Arquivo da tag: segurança na navegação

Pesca com segurança

Pescar-en-Kayak-Seguridad-en-el-mar-2-1Confesso que não sou muito fã de pescaria, mas sempre jogava uma isca artificial quando navegando por aí e de vez em quando um peixinho esfomeado se iludia com minha armadilha e tinha como destino a frigideira com dendê. Peixe fresco é outra história! Pois bem, para aqueles que acham que para empreender uma boa pescaria embarcada é preciso possuir, ou alugar, uma super lancha, podem tirar a crença da cabeça. O site Nauti Spots apresenta uma matéria dando dicas para a pesca em caiaque, embarcação há muito utilizada por inúmeros amantes da pesca mundo afora, com informações sobre segurança, forma de navegar, estabilidade e tudo mais para a brincadeira acontecer em brancas nuvens.  Gostei da matéria e divido com vocês através do link, A pesca de caiaque com segurança. 

Anúncios

Aviso aos navegantes

pepirb-rescueUm comunicado da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro, datado de 21 de março de 2017, é mais um retrato do velho jeitinho brasileiro de fazer valer as coisas. No Fax 022/20.2, endereçado a Comunidade Marítima, a autoridade naval alerta que grande parte dos sinais emitidos  por EPIRBRadiobaliza Indicadora de Posição de Emergência por Satélite, causam transtornos ao Centro de Controle, porque os equipamentos não estão devidamente registrados, o que dificulta o regaste. O EPIRB quando registrado no órgão competente, ao emitir um sinal de socorro, indica, além da posição, dados da embarcação, do proprietário e outras informações para boa condução da missão. – Aí, quando a Fiscalização Naval mete a caneta a choradeira é grande. Se liga comandante!

Aviso aos Navegantes – Registro

20150414_092452_thumb

No mês de junho de 2015, através da postagem Aviso aos Navegantes e um alerta a DHN, acusei um erro de impressão, na longitude 38º, entre os paralelos 39′ e 40’, na Carta Náutica 1110, carta mestre da Baía de Todos os Santos. Hoje recebi um email do Centro de Hidrografia da Marinha, assinado pelo Capitão-Tenente Heldio Loures Perrotta, Gerente de Relacionamento com o Cliente, em que diz que a falha foi corrigida em Dezembro de 2015. Fico feliz e agradecido por minha observações terem contribuído com a Marinha do Brasil e consequentemente para a segurança da navegação.   

Prezado Sr. Nelson,
A título de atualização do tópico “Aviso aos navegantes e um alerta a DHN”  no blog “Diário do Avoante”, participamos que a falha apontada na carta 1110  foi corrigida no ano passado, por meio do Aviso aos Navegantes E 101/2015 – Folheto 12, pág. 41.
O Folheto 12/2015, no qual está inserido o Aviso, pode ser encontrado no link: 
http://www.mar.mil.br/dhn/chm/box-aviso-navegantes/avgantes/folheto/folheto122015.pdf
Desde já agradecemos pela contribuição e aproveitamos para divulgar o nosso canal de contato com o cliente cartografia@chm.mar.mil.br para futuras consultas, sugestões e críticas, uma vez que nossos processos são exaustivamente testados em busca de falhas e seu tratamento é
realizado a fim de trazer ao navegante o melhor produto cartográfico em prol da segurança da navegação a cada dia.
Respeitosamente ,
HELDIO LOURES PERROTTA
Capitão – Tenente
Captain – Lieutenant
CENTRO DE HIDROGRAFIA DA MARINHA
NAVY HYDROGRAPHIC CENTER
Gerente de Relacionamento com o Cliente
Customer Relationship Manager
“Qualidade na Produção, Segurança na Navegação”
Visite a página da Marinha na Internet –
www.mar.mil.br – onde poderão ser conhecidas as atividades desenvolvidas pela Marinha do Brasil.

Se liga Capitão!

Operação verão 2016

No lançamento da Operação Verão 2016, a Marinha do Brasil anunciou que nos últimos três verões, 70% dos acidentes registrados com as embarcações de esporte e recreio envolveram lanchas e motos aquáticas. Os números da DPC – Diretoria de Portos e Costas – mostram ainda que a negligência, a imperícia e a imprudência dos condutores são as causas determinantes mais comuns dos acidentes, levando a colisões ou naufrágios, recordistas entre a natureza das ocorrências. Veja algumas dicas da autoridade marítima:

1 – Faça a manutenção correta da sua embarcação;
2 – Tenha a bordo o material de salvatagem prescrito pela Marinha do Brasil;
3 – Respeite a lotação da embarcação e tenha a bordo coletes salva-vidas para todos os tripulantes e passageiros;
4 – Mantenha os extintores de incêndio em bom estado de conservação e dentro da validade;
5 – Ao sair, informe o seu plano de navegação ao seu iate clube, marina ou condomínio. Leve sempre algum equipamento de comunicação, por exemplo um celular;
6 – Conduza sua embarcação com prudência e em velocidade compatível para evitar acidentes;
7 – Se consumir bebida alcoólica, passe o timão para alguém habilitado na categoria adequada e que não tenha consumido álcool;
8 – Mantenha a distância de 200 metros das praias e dos banhistas;
9 – Respeite a vida, seja solidário, preste socorro;
10 – Não polua mares, rios e lagoas; 
e eu incluo mais duas

11 – Respeite o limite de 3 nós de velocidade próximo a fundeadouros;

12 – Moto aquática não tem permissão para navegar durante a noite.

De olho nas bandeiras

Código sinais m_sinais_01

Muitas vezes avistamos algumas dessas bandeiras tremulando nos mastros das embarcações, ou pintadas nos costados, e ficamos maravilhados com o colorido que elas proporcionam, porém, muitos nem sabem que cada uma delas tem um significado e fazem parte do sistema de comunicação e sinalização náutica. Cada bandeira representa uma letra e quando várias delas estão juntas representam uma frase e é a base para o Código Internacional de Sinais (CIS), que compreende todo um conjunto de recursos visuais, sonoros, radioelétricos, eletrônicos.

imageimageO Código Internacional de Sinais é referendado pela ONU e tem a assinatura de todos os países membros. Ter o quadro com as 26 bandeiras alfabéticas quadrangulares, a bordo e à vista da tripulação, é uma obrigação de todo comandante. Mas vale um alerta: As bandeiras tem cores e formatos regulamentados pelo CSI e ter um quadro de bandeiras a bordo e fora dos padrões oficiais, representa, no mínimo, um risco a navegação.

 

Se liga capitão!

operacao_verao

A Marinha do Brasil dará início a Operação Verão 2015 sob o comando dos Distritos Navais. Na maioria dos estados a Operação será entre os meses de dezembro e março, porém, algumas regiões, devido a peculiaridades, como Amazônia e Centro Oeste será em períodos distintos. No Rio de Janeiro ela se estenderá até abril. Como acontece todos os anos, a fiscalização será intensificada nas áreas de maior circulação de embarcações e banhistas, com o objetivo de minimizar possíveis acidentes. Fique atento, navegue com segurança, respeite os limites navegáveis e de velocidade e tenha em mente que o principal responsável pela embarcação é o condutor.

Confira dicas da Marinha para evitar acidentes
1 – Faça uma manutenção correta de sua embarcação;
2 – Tenha a bordo todo o material de salvatagem prescrito pela Capitania;
3 – Respeite a lotação máxima da embarcação e tenha a bordo coletes salva-vidas para todos;
4 – Mantenha os extintores de incêndio em bom estado e dentro da validade;
5 – Ao sair, informe o seu plano de navegação ao seu Clube, Marina ou Condomínio;
6 – Conduza sua embarcação com prudência e em velocidade compatível para evitar acidentes;
7 – Se beber passe o timão a alguém habilitado;
8 – Mantenha distância das praias e dos banhistas;
9 – Não conduzir embarcações sem habilitação ou após ter ingerido bebida alcoólica;
10 – Respeite a vida, seja solidário, preste socorro.

Empresário encontrado depois de 66 horas à deriva

Um empresário de Santa Catarina, que estava desaparecido desde Domingo, 11/12, foi encontrado hoje desacordado a bordo de sua lancha de 26 pés, depois de passar 66 horas à deriva no mar. O empresário, que navegava sozinho, saiu da Marina Pier 33 e pretendia fazer uma navegação curta até Jurerê, 15 minutos de navegada. Segundo familiares, ele já era acostumado a fazer esse trajeto e tem a experiência de 10 anos no mar.