Tripulação resgatada do veleiro Toumai já chegou ao Uruguai

O velejador baiano Haroldo Quadros, cabra bom da peste, enviou mensagem dando notícias dos tripulantes, dois adultos e duas crianças, do veleiro Toumai, encontrado a deriva a 500 milhas da costa do Rio Grande do Norte. O veleiro foi rebocado por um barco atuneiro até o porto do município salineiro de Areia Branca/RN. O navio Noni, que resgatou a família, já chegou ao Uruguai. O texto está em espanhol.

El granelero participante Amver rescató a 4 personas de un velero en problemas a unas 500 millas de la costa de Brasil el domingo 22 de enero de 2017. Se trata de una familia francesa integrada por dos adultos y dos menores.
La tripulación del Noni escuchó una emisión de radio mayday y notificó al personal de rescate en Brasil y al  centro de Amver. Según el informe desde el Noni, un velero reportaba una falla y el buque  se estaba inundando. La tripulación del Noni estaba a sólo dos millas de distancia y cambió de rumbo para prestar asistencia al velero discapacitado.
Dos horas después de recibir la llamada de socorro, la tripulación de la nave con bandera de Marshall Island estaba a salvo junto al velero y alzaba a los cuatro supervivientes a bordo del buque. Los integrantes del velero llegaron a estar dos días sin motor a la deriva en el Océano Atlántico.
Los supervivientes no estaban lesionados y habían estado en un viaje desde Dakar, Senegal a Brasil cuando reportaron un fallo de motor y agua entrando en el barco. Los supervivientes llegan ayer 31 de enero al puerto de Nueva Palmira.
La llegada de los cuatro náufragos a Nueva Palmira se da porque era el primer puerto que tenía previsto arribar el buque. Hoy tocaban tierra, fuentes consultadas informaron a Carmelo Portal que los mismos tienen pasaporte y van a ingresar al país como pasajeros. Desde ayer intentamos comunicarnos con la Embajada de Francia en Montevideo, pero nadie devolvió la llamada

Mais um para a lista dos grandes feitos do homem

437262_670x446.6666666666667

O sul-africano Chris Bertish, 42 anos, entrou para o seleto grupo dos homens que atravessaram o Oceano Atlântico em um barco a remo e agora pode posar a lado do brasileiro Amyr Klink, que completou a prova há 33 anos. A travessia de Bertish teve início em dezembro de 2016, em Agadir, Marrocos e terminou nas Antíguas 95 dias depois, completando o percurso de 4.050 milhas náuticas. Os planos iniciais do Sul-Africano era chegar na Flórida, porém, sistemas de baixa pressão forçaram a mudança de rumo. Durante a travessia foram arrecadados pelo site de Bertish, milhões de Rands, moeda Sul-africana, em prol de instituições de caridade, porque esse era o real objetivo da aventura. “Nada é impossível a menos que você acredite que seja”, tema repassado ao longo da travessia. Veja a matéria completa no site SupClub

Marinha do Brasil – Nota a Imprensa

IMG-20170313-WA0012Nota da Marinha do Brasil sobre o veleiro encontrado a deriva e sem tripulantes no litoral do Rio Grande do Norte.

MARINHA DO BRASIL
COMANDO DO 3º DISTRITO NAVAL
Natal-RN, 13 de março de 2017.
NOTA À IMPRENSA
A Marinha do Brasil, por meio do Comando do 3º Distrito Naval, informa que tomou conhecimento que, na última quinta-feira (9), foi localizado um veleiro, à deriva, a 500 km de Areia Branca, com inscrição “Toumai” no casco. A embarcação está atracada no cais da Companhia Docas do Estado do Rio Grande do Norte, em Areia Branca.
No 22 de janeiro de 2017, o Navio Mercante “NONI”, de bandeira das Ilhas Marshall, informou que, ao receber o sinal de socorro do veleiro francês “Toumai”, a cerca de 1000km da costa do Brasil, resgatou seus 4 tripulantes e seguiu viagem para Nueva Palmira-Uruguai.
A Agência da Capitania dos Portos em Areia Branca instaurará Inquérito Administrativo para apurar as causas e responsabilidades pelo ocorrido e adotará os procedimentos previstos pela Diretoria de Portos e Costa no tocante às coisas ou bens perdidos em águas sob jurisdição nacional.
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO COMANDO DO 3º DISTRITO NAVAL

Pescadores do RN encontram veleiro a deriva e sem tripulação

whatsapp_image_2017-03-13_at_14.44.24O site de notícias G1 RN, dá conta que um veleiro a deriva, desmastreado e sem tripulação, foi encontrado nesta segunda-feira, 13/03, por pescadores a 150 quilômetros da costa do Rio Grande do Norte. O veleiro está sendo rebocado por um barco atuneiro para o porto do município de Areia Branca, litoral norte potiguar.

De olho no tempo

mapservOs relatórios dos institutos meteorológicos estaduais indicam inverno normal para o nordeste do Brasil, que sinceramente não sei o que eles querem dizer com esse normal, mas pelas plagas de Pedra Grande/RN, o que observo são nuvens carregadas, relâmpagos pelo poente e chuvas que bem que poderiam ser mais anormais. A terra continua seca, o gado sofrido que só vendo e as plantações pedindo aos céus para que as deixem vingar. As notícias que chegam do lado de lá, é que tem caído muito chuva pelo sertão do Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará e estados da região Norte, porém, na Bahia do maravilhoso sincretismo religioso, São Pedro está com uma dívida quase impagável. Pelo Sul e Sudeste a natureza como sempre vai de um extremo a outro num piscar de olhos e, neste domingo, 12/03, até um tornado apareceu para tocar o terror na gaúcha São Francisco de Paula, munícipio de pouco mais de 20 mil habitantes, com ventos acima de 100 quilômetros por hora. No Paraná, notícias que chegam do mar dão conta de ventos acima de 40 nós o que deixou alguns velejadores com a careca brilhando de suor. No Centro-Oeste, tirando a “tempestade” que não deixa Brasília sossegar, o cerrado anda bem chovido. E a previsão do CPTEC/INPE para abrir a semana é assim:     

Pancadas fortes de chuva no MA, SP e em grande parte das Regiões Norte e Centro-Oeste
Nesta segunda-feira (13/03), a frente fria se deslocará de forma oceânica e deverá deixar o tempo com muitas nuvens e chuva com caráter mais constante, mesmo que de fraca intensidade, desde o leste de SC ao leste de SP. Áreas de instabilidade contribuirão para ocorrência de pancadas de chuva localmente fortes em grande parte da Região Norte, no centro-norte do MA e do PI no MS, extremo norte do PR e centro-oeste de SP.

  

Comentário sobre a onda potiguar

Point de surf no RN. Crédito Rogerson BarrosoComentário, na postagem Surf em alto mar no Rio Grande do Norte, do velejador e construtor naval maranhense Sérgio Marques, estaleiro Bete Vento.

Amigo Nelson, pode apostar que é na Urca de Tubarão, pouco antes de Galinhos para quem vem do Norte. Uma ocasião no meu catamarã Sterna P vindo do Maranhão muito fora e cansado de tanta orça resolvi arribar para o pernoite em Galinhos. Justamente entre duas urcas fui surpreendido por uma onda dessas imensas, não tive outra opção senão continuar surfando no catamarã de 40 pés com vento quase a popa 120¤ numa velocidade superior a 20 nós. Isso sem nenhuma embarcação por perto, se tivesse atravessado com certeza que ficaria com as quilhas pra cima.
Foi um surf e tanto e um imenso susto. Mas Cheguei inteiro a Galinhos.
Depois, comentei com pessoal em Natal e Cabedelo dessa onda de surf em alto mar do litoral do Rio Grande do Norte, mas escutaram com desconfiança. Mas fiquei intrigado com esta onda.
Em 2007 com o mesmo catamarã BV 40 , o Sterna P., lá víamos do Maranhão para participar da Refeno, então desta vez intencionalmente queria encontrar novamente com esta onda surpreendente. Velejava bem fora das Urcas, tinha no GPS a marcação dessa Urca e refiz o caminho, vento fresco da tarde, boa velocidade mas até aí tudo bem, quando em cima das 14 h avistei os arrecifes da Urca e subitamente lá veio a minha onda. Novamente um prolongado Surf de alto mar!
Com certeza essa onda nos dias de ventos fortes e marés baixa, ela vai sempre aparecer.
Observe na carta, vem de 400 metros de profundidade, sobe para 200, 60 e na Urca a profundidade por onde passei tinha menos de 4 metros de profundidade, como não ia formar uma ondas daquelas.
E tenho as testemunhas para confirmar. Bons Ventos.
Sérgio Marques

Surf em alto mar no Rio Grande do Norte

Point de surf no RN. Crédito Rogerson Barroso

Desde que enveredei pela vida no mar a bordo de um veleiro, não canso de afirmar, e sem medo de errar, que o litoral brasileiro tem belezas e riquezas difíceis de serem encontradas em outros lugares do mundo, porém, infelizmente, ou felizmente, não sabemos aproveitar e nem procuramos saber. Talvez seja até melhor, porque assim retardaremos o violento processo de agressão a algumas das muitas maravilhas da natureza que existem em nosso território. Dia desses, navegando nos mares da internet, me deparei com uma matéria, de novembro de 2015, no site Surfar, em que falava de um segredo em alto mar localizado no mar do nordeste. Pela bela imagem acima, que também abre a matéria da Surfar, fui devorado o texto em passos lentos, na tentativa de descobrir onde ficava o tal segredo, já que era no litoral do Rio Grande do Norte. Pelas imagens que se seguiam ao texto, logo percebi que a base da “expedição” era a península de Galinhos e o segredo devia estar situado em alguma das urcas em frente aquele pedaço de paraíso. Mostrei as fotos ao amigo de fé e pescador Manoel Correia, da praia de Enxu Queimado/RN, conhecedor como poucos dos segredos daquele mar, e ele disse que das duas uma: Ou seria a Urca do Tubarão, ou a Urca da Pedra Seca, porém, ele apostava no Tubarão. E Manoel disse mais: De Enxu Queimado a Galinhos existem várias urcas que oferecem todas as condições para a prática do surf da melhor qualidade, inclusive, na Urca da Cotia, em frente a Enxu e a 8 milhas da costa, as ondas são mais perfeitas e maiores do que no Tubarão e na Pedra Seca – conhecida também como Urca das Oliveiras. Marquei com ele para ir até lá e em breve mostrarei as fotos e comentarei o que vi. Pois é, o litoral brasileiro tem pareia não! Veja a matéria da Surfar no link sublinhado.