Arquivo do mês: maio 2011

Um tour pela Espanha e Portugal

O velejador baiano Gerson Silva, veleiro Tô Indo, mandou esse texto contando a viagem recente que fez pela Espanha e Portugal. A viagem não foi feita a bordo de um veleiro, mas a riqueza das informações anotadas podem muito bem figurar em qualquer roteiro turístico. Tenha uma boa leitura.
Viagem a Portugal, entrando pela Espanha
Saímos de Salvador 05/05, pela air europa, ás 22 hs e chegamos ás 7 da manhã. 9 horas de vôo. Pelo fuso horário 5 hs a menos no Brasil.
Traslado do aeroporto ao hotel (18 euros/pessoa), que fica na Fuencarral, centro de MADRID. Deixamos as malas no hotel e saímos andando pela Gran Via em direção a praça Espana, onde faríamos um tour pela cidade, de ônibus, já contratado á partir do Brasil. De volta a praça, agora por nossa conta o descobrimento. Primeiro comer, “tapas, queso, vinhos, cerveza e salada”. Continuar lendo
Anúncios

Todo dia é dia de poesia

DEVANEIOS DO SILÊNCIO
Carlos Gomes
Imagem: guillaume dauphin
 
Quando eu voar para outra dimensão da vida,
Não me acharás entre os opulentos do poder,
Nem nas rodas dos intelectuais,
Tampouco nos bancos dos templos.

Certamente esquecestes o que sempre amei aqui,
A natureza exuberante do mar,
Os cantos dos passarinhos em minha janela,
O gozo dos pés descalços na areia da praia,
As estrelas cintilantes da noite escura,
O sorrir de uma criança,
O olhar de minha amada,
O cuidar dos desvalidos,
O alento aos sofredores.
O calor dos meus parentes,
O abraço dos amigos.
Valeu a pena viver.

Entre chuvas e relâmpagos – Sem comunicação

imagens 039 Pelas regras das comunicações costeiras no Brasil, os iates clubes e marinas formam a Rede Costeira de Apoio ao Iatismo e por isso devem manter escuta permanente em VHF no canal 68 e utilizar o canal 69 como segundo canal de trabalho. Mas, infelizmente, essa regra não vem sendo observada em muitos clubes náuticos e marinas ao longo da costa do Nordeste. Não sei de onde deve de partir a cobrança da regra, mas seja lá de onde for, acho que já está passando da hora dessa fiscalização acontecer.

A regra ainda orienta os iates clubes e marinas transmitirem boletins meteorológicos via canal 68, Continuar lendo

Tenha um bom domingo

 

Extreme Sailing Series – Sai da frente!

Se uma cacetada dessa tivesse sido na praia de Enxú-Queimado/RN, o comandante do barco teria que dar uma volta pela praia montado em um burro todo enfeitado. Pense numa cangueiragem?

http://www.youtube.com/watch?v=tDyKaZH9Gxs&feature=player_embedded

Primeiro navio movido, parcialmente, a energia eólica

E-Ship-1-foto-jens-smit-580x458E-Ship-1-EShip1_1 1 Num belo dia de Abril de 2011 vislumbrei a silhueta de um moderno navio atracado no Porto de Natal. Quatro torres no convés lançavam no ar uma imagem que lembrava uma plataforma de petróleo. A cabine de comando situada no limite da proa deixava a embarcação ainda mais charmosa e futurista. Tentei saber que navio era aquele e ninguém no clube soube me responder. Palpites, e achos, eram as respostas mais convincentes, mas sempre que olhava para o navio a curiosidade me atiçava. Mas, infelizmente o navio foi entrando no cotidiano da paisagem e a curiosidade foi se espalhando no vento. Na noite em que navio saiu do Porto, eu me encantei com toda aquela beleza que desfilava pela escuridão da noite nas águas do Rio Potengi. O navio desapareceu em busca do oceano e eu fiquei me perguntando o que representava aquelas 4 torres. Não me lembro de ter visto nada nos jornais de Natal e nem nos noticiários televisivos, mas com certeza aquele navio deve ter sido alvo de alguma matéria jornalística, pois ele representa o futuro para a navegação, e somente agora eu fiquei sabendo. Foi lendo o Informativo Marítimo V.19 da Diretoria de Portos e Costa, que recebo trimestralmente, que fiquei sabendo que aquele navio era o E-SHIP 1, um moderno projeto movido parcialmente a energia eólica. O E-SHIP 1, com 12 mil toneladas, de bandeira alemã, chegou ao Brasil em 12 de Janeiro de 2011, atracando no Porto de Pecém, Ceará. Vinha carregado de pás de aerogeradores para um parque eólico gaúcho. O navio é movido a energia eólica que auxilia os motores a diesel e gera uma economia de 30 a 40 por cento no consumo de combustível. As 4 torres, que me impressionaram, são na verdade rotores com cilindros de 27 metros de altura por 4 metros de diâmetro. Os rotores giram em torno do próprio eixo devido a ação motora e do vento. A velocidade de cruzeiro do E-SHIP 1 é de 16 nós.  O E-SHIP 1 é um grande salto para o futuro da navegação, assim como foi o barco a vela. O que me deixa triste é que ele esteve bem perto de mim e eu o transformei apenas em uma mera curiosidade.

Risoto papa-jerimum – Eita bicho bom!

Risoto jerimum e carne de sol 004 Você sabe por quê quem nasce no Rio Grande do Norte é chamado de potiguar? Potiguaras era uma antiga tribo indígena que habitava as terras do Rio Grande do Norte. Em Tupi-Guarani, potiguar quer dizer comedor de camarão e a partir dai, chamar o norteriograndense de potiguar foi somente um pulo. Como quase todo mundo tem um apelido, o potiguar não podia deixar de ter o seu: Papa-Jerimum. Esse sim outro nome bem pitoresco para um povo que nem consome tanto Jerimum assim e nem o Rio Grande do Norte é o maior produtor de Jerimum, diferente do camarão que o RN é o segundo maior produtor. Mas, o apelido surgiu quando um antigo presidente da província resolveu plantar jerimum para pagar os salários atrasados do funcionalismo público. Bem! Potiguar ou Papa-Jerimum é assim que o norteriograndense é chamado e ninguém se incomoda muito com isso e até gosta. Agora que  já sabemos um pouco dessa história, vou traçar uma rota pelo mundo dos sabores para deixar você com água na boca com uma receita arretada: Risoto Papa-Jerimum. Mais uma iguaria dos deuses, saída das experiências gastronômicas de Lucia a bordo do Avoante. Continuar lendo