Arquivo da tag: chuvas

De olho no tempo

mapservEssa é a imagem enviada pelo Satélite GOES 16, que ainda está em fase de teste, mas  que já envia informações precisas de como está o tempo em nosso planetinha azul. O boletim do CPTEC/INPE diz que:   Nesta terça-feira (30/05), a chuva persiste em parte do leste do Nordeste e o tempo também continuará instável em boa parte do Sul do Brasil. Nestas regiões, novamente, haverá condição para elevados volumes acumulados de precipitação ao final do dia. Em GO, centro e oeste de MG, oeste da BA, centro e norte de SP e sul do TO a umidade deverá ficar abaixo de 40%. Para quem vai ao mar é bom observar os procedimentos de segurança e os equipamentos de salvatagem, porque as ondas estão com agitação moderada e com altura entre 2 e 2,5 metros, que numa situação de instabilidade meteorológica, a coisa pode mudar de humor de uma hora para outra. 

De olho no tempo

mapservDepois de um feriado prolongado e com chuvas fartas e molhadeiras em boa parte do Norte, Nordeste e Centro-Oeste, mas bem que São Pedro poderia manter uma melhor regularidade, a semana promete iniciar com as torneiras do Céu abertas. Quem acreditou e cortou a terra na esperança de colher uma colheitazinha, está rindo a toa, pois as plantinhas estão vingando. O povo do mar também anda animado e as jangadas tem chegado ao porto com os cestos carregados, porém, os alísios começaram a acelerar o passo. Para quem não está familiarizado com os gráficos dos centros meteorológicos, como o do CPTEC/INPE colado aí em cima, as manchas azuis anunciam chuva, as amarelas mais chuva ainda e o vermelho é para sair de baixo.

Tempo instável no centro-norte do Brasil
A segunda-feira (24/04) será de pancadas de chuva a qualquer momento em grande parte da Região Norte assim como em pontos do norte de MT e de GO, noroeste de MG e grande parte do MA. Em alguns pontos desta faixa a precipitação poderá ser intensa e vir acompanhada de descargas elétricas. Na faixa litorânea entre o MA e PE o dia também será de nebulosidade e pancadas de chuva a qualquer momento que poderão gerar acumulados significativos de precipitação em alguns municípios. Entre o leste de MG, no ES e no sul da BA o dia será chuvoso e a persistência da precipitação poderá gerar acumulados expressivos ao final do dia. Entre a tarde e a noite voltarão a ocorrer pancadas de chuva no oeste e sul do RS.
Obs: Texto referente ao dia 23/04/2017-17h05 – Cptec/Inpe

Cartas de Enxu 11

3 Março (7)

Enxu Queimado, 19 de março de 2017

Fernando meu amigo, como vão as coisas por aí nesse dia de São José? Por aqui estou com um olhar que beira o pessimismo, porque sempre ouvi falar que quando não cai chuva boa no dia do Santo anunciador de esperança, a vida tende a ser difícil para os lados do sertanejo, como se já não fosse sempre, pois sertanejo é povo sofrido, mas trabalhador que só vendo. Quando eu andava pelo meio do mundo aboletado em um veleiro, as esperançosas chuvas de 19 de março passavam meio que despercebidas, apesar de ser uma data em que os ventos vindos do Sul começam a tomar gosto e era chegada a hora de rever rotas e aprimorar as regras de navegação, pois vento do quadrante das terras geladas são malcriados que só vendo, pelo menos para quem navega pelos maravilhosos mares nordestinos é assim.

Mas continuando na mesma linha da esperança, continuo apostando pesado que o inverno será mais invernoso do que o dos últimos cinco anos, e tem que ser, porque faz tempo que São Pedro não lembrava do Nordeste e nesse 2017 ele de vez em quando abre uma torneirinha mais à vontade. Só espero que ele não venha com a aquela normalidade tão anunciada pelos homens que estudam o tempo, pois sendo assim o milho de São João não vinga. E por falar em milho, pois num é que me arvorei a espalhar uns leirões pelo terreno da nossa cabaninha de praia e lá plantei feijão, inhame, batata doce e milho. Lucia pegou gosto e ainda fez uma horta com coentro, cebolinha, alface, espinafre, tomate e mais um bocado de coisa boa. A fartura vai ser grande e já estou preocupado com o tamanho do caminhão para carregar a produção. Se for pequeno, não dá! Não ria que a coisa é séria!

Meu amigo, estou curtindo essa nova vida meio praieira, meio do campo, porém, juro que a saudade do veleiro é grande e tomara um dia voltar para o seio de Iemanjá e seu reinado acolhedor. Tem quem diga que em terra a vida é mais segura, mas eu os perdoo, pois eles não sabem o que dizem.

Sim, diga aí como vai Dona Marta, espero que tudo esteja nas mil maravilhas e até prometemos tomar um vinho ao sabor de um gostoso bate papo. E por falar em bate papo, você tem visto como anda as coisas pelas terras da ordem e do progresso? De ordem eu não tenho visto muita coisa e de progresso, ainda estão nos devendo, é com juros. Ei a conta é grande! Estamos caminhando igualmente aqueles jogos que mandam pular uma casa e na jogada seguinte os dados mandam retornar três. Rapaz, está complicado. Você já viu o cara soltar uma ruma de caranguejo na calçada, para tanger? Meu amigo, num é serviço bom não, viu! Pois assim está sendo escrita as recentes páginas de nossa história. Porém, os intelectuais apostam que é assim, e assim será! E por falar em intelectual: Você viu quantos tem espalhados por esse Brasil de meu Deus? Dia desses vi uma lista que fiquei espantado com as figuras que colocaram o jamegão. Bordo!!!

Meu doutor, o que você me diz dessa minha mania de fazer um churrasquinho básico? Será que ainda dará quórum para aquelas picanhas suculentas? Homi, colocaram até a cervejinha gelada na fritura. Agora condenou tudo! A carne é podre e já inventaram que colocam tanta milacria na cerveja que sei não, viu! Até pombo moído! Vots! Mas também, o que danado aqueles pombinhos vão fazer na boca de um sugador de cereais? Será brincadeira de roleta russa? Sei lá, cada pombo com sua mania, né! Sim meu amigo, e as águas do Velho Chico? No começo todo mundo protestava diante do projeto e até um bispo quase morre de fome, agora cada um que queira assumir a paternidade da criança. Como diz o velho sábio: Casamento quando é novo tudo é bom, o problema é quando surgem os arranhões. E eu ainda estou para ver uma obra nas terras dos pindoramas que não esteja corroída nas estruturas. Quando surgir o primeiro processo de “pensão alimentícia” aí sim, veremos quem é o pai dessa transposição. Por enquanto é só festa, falatório e banho de rio.

Rapaz, ontem à noite fizemos mais uma rodada de escaldaréu, na beira da praia, e o bicho estava bom que só a peste. Era para o comandante Flávio, mas ele mordeu a corda e não apareceu, sendo assim, e já que estava programado, metemos o sarrafo na panela e fomos dormir de bucho cheio.

Caro amigo Fernando Luiz, estamos sentindo a falta de vocês por aqui e é sempre uma alegria tê-los sob o teto de nossa cabaninha. Apareçam mais vezes que prometo servir, além dos deliciosos pescados saídos das águas de Enxu, umas deliciosas saltenhas produzidas por Lucia, que por sinal são divinas. As encomendas não param e estou até ensaiando pedir um salário de degustador e um auxíliozinho extra para justificar e reparar o aumento da protuberância na barriga.

Até mais ver.

Nelson Mattos Filho

Proteção contra raios

2 Fevereiro (4)

A chuva, raios e trovões que castigou Salvador/BA na última Quinta-Feira,22/05, trouxe também alguns prejuízos e reacendeu uma velha preocupação no meio náutico, quando um raio despejou sua energia sobre o fundeadouro do Aratu Iate Clube danificando equipamentos de alguns veleiros e deixando muita gente de orelha em pé. Diante disso, o velejador Sérgio Netto nos enviou algumas recomendações, entre elas um indicativo de uma página da West Marine, onde ele diz assim: 

Na página: www.westmarine.com /WestAdvisor/Marine-Grounding-Systems,  vc tem as recomendações diversas, não só para proteção contra raios, mas para evitar problemas de corrosão.

Mas essencialmente a proteção contra raios nos veleiros é obtida fazendo um caminho condutor o mais direto possível entre o mastro e um terra na água, e conectando a este “eixo” as principais massas metálicas do barco. Dessas, as mais importantes são os tanques metálicos de água e combustível. O motor-redutor/rabeta ou eixo também, mas estes tem o aterramento garantido pela imersão da rabeta, ou em menor grau pelo sistema pé-de-galinha. Se estiver ancorado, a corrente metálica aterra o guincho de forma eficiente (filame de cabo não garante).

Quem tem quilha metálica (mesmo que revestida com polímeros, tinta, etc, deve usar a quilha como terra principal.

Quem não tem quilha metálica (catamarãs com bolina, etc.) pode usar uma placa de pelo 30×30 cm no casco, além do conjunto hélice-eixo-pé-de-galinha, ou rabeta.

No Delta 36, o mastro é conectado eletricamente à coluna de sustentação. Do pé desta a um parafuso da quilha são poucos centímetros, é só conectar com um cabo adequado (veja a norma; eu conectei o meu com um cabo de uns 5 mm de diâmetro (o mínimo recomendado AWG 8 tem um diâmetro de 3,3 mm).

Previsões provisórias

mapservMeteorologistas reunidos em Recife/PE nos dias 20 e 21 de Março chegaram a uma conclusão que duvido muito existir algum mortal que entenda a não o que já estamos acostumados a ver. Veja reportagem copiada das páginas online do jornal Tribuna do Norte:

Meteorologistas do Nordeste atualizam as previsões climáticas

Os meteorologistas do Nordeste estiveram reunidos nos dias 20 e 21, em Recife, para uma nova previsão climática da região, para o período de abril a junho. O Rio Grande do Norte esteve representado através da equipe da Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN). A previsão mostrou uma tendência para chuvas próximo da normalidade no período de abril a junho de 2014, tanto para a região norte como para o setor leste da região Nordeste.
Assim, com as análises dos parâmetros climáticos globais referentes ao mês de fevereiro de 2014 e os resultados dos principais modelos oceânicos/atmosféricos, existe uma tendência de que as chuvas para os setores Norte e Leste da região Nordeste do Brasil, durante os próximos três meses (abril, maio e junho de 2014), variem entre normal a acima da normalidade, com grande variabilidade temporal e espacial, conforme os seguintes percentuais: Normal: 45%; Acima do Normal: 35%; Abaixo do Normal: 20%. Lembrando que como poderão haver mudanças referentes aos parâmetros oceânicos/atmosféricos durante as próximas semanas, principalmente no Oceano Atlântico, é de extrema importância um monitoramento contínuo nessas regiões que possam inserir algumas mudanças no atual prognóstico.
No primeiro momento da reunião, os Estados apresentaram as condições pluviométricas referentes ao mês de fevereiro e a primeira quinzena de março de 2014, destacando a ocorrência de chuvas na categoria próxima da normalidade para os estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba. Para os Estados de Pernambuco e da Bahia, enquanto que no setor leste a chuva ocorrida apresentou bons índices acumulados, no interior as chuvas apresentaram uma irregularidade bastante acentuada, evidenciando a predominância de chuvas na categoria abaixo do normal.
De acordo com o relatório final, “na primeira quinzena de março, as chuvas associadas à presença da Zona de Convergência Intertropical apresentaram uma melhor configuração, tanto nos volumes como na distribuição, principalmente nos Estado do Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba. Com relação à condição hídrica, as chuvas ocorridas até o momento ainda não provocaram mudanças significativas nos níveis de armazenamento de água nos principais reservatórios, prevalecendo alta deficiência no armazenamento de água nos principais reservatórios na região semiárida, que atualmente apresenta um armazenamento em torno de 25% a 30% da sua capacidade máxima”.
Em seguida, os meteorologistas apresentaram os parâmetros atmosféricos que influenciam diretamente na ocorrência de chuvas na região, com destaque à condição de temperatura das águas superficiais dos oceanos Atlântico e Pacífico. Essa variável, mesmo apresentando um comportamento próximo do normal, tanto no Atlântico Norte como Atlântico Sul continuou apresentando evolução favorável em relação aos meses anteriores, com o Atlântico Norte mais frio do que o Oceano Atlântico Sul.   No oceano Pacífico, as águas continuaram apresentando anomalias negativas em tono de 0,5ºC, evidenciando uma condição de neutralidade.  A próxima reunião, no mês de abril, será realizada em Maceió, com data ainda a ser definida.

Chuvas fortes e mar agitado no litoral brasileiro

imagem (1)

O tempo não promete boa vida para quem pretende navegar durante o fim de semana pelo litoral brasileiro e o mar deve seguir a mesma regra. Pelo menos é o que diz as informações do CPTEC/INPE.

Frente Fria favorece a ocorrência de chuva em SP e no MS
Hoje (12/07) uma frente fria avança entre SP e MS e deixa o dia com pancadas de chuva a qualquer hora na faixa central de SP. Em grande parte do PR (exceto o sudoeste) e no nordeste de SC o dia é com chuva pela manhã, melhorando no fim do período. No leste entre SC e o RS ainda pode chover fraco, com chance de neve nos pontos mais altos. Nas demais áreas do Sul do Brasil há variação de nuvens com períodos de sol e as temperaturas estarão baixas. No norte de MS e de SP a chuva virá a partir da tarde. No interior da Região Nordeste o dia terá variação de nebulosidade. Devido aos ventos que sopram do oceano há formação de nebulosidade entre o RN e AL, onde há condição para chuva, na faixa litorânea desses estados a previsão é de chuva a qualquer momento e localmente forte em alguns períodos. No Recôncavo Baiano chance de chuva fraca. Na faixa centro-norte da Região Norte e no oeste do MA ocorrerá pancadas de chuva isolada e localmente forte, devido ao calor e alta umidade do ar. Nas demais áreas do Brasil o dia será de sol e poucas nuvens.
Obs: Texto referente ao dia 12/07/2012-12h09

Agitação marítima:
Quinta-feira (12/07):
O mar encontra-se menos agitado entre o litoral do ES e RN, porém ainda observa-se ondas de até 2,5 metros em oceano aberto. Ondas de até 3 metros também observam-se em oceano aberto, na altura da costa do RS, SC e PR.
Sexta-feira (13/07):
Os ventos fortes deverão deixar o mar ainda mais agitado em oceano aberto, na altura do RS e SC, onde poderão ser observadas ondas de até 4 metros. As ondas deverão propagar-se paralelas à costa (de sudoeste). No norte, o mar também ficará agitado entre o litoral de SE e PB com ondas por volta de 2 metros de altura. Com o decorrer do dia, a agitação marítima poderá atingir o litoral norte de SP e sul do RJ com ondas vindo de sudoeste com alturas por volta de 2 metros.
Sábado (14/07):
As previsões mostram o mar menos agitado no litoral norte de SP e sul do RJ. Por outro lado, o mar continuará muito agitado em oceano aberto, na altura do RS com ondas propagando-se de sudoeste com alturas de até 4 metros. O mar também continuará agitado no litoral Nordeste com ondas acima de 2 metros. Com o decorrer do dia, a agitação marítima ficará ainda mais intensa numa ampla região do oceano, ao sul de 28S . Ondas acima de 2,5 metros se propagarão paralelas ao litoral do RS e sul de SC. No final do dia, haverá alta possibilidade da ocorrência de ressacas no litoral sul do RS.
Texto elaborado por R. Camayo.

Obs: Texto referente ao dia 12/07/2012-10h58

O MUNDO EM EBULIÇÃO

Parece que a Terra resolveu se manifestar diante de tanta loucura e descaso de nossa parte. O Haiti quase virou pó por causa de um terremoto e até hoje conta os mortos. O Chile que na semana passada foi sacudida, abalada, inundada e ainda conta as perdas de um terrível terremoto, hoje entrou novamente em pânico com novos tremores, dessa vez um pouco menores, e com avisos, não confirmados, de novas tsunamis. Ondas oriundas das águas chilenas, atravessaram o Pacifico e foram estourar na costa do Japão e ilhas vizinhas causando muito medo.  Chuvas e ventos fortes abalam os argentinos e também o sul e sudeste do Brasil. Geleiras se soltam dos polos e ameaçam modificar as correntes marinhas. Calor acima da média atinge os Estados do nordeste brasileiro. Apenas para falar de minha cidade, Natal esta pegando fogo, apesar de uma leve brisa marinha que sopra sobre o litoral. Os cientistas já alertam que os terremotos do Chile alteraram o eixo do planeta numa fração tão pequena que em 1000 anos vamos ter uma diferença no relógio de 1 segundo. Não parece uma coisa tão insignificante quando se trata do planeta onde moramos. A Terra esta em ebulição e nada da tecnologia que dispomos hoje pode conter sua fúria. Não somos nada diante do poder da natureza!