronto, o sambão atravessou, o acarajé quis azedar, o caruru desandou e o mundo se danou a saber, mas nem Macron, nem Chico, nem Greta, nem ninguém quis melar os pezinhos de piche.

Nossa briosa Marinha de Guerra guarneceu os navios e saíram em busca de dar tiro mar afora, mas não encontraram foi ninguém, a não ser, ouviram falar que uns gregos haviam passeado pelo horizonte e por lá despejaram algo, mas nem algo mais se sabe, pois os cabras não amostraram o calcanhar.

Até os divinos supremos se apropriaram do óleo que ninguém sabe, todos viram, mas ninguém dá conta, meteu o que pode num caldeirão e sem mais por isso e pra que tudo, encobriram a vergonha, danaram-se a jogar merda no ventilador, liberou geral e quem quiser que vá reclamar ao bispo, que por sinal, abençoou a bagaceira e até gostou da catinga. – E os políticos? – Homem, tenha fé em Jesus! – O do Flamengo? – Não, rapaz, se bem que o cabra é bom, mas é no de Nazaré!

Pronto, meu amigo, falei do óleo, mas sinceramente, era melhor ter ficado calado! Mas antes do ponto final, vou lhe dizer que até esse dia 26 de novembro de 2019, a melequeira não deu as caras nessa Enxu mais bela, mas já chegou nas barbas de São Sebastião. – Prumode? – Prumode as correntes e os alísios, viu! 

Ah, a foto aí em cima? Sei lá, achei bonita!

Nelson Mattos Filho

De olho nos ventos de setembro

20190925_142322

E os ventos continuam soprando forte e correndo soltos pelo litoral do Rio Grande do Norte e Ceará, e a Marinha do Brasil tem renovado sistematicamente os avisos aos navegantes, com pedidos de atenção redobrada aqueles que desejam se aventurar mar adentro. Segundo as previsões, os ventos de até 60km/h devem prevalecer até o final desta semana. Porém, o que me chamou atenção, no gráfico de animação do site Windguru, é o filhote de “cruviana” que está se formando no meio do Oceano Atlântico e de nariz empinado para as ilhas caribenhas. No miolinho da “cria da deusa”, as lapadas do açoite estão batendo a mais de 120 km/h.   

Aviso aos navegantes

8 Agosto (141)

Éolo está mandando ver na força dos ventos sobre o litoral do Nordeste neste mês de setembro e não é preciso muito para se ter essa certeza, basta uma rede estirada em uma varandinha de praia e nada mais. É vento, seu menino, é tanto vento que a Marinha do Brasil tem renovado dia após dia o alerta aos navegantes para o litoral entre o Rio Grande do Norte e Maranhão. O alerta da Marinha fala em ventos de mais de 61 km/h, até a noite desta terça-feira, 17/09, e recomenda que pequenas embarcações permaneçam no porto e os comandantes das demais, abram o olho e coloquem as barbas de molho. Quem avisa, amigo é!

Aviso aos navegantes

7 Julho (327)

A Marinha do Brasil, através das Capitanias dos Portos, emite alerta para a incidência de ventos fortes, de até 71 km/h, no litoral do Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão. A previsão é válida entre a manhã desta segunda-feira, 09, e a noite da quinta-feira, 12, podendo  ser renovada. A Marinha pede que as embarcações de pequeno porte permaneçam no porto e as demais, se precisarem ir ao mar, redobrem a atenção e sigam a risca os manuais de segurança.

Aviso aos navegantes e afins

7 Julho (119)

Confirmando as informações publicadas aqui, em 01 de agosto, a Marinha do Brasil, através da Diretoria de Hidrografia e Navegação, emite nota a imprensa alertando para as condições de mar grosso, com previsões de ventos de até 40 nós, entre a Bahia e o Rio Grande do Norte, entre os dias 5 e 7 de agosto. Passando o olho nós gráficos dos institutos meteorológicos, podemos notar que o amuo das forças de Netuno se estenderá um pouco mais e com maior intensidade. 

MARINHA DO BRASIL

DIRETORIA DE HIDROGRAFIA E NAVEGAÇÃO

NOTA À IMPRENSA

Niterói, RJ.  Em 4 de agosto de 2019.

A Marinha do Brasil, por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), participa que a persistência de um sistema de alta pressão sobre o oceano poderá provocar ventos de direção Sudeste a Leste com intensidade até 74 km/h (40 nós) entre os estados de Alagoas e do Rio Grande do Norte, ao sul de Natal (RN), entre o dia 4 à noite e o dia 7 pela manhã. Este sistema também poderá provocar ondas, em alto-mar, de direção Sudeste a Leste entre 3,0 e 4,0 metros nas proximidades do litoral entre os estados da Bahia, ao norte de Salvador (BA), e do Rio Grande do Norte, ao sul de Natal (RN), entre o dia 5 pela manhã e o dia 7 pela manhã. Haverá condições favoráveis à ocorrência de ressaca com ondas de direção Sudeste até 2,5 metros entre Salvador (BA) e Touros (RN), entre o dia 5 pela manhã e o dia 7 pela manhã.  A Marinha do Brasil mantém todos os avisos de mau tempo em vigor no endereço eletrônico https://www.marinha.mil.br/chm/dados-do-smm-avisos-de-mau-tempo/avisos-de-mau-tempo. Adicionalmente, as informações meteorológicas podem ser visualizadas na página do Serviço Meteorológico Marinho no Facebook, no link: https://www.facebook.com/servicometeorologicomb/, e por meio do aplicativo “Boletim ao Mar”, disponível para download na internet, tanto para o sistema Android quanto para iOS, desenvolvido em parceria entre a Marinha do Brasil e o Instituto Rumo ao Mar (RUMAR). Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita-se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio.

Contato:  Assessoria de Comunicação Social da Diretoria de Hidrografia e Navegação

Aviso aos navegantes

anima_altura A Marinha do Brasil, através das Capitanias dos Portos, anuncia ventos fortes e mar de capitão-de-mar- e-guerra para os dias 1 e 2 de agosto, principalmente no litoral do Nordeste, porém, passando a vista na animação gráfica produzida pelos meninos do CPTEC/INPE, a pauleira deve continuar por mais alguns dias e vai bagunçar o coreto de Sul a Norte. Os tradicionais ventos que assanham as belas dunas nordestinas durante o mês de agosto, estão bem avexados e nem é preciso utilizar equipamentos modernosos para saber que as rajadas ultrapassam fácil os 25 nós, basta sentar sob a sombra de uma cabaninha de praia e apreciar o bailar das palhas dos coqueiros. Pois bem, se mesmo com essas condições você decidir ir para o mar, vá, mas não esqueça de redobrar a atenção no material de salvatagem, no estado geral dos motores, nos estais do mastro, nas velas. Verifique também o casco, as bombas de porão, o VHF e principalmente se o seu conhecimento e experiência náutica lhe conferem navegar sob tais agruras.   

Aviso aos navegantes

anima_altura nnnnn Os navegantes brasileiros do litoral sudeste e nordeste tiveram um final de semana de fortes acelerações cardíaca, principalmente aqueles que tinham barcos em ancoragens, devido o swell que se formou no meio do Atlântico, consequência de um ciclone, e subiu a costa montado em uma fera sem arreios. Já a galera do surf, entusiasmada com o sucesso dos brazucas no surf mundial, botou a prancha debaixo do braço para cair na água e festejar os amuos de Netuno. Segundo a animação do CPTEC/INPE, o pior já passou, mas como para ir embora a fera tem que caminhar em um corredor de ventos e correntes, a Marinha do Brasil alerta para ondas de mais de 3 metros entre o litoral de Pernambuco até o Ceará, até o dia 25, e acho bom que os marujos abram os ouvidos e botem as barbas de molho, porque os ventos oceânicos, que assopram o couro da fera do mar, estão bem avexados. Só mais um detalhezinho besta: Se não for espanto da animação, depois do dia 25 vai ter reggae novamente, porque o gráfico indica que tem algum reboliço se formando lá no meio do mar.