Arquivo da tag: resgate

Marinha do Brasil resgata velejador atacado por tubarões

NAPA MACAU

A Marinha do Brasil, através do comando do 3º Distrito Naval, realizou o resgate na noite de 30 de Janeiro, de um tripulante do veleiro Ad Infinitum, de bandeira não informada, depois que a embarcação foi atacada por um cardume de tubarões a 1.000 quilômetros do litoral do Rio Grande do Norte. O Navio-Patrulha Macau, sediado na Base Naval de Natal, foi deslocado para o local e recebeu apoio de um helicóptero sediado em Salvador/BA. Na tarde do dia 28 a Marinha recebeu aviso da Guarda Costeira da Holanda, que o veleiro, com um tripulante, havia emitido sinal de socorro. O tripulante, identificado como Ebrahim Hemmatnia, relatou que a embarcação foi atacada por um cardume de tubarões, provocando avarias no leme e escotilha, deixando-a à deriva. O Navio-Patrulha Macau realizou contato com o  barco de pesca “OULED SI MOHAND”, da empresa “Europesca”, que se encontrava próximo ao veleiro, e este resgatou o tripulante, prestando apoio até a chegada do Navio-Patrulha. Fonte: Tribuna do Norte   

Anúncios

Veleiro Tunante II – Esperanças renovadas

 Navegando pelo site Popa.com.br, vejo que familiares e amigos dos tripulantes do veleiro argentino Tunante II, desaparecido há mais de dois meses nas águas do Atlântico Sul, continuam esperançosos. Recentemente a filha de um dos tripulantes postou em sua página no Facebook que o veleiro foi encontrado através de uma imagem original fornecida pela InfoSat e analizado por especialistas que comprovam a veracidade. Os familiares tentam convencer as autoridades a irem até o local indicado pelos satélites. Veja mais no Popa.com.br

VELEJADORA SOLITÁRIA FOI LOCALIZADA

A velejadora Abby Sunderland que estava desaparecida no oceano Austral foi localizada na manhã de ontem,11/06 pelo, avião que havia sido deslocado para tentar localizá-la. Aparentemente tudo vai bem a bordo do Wild Eyes e a velejadora de 16 anos, que tentava dar a volta ao mundo em busca do recorde de ser a pessoa de menor idade a realizar o feito, parece esta bem de saúde. O mastro esta quebrado, mas o barco ainda navega. Um pesqueiro francês que estava a mais de 1,5 mil milhas de distância conseguiu receber os sinais de socorro de Abby e já navega para tentar o resgate. As condições meteorológicas da região ainda são bastante desfavoráveis, mas com leve tendência a melhorar.

OPERAÇÃO CHUTE NO TRAZEIRO

Navegando no site da Revista Náutica me deparei com um caso que é um alerta para todos aqueles que tem o mar como paixão e que é mais um dos muitos exemplos de auto-confiança. Como o assunto é de grande interesse, resolvi usar todos os meus conhecimentos dos tempos de escola e fazer uma cola resumida, e com minhas palavras,  da matéria do site da Revista Náutica. É o caso de um velejador australiano, 65, que tentou levar um barco para reforma e ficou a deriva durante quatro dias.

O velejador Bill Valient, 65 anos, comprou um veleiro de 20 pés, que precisava de algumas reformas, e tentou leva-lo para o Lago Macquire, 20 milhas ao sul de Port Stephens onde o barco se encontrava. Bill que tinha 18 anos de experiência na Marinha Britânica, achou que toda essa bagagem lhe daria razão para se fazer ao mar em um barco sem nenhum equipamento de segurança. A bordo não havia rádio, GPS, Epirb, fogos de salvatagem e muito menos iluminação, mas mesmo assim o marinheiro veterano Bill resolveu encarar o mar, sem também avisar a Guarda Costeira que estava de partida,  já que seria apenas uma viagenzinha de nada e ainda para reformar o barquinho dos sonhos.

Mas, a coisa não foi bem como ele planejava quando saiu na boca da barra e o motor de 6 hp do Dixie Cup resolveu não mais seguir viagem navegando. A partir dai a coisa foi ficando com cara de tragédia e o veleirinho foi arrastado pelos ventos e correntes para o alto mar. Foram quatro dias a deriva e também a prova de que o veterano Bill não tinha tanto conhecimento do mar assim, pois ele usou uma vela para escrever um pedido de socorro mostrando para o mundo que o barco tinha vela e que ele não sabia para que mais aqueles panos serviam, além de servir para escrever. Por sorte Bill tinha a bordo um celular que foi usado para se comunicar com o enteado antes que a bateria acabasse. A Guarda Costeira australiana montou uma grande operação de resgate e depois de quatro dias de procura, Bill foi localizado por um navio mercante a 25 milhas ao sul de Newcastle.

O pior de tudo não esta sendo as críticas que pipocam de todos os lados, nem ver a ira incontida por parte dos contribuintes australianos para que ele pague pelos prejuízos causados aos cofres públicos com a operação de seu regate, muito menos ter que enfrentar a policia que deseja abrir um grande inquérito para provar o seu despreparo, colocando não somente sua vida em risco,como também a vida das equipes de socorro. O pior mesmo foi ter que enfrentar sua mulher, que depois de dizer que estava aliviada com o resgate do marido, declarou que ele agora vai merecer um grande chute no traseiro.  Quero ver se Bill é mesmo valente agora!