Arquivo da categoria: Coisas do Mar

Tem novo tubarão no pedaço

untitledCerta vez, em conversa embaixo do sombreiro de uma cabaninha de palha a beira do mar, ouvi de um velho pescador que  o homem não conhecia nem a metade das espécies que habitam o fundo dos oceanos e que ele mesmo já tinha visto tanta criatura esquisita que nem dava conta de contar. Levei aquilo como mais uma estória de pescador, mas em todo caso, para não perder a pareia do bate papo, fiz cara de acreditador e assim, a conversa prosseguiu alinhada. Mas a verdade, verdadeira, é que a ciência não cansa de procurar e anunciar novas espécies marinhas e dessa vez a novidade vem das profundezas das águas territoriais brazucas, com a descoberta de uma nova espécie de tubarão, batizado cientificamente por Parmaturus angelae, mas, sinceramente, se me pedissem para batizar o bichano eu iria chamar de lambioia gilmalógino. Pense num bicho feio e asqueroso! Pois bem, dois exemplares do gilmalógino, ou melhor, Parmaturus, foram capturadas no mar do Rio de Janeiro e Santa Catarina, em profundidade de mais de 500 metros e, segundo o site da UNIVALI, tem as seguintes características: “…origem da primeira barbatana dorsal anterior à barbatana pélvica, presença de crista caudal superior e inferior bem desenvolvida, dentículos laterais em forma de lágrima e falta de cúspides laterais, dentículos uniformemente espaçados e contagens vertebrais. A referida espécie é a segunda espécie do gênero relatada no Oceano Atlântico e apenas a terceira espécie fora da região do Indo-Oeste do Pacífico”. Os cientistas apostam na captura de novos exemplares para aprofundar os estudos, mas em todo caso, fico com palavra do velho pescador: O fundo do mar é segredoso!

Dos arquivos do tempo

P_20170410_081216

A edição 2019 da REFENO, Regata Recife-Fernando do Noronha, uma das mais famosas provas do iatismo brasileiro, acontece dia 12 de outubro, e não tem como falar em REFENO sem lembrar de todos os personagens que ilustram essa imagem. Alguns estão lá no Alto e sempre serão atentos guardiões da flotilha, outros ainda estão por aí, caçando velas e pedindo água!

Imagem

Humor

IMG-20190923-WA0009

Parabéns, comandante Amyr

amyr

O navegador Amyr Klink comemora hoje, 18/09, os 35 anos da realização da sua maior façanha, a travessia do Oceano Atlântico em um barco a remo. Não vou dizer 100% até porque esse é um percentual inexistente em qualquer universo onde existam pelo menos dois indivíduos, mas boa parte dos amantes do mundo náutico tiveram na aventura de Amyr, em 1984, excelente fonte de inspiração, se não para a realização de projetos, mas sim para dar asas a sonhos e paixões.  A imagem do Paraty se aproximando do mar da Bahia ainda está bem viva na memória de uma geração e o livro Cem dias entre céu e mar, continuará alimentando sonhos e traçando horizontes de gerações futuras. Comandante, Amyr, você merece o reconhecimento de todos que fazem o mundo náutico brasileiro. Parabéns e que venham novas comemorações!

Aviso aos navegantes

8 Agosto (141)

Éolo está mandando ver na força dos ventos sobre o litoral do Nordeste neste mês de setembro e não é preciso muito para se ter essa certeza, basta uma rede estirada em uma varandinha de praia e nada mais. É vento, seu menino, é tanto vento que a Marinha do Brasil tem renovado dia após dia o alerta aos navegantes para o litoral entre o Rio Grande do Norte e Maranhão. O alerta da Marinha fala em ventos de mais de 61 km/h, até a noite desta terça-feira, 17/09, e recomenda que pequenas embarcações permaneçam no porto e os comandantes das demais, abram o olho e coloquem as barbas de molho. Quem avisa, amigo é!

Dos deuses da natureza

03 - março (89)

Ensinamentos que aprendi no mar: Tenha pretensão, mas não seja pretensioso

O mar

1 Janeiro (90)

“Quem não se atira no mar alto não conhecerá nunca a profundidade da água azul, nem a embriaguez da onda e das vagas, nem a calma das noites durante as quais o navio traça em silêncio o sulco…

Quem não se atira no mar alto não compreenderá nunca a profunda alegria de ter soltado as amarras e de só se apoiar em Deus, mais seguro que o oceano.

Quem fica na margem nunca perderá o gosto pela terra firme, a terra da gente razoável, segura de si mesmo, sensata e bem pensante. Considera-se rico e está nu. Pensa que construiu, mas acumulou ruínas das quais terá que prestar contas…”

Citação a P.Hoest, no livro Karitós – Viagem em terras do Brasil.