Arquivo da tag: vatapa

Na Bahia não tem somente caruru, vatapá e acarajé

Foto0059

É mesmo, deram um boa garfada nessa delícia de Salame de Polvo antes de bater a foto. Isso mesmo, Salame de Polvo. Mas vai ter quem se lembre que certo dia já postei aqui falando sobre ele, click AQUI e veja. Porém, nunca é demais falar das comidinha gostosas que degustamos nos botecos dessa vida tão boa. Adoramos conhecer novidades gastronômicas nos lugares em que passamos e por conta disso já pagamos muitos micos, mas nem por isso deixamos de seguir a intuição e na grande maioria das vezes saímos satisfeitos. 

Foto0062

Pois bem, essa iguaria a gente encontra na Cantina do Jullius, que fica localizado em uma das ruas que cercam o Largo de Roma, na Cidade Baixa da capital baiana. Não faz pouco tempo que estivemos lá, mas também não faz tanto tempo assim para ter deixado a foto com cara de antigamente, foi apenas para tirar onda. Estivemos lá no começo do ano, logo que voltamos a Bahia, acompanhados dos amigos Márcia Machado, Vera, Davi Hermida, Kalina Palma e Nelsinho, meu filho e o gordo mais fofo do mundo. Sim, mas por que somente agora estou fazendo essa postagem? É que as imagens estavam perdidas em algum cantinho isolado do meu computador e somente agora consegui resgatar.

Foto0053Foto0054Foto0058Foto0060O Boteco do Jullius é mesmo um lugarzinho bem original e vale a pena meter os pés pelas mãos, acionar o GPS do carro e sair em busca dos sabores da casa que são muitos. Só mais um detalhe: Se for até lá não esqueça de nos convidar.

Anúncios

Mais uma do caderninho de receitas do Avoante

 uma noite baiana (2)

Não me levem a mal se vocês procuram o nosso blog com o intuito de se aprofundar nos assuntos de velejadas em um barco de oceano, ainda mais sabendo que moramos a borco do Avoante há vários anos, mas tem alguns assuntos que tenho a obrigação de contar por aqui e a gastronomia é um deles. 

 uma noite baiana (3)

A moqueca baiana entrou no caderno de receitas do Avoante desde a hora em que aportamos com o Avoante em frente a ilha de Campinho, na belíssima baía de Camamu/BA, em janeiro de 2005, início de nossa jornada a bordo. Por falar em Camamu, aquilo lá é o lugar mais bonito do mundo.  Mas nesse post eu não vou contar mais nada além disso, pois já estou com um delicioso texto saindo do forno. Por enquanto vou apenas encher os olhos de vocês com essa noitada baiana que Lucia preparou na casa dos amigos Sandra e Vinício Gama em que até eu fiquei surpreso. O vatapá estava muito acima da média! 

Nessa panela de barro estava a moqueca de Peixe com Camarão de fazer inveja a muita baiana arretada.

 uma noite baiana (6)

A cara de Vinício, enquanto Sandra preparava o prato, era de quem pensava assim: Pelo amor de Deus, isso está bom demais!

 uma noite baiana (7)

Mais satisfeitos estavam Iraneide e Eudes, apreciadores de carteirinha das receitas de Lucia.

 uma noite baiana (9)

E para deixar esse post com uma imagem de dar água na boca, como fazem os grandes chefes de cozinha, ai está a foto do prato pronto que eu não me cansei de reperir algumas vezes.

Os dias que se seguem as regatas

costela gaucha (2)costela gaucha (14)costela gaucha (25)costela gaucha (26)costela gaucha (27)costela gaucha (30)costela gaucha (32)noite baiana (1)noite baiana (3)noite baiana (4)noite baiana (6)noite baiana (8)noite baiana (11)

As regatas Fernando de Noronha/Natal e Circuito de Vela do Rio Grande do Norte 2011 passaram, mas deixaram nos seus rastros uma sequência de comemorações e um rigoroso regime de engorda para os tripulantes que ainda se encontram em Natal. Os velozes competidores já tomaram o rumo de casa, mas a turma de cruzeiristas, e aqueles que não tem tanta pressa assim de irem embora, não perdem tempo e não deixam que os dias passem em branco. E tome festa e tome mais peso na balança! Foi assim que na última Quarta-Feira, 12/10, e Quinta-Feira,13/10, a turma se reuniu e mandou ver. Na Quarta foi a vez de uma Costela, no melhor estilo gaúcho, promovido pelo velejador José Zanella, que está a bordo do veleiro Amazonas.  A Quinta a noite foi com a benção de todos os Santos que protegem a Bahia do Senhor do Bonfim, com uma mesa de Vatapá, Caruru e Xinxim de Galinha  produzido pela velejadora baiana arretada Catarina, esposa do comandante Hugo Vidal, veleiro Maruja. As fotos acima servem para duas coisas: Para não me deixar mentir e para deixar você com um gostinho na boca.