O litoral potiguar

20160823_165541280px-RioGrandedoNorte_Municip_CaicaradoNorte.svgEssa praia apetitosa, coalhada de barcos de pesca e com um bonito farol em sua ponta mais vistosa é Caiçara do Norte, localizada no litoral norte do Rio Grande do Norte e distante 149 quilômetros de Natal. Caiçara, como é carinhosamente chamada pelo povo da região, já foi tema de outras postagem aqui, entre elas a que falamos sobre o Farol de Santo Alberto, que rende até hoje bons debates. Aliás, o Farol é tema de calorosas discursões entre os moradores de Caiçara e São Bento do Norte, municípios tão ligados que custa ao visitante identificar onde começa um e termina o outro. Brevemente falaremos mais sobre essa praia que se enche de orgulho em possuir a maior flotilha de barcos de pesca do Brasil. Eita litoral para ter história!

O que é a vida?

idosa-colagem

“…O acaso vai me proteger/Enquanto eu andar distraído/O acaso vai me proteger/Enquanto eu andar…” A música Epitáfio, dos Titãs, é primorosa, e por mais que a cantemos, jamais conseguiremos alcançar as verdades entoadas em sua letra, porque não gostamos de enxergar as verdades. Essa senhora risonha, agarrada com um suculento sanduba x-tudo, em uma mão, e uma cerveja, na outra, é a americana Norma Bauerschmidt, viúva de 91 anos, que em 2015, um mês depois de perder o marido e um irmão, recebeu diagnostico de câncer no ovário, mas em vez de se submeter as agruras da vida e as dolorosas sessões de quimioterapia, decidiu embarcar com o filho e a nora em uma viagem a bordo de um motorhome. O trio já visitou 75 cidades em 26 estados dos EUA e a cada quilômetro percorrido Dona Norma se sente mais feliz. Pois é gente, tem pessoas que por mais que a vida queira lhe mostrar um lado sombrio e tempestuoso, mais elas se tornam felizes e saem pelas ruas a espalhar bons fluidos, esperanças, ensinamentos e reflexões. Eu sou casado com uma Dona Norma, pois Lucia tem o mesmo gene dessa americana arretada, que a cada dia acorda sorrindo para o mundo e jamais se deixa abater. A história dessa baluarte é, como diz o site notícia alternativa:um bom lembrete de que experimentar o mundo novo é a melhor maneira de tornar a vida emocionante.” 

 

Um mar no lixão

imagens-do-dia-mundo-paquistao-bote-meninos-material-reciclavel-20160817-01

Para quem acha que as nossas praias e baías são poluídas, essa imagem publicada no site da revista Veja, seção imagens do dia, é um alento para massagear a autoestima. Porém, nossos erros não se justificam com erros alheios.  A imagem é do porto de Karachi, no Paquistão, onde crianças, a bordo de um bote, recolhem materiais recicláveis.  

Sonhe, acredite e vá

Acho que todo brasileiro, mesmo aquele que nunca assistiu e nem gosta de futebol, lembrará com amargura das duas Copas do Mundo que aconteceram no Brasil. A de 1950 fomos pegos no contra pé pelos deuses do futebol e a nação brasileira chorou diante do triunfo da seleção uruguaia. Em 2014, euforia, alegria, esperança, histerismo, patriotismo, certeza e mais uma infinita lista de substantivos motivacionais deram lugar a uma impactante incredulidade que nos deixou paralisados diante de um time adversário que também não acreditava no que estava acontecendo. O que será que houve dentro das quatro linhas do estádio mineiro que fez calar uma nação, até então conhecida como dona do melhor futebol do mundo? Para mim, que entende de futebol tanto quanto um ermitão entende de carnaval, a resposta não estava naquele estádio e sim, nas maravilhosas águas do litoral de Santo André, no Sul da Bahia. Foi lá, nos redutos do nosso descobrimento, que a seleção alemã foi buscar os elementos para conquistar a Copa do Mundo e consequentemente nos fazer ver que, assim como no cotidiano da vida urbana, política e empresarial, precisamos de líderes inovadores, éticos, integrativos, eficientes, produtivos, comprometidos, adaptáveis e que gerem resultados vitoriosos para o bem comum. Não está nas areias da Praia de Santo André e muito menos nas confortáveis instalações do hotel de sonhos, que a colheu os alemães, a resposta para o acachapante 7 x 1. Talvez, quem sabe, a resposta esteja na forma como eles foram acolhidos pelos nativos e na impressionante interação afetuosa que se deu entre jogadores e a população daquele lindo pedaço de Brasil. Pode ser também que o segredo da vitória tenha passado pelos abraços, apertos de mãos e troca de presentes entre os gringos e os nativos das terras do descobrimento, mas ninguém prestou atenção quando uma Nau modernosa ancorou ao largo, como fizeram os descobridores, e emitiu sinais somente compreendidos pelos visitantes futebolísticos. Os jornais olharam para o veleiro majestoso na linha do horizonte e vislumbraram apenas como mais uma mania exótica dos gringos, não sabendo eles que ali estava sendo forjada a senha para meter a mão na taça. Pois bem, recentemente participei de um curso de Cultura da Liderança, no Sebrae/RN, e, na primeira aula do segundo módulo, foi passado o vídeo que ilustra essa postagem. No vídeo, que fui buscar no Youtube, está contido tudo o que a Seleção Alemã foi buscar a bordo de um veleiro e que serviu, não como meio de transporte para um passeio pelo mar da Bahia, mas como um valioso laboratório motivacional para transformar em eficiência a equipe que chegou sobrando na Copa do Mundo 2014. Se você não acredita, veja o filme.   

  

Energia limpa?

13932733_1123512551045140_950964134181106679_n

Negar os benefícios da energia limpa é difícil, mas justificar dizendo que ela é a redenção para o futuro da humanidade, é um pouco demais diante desses tempos estranhos. Ecologistas, dublês de ecologistas, ONGs, órgãos ambientais e pitaqueiros, batem tambores e emitem sinais sonoros para festejar as florestas de torres de geradores eólicos que se espalham aos quatro ventos pelo mundo. No nordeste brasileiro a energia eólica tem trazido esperanças de melhores dias para pequenos municípios e mudado a vida de muita gente. Imensas áreas são disputadas palmo a palmo por investidores antenados na força dos sopros de éolo. No litoral do Rio Grande do Norte e do Ceará, encontrar uma área desocupada para erguer uma torre eólica é o mesmo que procurar agulha em palheiro. Acho até que tem mais torre do que chão, tamanho é a grandeza do parque já em funcionamento. Os técnicos festejam e anunciam que a energia limpa já responde por 5,8% da produção brasileira e até o Greenpace já canta a bola dizendo que a partir de 2050 o Brasil terá toda a sua matriz energética oriunda das fontes limpas. Quem sou eu para dizer o contrário, mas noto uma cegueira danosa nas palavras dos técnicos e dos ecologistas, porque eles esquecem, ou viram o rosto para não ver, ou se fazem de doidos, ou sei lá o que, de observar e falar do mal, presente e futuro, que os campos de geradores eólicos vem causando as dunas, matas da caatinga, fauna, flora e paisagens brasileiras. As dunas praticamente foram dizimadas do mapa e a caatinga está em terrível e acelerado processo de extermínio. Quem irá pagar essa conta? Vale lembrar que a Caatinga é um bioma exclusivamente brasileiro e seu patrimônio biológico não é encontrado em nenhum outro lugar do mundo. No site do Ministério do Meio Ambiente está escrito assim: “A caatinga tem um imenso potencial para a conservação de serviços ambientais, uso sustentável e bioprospecção que, se bem explorado, será decisivo para o desenvolvimento da região e do país. A biodiversidade da caatinga ampara diversas atividades econômicas voltadas para fins agrosilvopastoris e industriais, especialmente nos ramos farmacêutico, de cosméticos, químico e de alimentos”. Eh, a mistura “científica” entre ecologistas, conglomerados financeiros/empresariais, diretrizes governamentais e interesses multifacetados, dá uma mistura esquisita danada. A imagem que ilustra essa postagem é do blogueiro André Correia, blog Folha de Pedra Grande, e reflete dunas devastadas na praia de Enxu Queimado, litoral norte do Rio Grande do Norte.

10º Regata dos Pescadores da praia de Enxu Queimado

13672246_1119472444782484_211365138_n

A praia de Enxu Queimado, litoral norte do Rio Grande do Norte, estará em festa no próximo final de semana, 13 e 14/08, com a 10º REGATA DE PESCADORES, uma promoção de Pedrinho de Nenê Correia. É uma prova bem disputada, animada, descontraída e todo esse clima se espalha nas areias da praia com shows de bandas da região. O momento mais esperado e divertido da premiação e a volta no burro – Eles enfeitam um burro com tiaras de flores e latas velhas, para fazer barulho, colocam em cima o comandante que se destaca entre os piores, normalmente é aquele que deu a virada mais espetaculosa, e tangem o burrico para um passeio entre os espectadores. Gozação é que não falta! Quem tiver em Natal, ou aproveitando as praias do RN, e estiver a procura de um bom programa para o final de semana, taí uma boa opção. Enxu Queimado é uma das mais belas praias do litoral potiguar e se destaca por manter viva a tradição da pesca artesanal que lhe confere uma das maiores produção de lagosta do Estado. Enxu se localiza a 145 quilômetros da capital e é distrito do município de Pedra Grande. A regata tem apoio da Marinha do Brasil, através da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte. 

Regata Aratu Maragojipe

13912621_927838110677085_9168888714146722775_n

Está chegando o dia da festa maior do Iatismo na Bahia! 47ª REGATA ARATU-MARAGOJIPE. Se você deseja participar, acho bom se adiantar. Informações adicionais veja no site: www.aratumaragojipe.com.br