Arquivo da tag: tráfico de drogas

Sequestro no mar de Portugal

img_0610O mar sempre ofereceu ao homem maravilhosos cenários poéticos, mas por outro lado, é, foi e sempre será, palco de tenebrosas e cabeludas histórias. Filmes e livros floreiam endiabrados piratas  com cores e gestos tão suaves e românticos, que chega a dó  ver cenas das agruras que se derramavam sobre eles quando eram pegos com a mão na botija. – Ei, e não é assim até os dias de hoje, quando abençoamos a malfeitura de alguns meliantes? – Deixe quieto! A verdade é que a pirataria continua ativa, extremamente ativa, mesmo sem as confirmações oficiais. Os casos que mais fazem sucesso nas manchetes mundo afora, são os que chegam da costa da Somália,  onde bandos mal armados, mal alimentados e que mal sabem o que querem, a não ser uns amealhar uns trocados para alimentar o bolso de líderes criminosos, fantasiados de renegados com discursos ideológicos na ponta da língua. Chega a ser hilário ver o “trabalho” de poderosas forças navais trocando pipocos com meia dúzia de somalianos a bordo de uma tosca canoa. – Vixi, lá vou eu saindo do rumo! – AJUSTAR VELAS! – Pronto, voltei ao rumo da prosa, mas onde era mesmo que eu estava? – Ah, sim, tentando aumentar um ponto em um conto. Pois bem, os sites de notícias, entre eles o Almanáutica, dão conta que nos últimos dias de junho de 2018, a Marinha portuguesa foi acionada pela Polícia Judiciária, para resgatar um velejador francês, que informou a um amigo, via SMS, ter sido sequestrado e obrigado a seguir com o veleiro para alto mar, para receber um carregamento de drogas. A Marinha dos patrícios, numa ação rápida, conseguiu interceptar o veleiro, fez a abordagem e dois policiais da Polícia Judiciária subiram a bordo para dar voz de prisão ao sequestrador. Segundo as autoridades, a intenção do meliante era levar droga, que seria embarcada em alto mar, para o Marrocos. Em poder do pirata sequestrador, os homens da lei encontraram a bagatela de € 350.000. Ora pois, será que era para comprar peixe?                

Anúncios

Histórias tristes da vela

boxe-ronald-1Histórias de pessoas que cruzaram suas vidas com a crueza alucinante do tráfico de drogas é um poço de desejos para escritores e roteiristas de filmes. Foi assim com a alemã Christiane F, com a mexicana Teresa Mendonza, com o colombiano Pablo Escobar, com carioca Guilherme Estrela e tantos outros que viraram personagens reais de uma triste e infeliz história. Agora é a vez do velejador carioca Ronald Soares, que viveu grande parte de sua vida a bordo de um veleiro a serviço do tráfico internacional, até ser preso e condenado na Inglaterra, em 1999. O brasileiro, que ficou conhecido como O Economista, teve participação ativa no tráfico e chegou a amealhar mais de 7 milhões de dólares, valor integralmente confiscado pela justiça inglesa depois que foi condenado a 24 anos de prisão, 12 dos quais em prisão da Inglaterra. O Economista foi beneficiados por acordos entre os dois países e foi extraditado para o Brasil, onde cumpriu parte do restante da pena e foi liberado por bom comportamento – coisas da nossa infindável benevolência. Pois bem, a história de Ronald Soares, que transportou ou ajudou a transportar, toneladas de drogas para a Europa, rendeu o livro Tudo ou Nada, de Luiz Eduardo Soares, e tudo indica vai parar na telona. Fonte: blog Histórias do Mar       

Esperança para os velejadores presos em Cabo Verde

csm_csm_veleja001_f1fe9298c5_30794d67b3O caso dos três velejadores brasileiros e um francês, tripulantes do veleiro Rich Harvest e condenados no arquipélago de Cabo Verde, a dez anos de prisão, por tráfico internacional de drogas, ganhou mais um capítulo e com boas perspectivas de um final feliz para os quatro velejadores. A polícia espanhola prendeu na última sexta-feira, 15/06, um foragido da justiça, acusado de tráfico internacional de drogas, e acredita que o mesmo seja um dos proprietários do veleiro. O francês e os brasileiros sempre juraram inocência e com a prisão do suposto proprietário, esperam que o processo seja revisto.

Relembre o caso: A Lição; E afinal; Velejadores brasileiros são condenados em Cabo Verde 

Veleiro holandês apreendido com drogas em Fernando de Noronha

NORONHA

A Ilha de Fernando de Noronha foi palco no último final de semana, 02/08, de uma operação internacional, comandada pela Marinha do Brasil e Polícia Federal, de combate ao tráfico de drogas. O veleiro Rody, de bandeira holandesa, comandado pelo holandês Raymond Knobbe, 48 anos, que estava sendo monitorado pela Agência Nacional de Crimes da Grã-Bretanha (NCA), foi localizado ainda em alto mar pelo Navio Patrulha Macau e orientado para seguir para o Porto de Santo Antônio, na Ilha. Na revista a bordo, foram encontrados 11,5 quilos de cocaína escondida em um compartimento na popa. Agora o holandês vai pagar pelo crime, e os pecados, em uma prisão pernambucana. Infelizmente o mar do Brasil há muito faz parte da rota internacional do tráfico e cada vez mais veleiros são utilizados para esse fim.