Arquivo da tag: iatismo

O fim de semana será de festa em Angra dos Reis

Bracuhy-divulgação

O mar de Angra dos Reis estará em festa neste final de semana, 24 a 26/03, com a realização da 1ª Regata JL Marina Bracuhy e que deverá contar com mais de 70 barcos na linha de largada. A FARVO – Flotilha de Angra dos Reis de Veleiros de Oceano, anuncia que a prova faz parte do calendário de regatas de Angra. Fonte: Almanáutica

Refeno 2017

refeno2O Cabanga Iate Clube de Pernambuco lançou o primeiro aviso para a 29ª Refeno, Regata Recife/Fernando de Noronha, que tem largada marcada para dia 30 de setembro de 2017. As inscrições começam dia 15 de abril ao preço inicial de R$ 650,00 por tripulante. A Refeno é uma das mais famosas regatas do Brasil e tem números que demonstram o seu sucesso: 28 edições; 1785 embarcações (média de 64 embarcações por edição); 10.385 tripulantes (média de seis por embarcações); Média de 370 tripulantes por edição; Participantes de 16 estados brasileiros e 22 países; Em 2004, a Refeno bateu recorde de participantes: foram 146 barcos inscritos na regata. E o grande vencedor foi o Ave Rara, um trimarã de Pernambuco, embarcação espartana e muito veloz, comandada por Vicente Gallo; O atual recorde é do veleiro Adrenalina Pura, da Bahia, que tem como comandante Georg Ehrensperger. Ele conquistou a marca de 14h34min54 em 2007; O recorde dos monocascos é do veleiro gaúcho Camiranga, comandado por Samuel Albrecht, que em 2016 fez a travessia em 19h56min40

O novo timoneiro da ABVC

DSC_0313DSC_0341DSC_0350Em noite de festa e confraternização a Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro – ABVC, diplomou sua nova diretoria para o biênio 2017-2018 tendo o paulista Paulo Fax como novo presidente, que terá como missão manter o barco no rumo e dar seguimento a dos mais desejados produtos, dessa entidade que fortaleceu a vela cruzeiro no Brasil, que é o Cruzeiro Costa Leste. Desejemos bons ventos e mares tranquilos ao novo timoneiro.

Uma regata para valentes

ng7816424

Para quem gosta de proezas, taí uma que deixa muito marmanjo roendo as unhas de vontade de enfrentar, porém, tem coisas na vida que não é para qualquer um, ainda mais quando a proeza tem que ser conseguida sobre os domínios encantados de Netuno e Iemanjá. Largou hoje no porto de  Les Sables d”Olonne, na baía da Biscaia, costa atlântica francesa, a mais instigante e indecifrável das regatas de volta ao mundo, em que homem, barco, mar e os elementos que regem as forças da natureza, precisam conviver em perfeita sintonia pelos oceanos mais mal humorados do planeta, que são os mares do sul. Essa é a Vendée Globe, uma prova onde os barcos são tripulados por apenas um homem e conta apenas com duas regras básicas: Não parar em lugar nenhum (quanto muito podem regressar à partida para reparações e voltar a partir); e não serem de forma alguma assistidos a partir do exterior. Os franceses, donos da prova, praticamente dominam a competição, que este ano comemora a oitava edição e conta com 29 barcos inscritos. Para desbancar a supremacia francesa, o inglês Alex Thomson, uma lenda viva do iatismo mundial, é um dos participantes internacionais que aposta todas suas fichas que subirá ao alto do pódio, e nesse primeiro dia de competição já se adiantou na frente da flotilha. A organização da prova acredita que o primeiro colocado cruzará a linha de chegada em menos de 78 dias – que foi o recorde estabelecido na edição 2012/2013 – de insana velejada, devido a uma novidade estrutural nos veleiros, um foil em cada lado – dois patilhões – que dizem parecer com os bigodes de Salvador Dali, que faz com que os veleiros alcancem velocidades acima dos 30 nós. No site da regata, vendeeglobe.org, você acompanha a prova minuto a minuto.      

Novos rumos a Marina da Glória

marina_tacEnvolto numa eterna polêmica, a Marina da Gloria, no Rio de Janeiro, tudo indica, parece que vai tomar um rumo animador, mesmo que a tempestade continue a rondar seus limites. A BR Marinas, administradora do espaço, e o Ministério Público Federal, sentaram na mesa e fecharam um ajustamento de conduta que estabelece regras para o livre acesso do público ao local durante o horário comercial, mas que não afete a operação da marina. Nos termos de ajustamento foi incluído um projeto social voltado para a prática de vela por crianças e adolescentes da rede pública de ensino. Claro que a peleja entre os contra e favor não vai acabar diante dessa decisão, mas no meu entender, a coisa vai navegar em meio a ventos mais brandos. Aliás, nunca entendi o motivo, por mais que sejam justificados pelos seus conselhos de sócios, das marinas e iates clubes serem fechados ao público. Quantos possíveis navegadores abandonam o sonho náutico ao esbarrarem com um portão fechado? Eu mesmo já fui barrado em um certo iate clube brasileiro por não está munido de um convite, apesar de ter me identificado e justificado, sem sucesso, minha ida até lá. Torço para que o acordo da Marina da Glória saia do papel. Fonte: Revista Náutica 

Para anotar na agenda

A Volvo Ocean Race, a mais famosa das regatas de volta ao mundo e considerada a Formula 1 do iatismo mundial, já marcou a data de 18 de outubro de 2o17, na cidade de Alicante, Espanha, para a largada da edição 2017/2018. São 45 mil milhas pelos oceanos do mundo, oito meses de competição e mais uma vez a cidade catarinense de Itajaí será uma das 11 cidades sede. A regata acontece desde 1973 e na história dos seus pódios figura o brasileiro Torben Grael, campeão na edição 2008/2009 comandando o veleiro da equipe sueca Ericsson 4. Na edição de 2006, Torben também se fez presente comandando o barco brasileiro Brasil 1, mas devido a uma série de problemas, inclusive quebra do mastro no Oceano Índico, ficou apenas na quinta colocação. 

Uma regata e uma recordação

Regata-Arquipelago-33simboloO Iate Clube de Santa Catarina-Veleiros da Ilha, realizará no próximo sábado, 8/10, a 15ª Regata Mormaii, válida pela oitava etapa da Copa Veleiros de Oceano de Santa Catarina. Mais informações através do site do clube ou pelo email eventosnauticos@icsc.com.br. Essa regata me fez lembrar a REFENO de 2010, quando em um bate papo visualizando o mar do Porto de Santo Antônio, na Ilha de Fernando de Noronha, um agente da empresa Mormaii pediu que eu o colocasse em contato com os promotores da regata Fernando de Noronha/Natal – FENAT, porque, segundo ele, a empresa estava, na época, interessada em uma parceria para incrementar a prova. Na ocasião trocamos ideias, falei da alegria, como velejador e incentivador da vela, em ouvir aquela proposta e disse que iria levá-la aos promotores do evento, e o fiz. Um mês após ter levado o assunto aos organizadores da prova, procurei saber a resposta e infelizmente o que ouvi foi o seguinte: “…não temos interesse. Aliás, nem levamos o assunto a discussão…” . Em 2016 a FENAT deixou de existir.