Arquivo da categoria: Regata

Acidente marca a VOR no mar da China

vestas-11th-hour-racing-compete-in-the-around-the-island-raceUm acidente no mar da China tirou a alegria da chegada da  quarta etapa da regata Volvo Ocean Race, em Hong Kong, na noite de sexta-feira, 18/01. O veleiro da equipe Vestas chocou-se com um barco de pesca, a 30 milhas da linha de chegada, causando a morte de um dos tripulantes do pesqueiro.

trafego-hong-kongA imagem ao lado mostra o movimento de embarcações no dia fatídico. Não é fácil cruzar a mais de 20 nós de velocidade, perpendicularmente, um pedaço de mar com um tráfego monstruoso de embarcações, que em sua maioria trabalha de forma artesanal e sem dar muito cabimento para regras de navegação. Quem já teve a oportunidade de navegar em áreas de pesca sabe que a coisa não é de brincadeira. Quem já participou da Refeno deve lembrar muito bem da bronca. Li alguns comentários nas redes sociais e me espantei com os julgamentos, muitos deles baseados nas teorias das regras de navegação e feitos por pessoas com pouca, ou nenhuma, afinidade com o cotidiano de uma embarcação, porém, o que mais me assustou foi ler comentários desairosos de navegantes experientes, como se no mar nada fosse além das certezas, das regras e dos feitiços malabarescos dos brinquedinhos modernosos. A VOR é uma prova que leva o homem e as embarcações ao limite do extremo e infelizmente em competições desse porte acontecem acidentes e muitos com vítimas fatais. Que venham as prevenções para as próximas etapas, mas o risco é uma constante.

Anúncios

Recorde na regata Transat Jacques Vabre 2017

imagesVapt-vupt, foi assim a velejada dessa ferinha, que aparece na imagem, entre Le Havre, região francesa da Alta Normandia, e a baianíssima Salvador, terra abençoada pelo Senhor do Bonfim. O trimarã de 100 pés, comandando pelos franceses Thomas Coville e Jean-Luc Nelias, cruzou o Atlântico como uma bala e gastou 7 dias, beirando o oitavo, e atracou, nesta segunda-feira, 13/11, cheio de vontade de se lambuzar de dendê no píer do Terminal Náutico da Bahia, e foi o primeiro participante da regata Transat Jacques Vabre 2017 a cruzar a linha de chegada e com isso ostenta orgulhoso a faixa de Fita Azul no alto do mastro. Fita Azul, no iatismo, é o primeiro barco a cruzar a linha de chegada, independente do tamanho, classe ou vontade dos concorrentes. O trimarã da Sodebo foi seguido de perto por outro trimarã voador, mas este, entre um contrapé e outro, cruzou a linha duas horas depois. As duas feras conseguiram baixar o recorde da prova em três dias. Danou-se! Agora as duas tripulações ligeiras, vão se aboletar diante de um tabuleiro de acarajé para esperar pacientemente pelos concorrentes que cortam água por aí, entre eles o barco brasileiro Mussulo 40, que compete na Class 40. O Mussulo 40, comandado pelos competentes Leonardo Chicourel, baiano arretado, e José Guilherme Caldas, teve alguns problemas e aparece, por enquanto, na 13ª posição, em sua classe. A Transat Jacques Vabre é uma das mais tradicionais provas do iatismo mundial e nessa edição retorna a Bahia, onde aportou em tempos idos. Fonte: Coluna do Murilo 

Agora vou pegar pesado

P_20170505_123839

Agora vou falar e quem quiser que diga que a Bahia é terra de moqueca, o que não duvido e não nego, porém, o que duvido mesmo é que exista uma baiana arretada para fazer moquecas melhores do que as de Lucia. A danada aprendeu os segredos que foram repassados por Dona Aurora, nêga velha da nação independente da Ilha do Campinho, na enigmática e fascinante Baía de Camamu, e entre toques e retoques, aprumou a mão para produzir as melhores moquecas do mundo. A imagem aí em cima é de uma moqueca de peixe, que estava boa que só a mulesta. Há quem diga que sou suspeito para falar e pode até ser verdade, mas que é assim é. Tenho dito!

O fim de semana será de festa em Angra dos Reis

Bracuhy-divulgação

O mar de Angra dos Reis estará em festa neste final de semana, 24 a 26/03, com a realização da 1ª Regata JL Marina Bracuhy e que deverá contar com mais de 70 barcos na linha de largada. A FARVO – Flotilha de Angra dos Reis de Veleiros de Oceano, anuncia que a prova faz parte do calendário de regatas de Angra. Fonte: Almanáutica

Refeno 2017

refeno2O Cabanga Iate Clube de Pernambuco lançou o primeiro aviso para a 29ª Refeno, Regata Recife/Fernando de Noronha, que tem largada marcada para dia 30 de setembro de 2017. As inscrições começam dia 15 de abril ao preço inicial de R$ 650,00 por tripulante. A Refeno é uma das mais famosas regatas do Brasil e tem números que demonstram o seu sucesso: 28 edições; 1785 embarcações (média de 64 embarcações por edição); 10.385 tripulantes (média de seis por embarcações); Média de 370 tripulantes por edição; Participantes de 16 estados brasileiros e 22 países; Em 2004, a Refeno bateu recorde de participantes: foram 146 barcos inscritos na regata. E o grande vencedor foi o Ave Rara, um trimarã de Pernambuco, embarcação espartana e muito veloz, comandada por Vicente Gallo; O atual recorde é do veleiro Adrenalina Pura, da Bahia, que tem como comandante Georg Ehrensperger. Ele conquistou a marca de 14h34min54 em 2007; O recorde dos monocascos é do veleiro gaúcho Camiranga, comandado por Samuel Albrecht, que em 2016 fez a travessia em 19h56min40

Uma regata para valentes

ng7816424

Para quem gosta de proezas, taí uma que deixa muito marmanjo roendo as unhas de vontade de enfrentar, porém, tem coisas na vida que não é para qualquer um, ainda mais quando a proeza tem que ser conseguida sobre os domínios encantados de Netuno e Iemanjá. Largou hoje no porto de  Les Sables d”Olonne, na baía da Biscaia, costa atlântica francesa, a mais instigante e indecifrável das regatas de volta ao mundo, em que homem, barco, mar e os elementos que regem as forças da natureza, precisam conviver em perfeita sintonia pelos oceanos mais mal humorados do planeta, que são os mares do sul. Essa é a Vendée Globe, uma prova onde os barcos são tripulados por apenas um homem e conta apenas com duas regras básicas: Não parar em lugar nenhum (quanto muito podem regressar à partida para reparações e voltar a partir); e não serem de forma alguma assistidos a partir do exterior. Os franceses, donos da prova, praticamente dominam a competição, que este ano comemora a oitava edição e conta com 29 barcos inscritos. Para desbancar a supremacia francesa, o inglês Alex Thomson, uma lenda viva do iatismo mundial, é um dos participantes internacionais que aposta todas suas fichas que subirá ao alto do pódio, e nesse primeiro dia de competição já se adiantou na frente da flotilha. A organização da prova acredita que o primeiro colocado cruzará a linha de chegada em menos de 78 dias – que foi o recorde estabelecido na edição 2012/2013 – de insana velejada, devido a uma novidade estrutural nos veleiros, um foil em cada lado – dois patilhões – que dizem parecer com os bigodes de Salvador Dali, que faz com que os veleiros alcancem velocidades acima dos 30 nós. No site da regata, vendeeglobe.org, você acompanha a prova minuto a minuto.      

O mar da Bahia é de festa

14650536_1758047811121517_3134667356984493729_nSe a turma da vela Brasil afora acha que no mar da Bahia festa boa somente a regata Aratu/Maragojipe, pode ir tirando o cavalinho da chuva, porque regata na Bahia tem uma atrás da outra e cada uma gostosa que só vendo. Pois bem, dia 22 de outubro, sábado próximo, tem uma das mais tradicionais e animadas que é a Regata da Primavera, que esse ano comemora a 41ª edição.

14494868_1752933068299658_3782309122621197546_nA regata larga da Ponta de Humaitá, um dos mais belos cartões postais de Salvador, e tem a linha de chegada na praia de Mutá, um pequeno paraíso no Canal Interno de Itaparica. A festa da premiação, em Mutá, será animada pela banda Diamba, pois na Bahia regata tem que ter festa, e festa para valer. As inscrições podem ser feitas no Saveiro Clube da Bahia – clube promotor do evento, Aratu Iate Clube e Marina Aratu. Rapaz, essa regata é das boas!