Arquivo da tag: iatismo

Imagens que trazem saudades

IMG-20170502-WA0001IMG-20170502-WA0002IMG-20170502-WA0003IMG-20170502-WA0004IMG-20170502-WA0005IMG-20170502-WA0006IMG-20170502-WA0010IMG-20170502-WA0007IMG-20170502-WA0009IMG-20170502-WA0012IMG-20170502-WA0014IMG-20170502-WA0017IMG-20170502-WA0018IMG-20170502-WA0020

Estas imagens foram retiradas do tempo pelo velejador, fotografo e geólogo potiguar Joaquim Amorim, que possui um maravilhoso arquivo fotográfico contando um pouco da história das regatas REFENO, Regata Recife/Fernando de Noronha, e FENAT, Regata Fernando de Noronha/Natal, como também momentos que marcaram época no Iate Clube do Natal.

 

Quais são suas atitudes no mar?

01 - Janeiro (47)

Dia desses um vídeo viralizou nos grupos dos amantes da navegação, mostrando o enrosco entre uma lancha e um veleiro em uma ancoragem, se não estou enganado, nas águas do Sudeste. Nos comentários, em grande maioria raivosos, velejadores sentavam o pau de spinnaker na cabeça do proprietário da lancha, comumente apelidado de lancheiro. Pois bem, o “lancheiro”, segundo se ouve na filmagem, festejava o barraco e proibia que seu marinheiro fizesse algum esforço para desfazer a situação. Ora, pequenos incidentes como aquele são mais do que comuns em qualquer local, onde algum comandante deixe de observar as boas regras de ancoragem e como consequência, o barco sai todo faceiro para denunciar o mal feito. – E quer saber? O mesmo tipo de atitude, e até pior, já presenciei envolvendo dois ou mais veleiros, com gritos de ameaças veladas e palavrões trocados pelos comandantes. Várias vezes embarquei em meu bote de apoio para segurar barcos de terceiros, que encontravam-se próximo de um abalroamento, enquanto os infelizes proprietários apenas observavam a cena, muito bem sentados no cockpit. De alguns ouvi abismado: “Só estava esperando para ver a m…. desse irresponsável e se batesse em meu barco o bicho iria pegar”. Certa feita estava com o  Avoante ancorado na Ilha de Itaparica, quando a tardinha chegou outro veleiro e ancorou pela popa, porém, muito próximo. Vendo a cena que poderia acontecer, recolhi um pouco a corrente e avisei ao outro comandante que aquela não era uma boa posição para ele jogar âncora. Ele sorriu, entrou na cabine e não mais saiu. Na madrugada, quando o vento acabou e os barcos ficaram pelas ordens dos remansos da maré, o púlpito de proa do veleiro dele veio de encontro a plataforma de popa do Avoante e ficaram ali num namoro barulhento e perigoso. Acordei e fui ver o que estava acontecendo, porém, o que vi foi o velejador sentado com a cara feia sobre o convéns e quando me viu foi logo dizendo: “Seu barco está batendo no meu”. Não fez o mínimo esforço para evitar uma situação causada por ele mesmo. Calado, liguei o motor, recolhi a âncora e fui procurar outro lugar para ancorar. Não estou defendendo o arrogante proprietário da lancha que aparece no vídeo, porém, antes de condená-lo, precisamos fazer minuciosos exames na consciência e rever nossas atitudes no mar, ambiente em que ética e bom senso não são apenas palavras bonitas. 

Ensinamentos

IMG_0136

“O que faz andar o barco não é a vela enfunada, mas o vento que não se vê…”

Platão

E os ventos sopram saudades

P_20170410_081158

Talvez muita coisa esteja esquecida. Talvez muitas lembranças estejam desbotadas. Talvez em um futuro próximo nada exista, a não ser, o vazio de uma história que será contada em minúsculos fragmentos praticamente indecifráveis, em que a glória ficará exposta diante de um olhar de indiferença. Talvez, no futuro, as façanhas dos velhos heróis não represente mais nada e a beleza de suas aventuras sejam para sempre perdidas na imensidão dos oceanos. Talvez, no futuro, não exista mais nem a palavra saudade. A imagem que ilustra essa postagem representa toda a maravilhosa grandeza e glória que foi a vela de oceano nas águas do nordeste brasileiro, em que Maceió, a bela capital alagoana, era o celeiro onde anualmente se reuniam os maiores nomes do iatismo do Nordeste. Olhando para o sorriso de Seu Antônio Marques, ladeado pelo fiel amigo Couceiro, que hoje festejam a amizade lá no Céu, com bons goles de whisky, miro a imagem e me pergunto: – Qual desculpa daremos a eles por ter deixado esse legado navegar tão fora do rumo?      

O fim de semana será de festa em Angra dos Reis

Bracuhy-divulgação

O mar de Angra dos Reis estará em festa neste final de semana, 24 a 26/03, com a realização da 1ª Regata JL Marina Bracuhy e que deverá contar com mais de 70 barcos na linha de largada. A FARVO – Flotilha de Angra dos Reis de Veleiros de Oceano, anuncia que a prova faz parte do calendário de regatas de Angra. Fonte: Almanáutica

Refeno 2017

refeno2O Cabanga Iate Clube de Pernambuco lançou o primeiro aviso para a 29ª Refeno, Regata Recife/Fernando de Noronha, que tem largada marcada para dia 30 de setembro de 2017. As inscrições começam dia 15 de abril ao preço inicial de R$ 650,00 por tripulante. A Refeno é uma das mais famosas regatas do Brasil e tem números que demonstram o seu sucesso: 28 edições; 1785 embarcações (média de 64 embarcações por edição); 10.385 tripulantes (média de seis por embarcações); Média de 370 tripulantes por edição; Participantes de 16 estados brasileiros e 22 países; Em 2004, a Refeno bateu recorde de participantes: foram 146 barcos inscritos na regata. E o grande vencedor foi o Ave Rara, um trimarã de Pernambuco, embarcação espartana e muito veloz, comandada por Vicente Gallo; O atual recorde é do veleiro Adrenalina Pura, da Bahia, que tem como comandante Georg Ehrensperger. Ele conquistou a marca de 14h34min54 em 2007; O recorde dos monocascos é do veleiro gaúcho Camiranga, comandado por Samuel Albrecht, que em 2016 fez a travessia em 19h56min40

O novo timoneiro da ABVC

DSC_0313DSC_0341DSC_0350Em noite de festa e confraternização a Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro – ABVC, diplomou sua nova diretoria para o biênio 2017-2018 tendo o paulista Paulo Fax como novo presidente, que terá como missão manter o barco no rumo e dar seguimento a dos mais desejados produtos, dessa entidade que fortaleceu a vela cruzeiro no Brasil, que é o Cruzeiro Costa Leste. Desejemos bons ventos e mares tranquilos ao novo timoneiro.