Arquivo da tag: recife

Viva o Carnaval!

Matutei nas ideias em busca de acender a centelha carnavalesca aqui no blog e por mais que eu tentasse desanuviar os pensamentos, minha alma festeira só me levava a enveredar pelos passos eletrizantes e radiantes do frevo e das machinhas, talvez pelo meu romantismo, sentimentalismo e eternas lembranças do meu Pai, Nelson Mattos, – músico, trombonista, inveterado amante da boa música e que não deixava passar em branco nenhum reinado de Momo. Me desculpem, mas Carnaval sem frevo não existe e frevo arretado de bom ninguém faz melhor do que o povo de Pernambuco. O Menestrel pernambucano Alceu Valença não deixa barato!

Anúncios

Acidente no mar de Pernambuco

20150914091954_--_busca_mergulhador_gcop

A Capitania dos Portos de Pernambuco prossegui na manhã desta segunda-feira as buscas a um mergulhador que havia desapareceu no domingo, 13, próximo ao Marco Zero. O vítima foi encontrada nas primeiras hora da manhã a 23 metros de profundidade e a 50 metros do local onde havia desaparecido durante um mergulho recreativo com um grupo de turistas. O mergulhador técnico Edísio Oliveira da Rocha era sócio da empresa de mergulho Aquáticos, operadora do catamarã Galileo. Veja matéria completa nos portais G1 e Diário de Pernambuco.

Notícias da XXVII Refeno

MARCA NORONHA 2015O Cabanga Iate Clube de Pernambuco, lançou o Segundo Aviso de Regatas da XXVII Refeno, que larga dia 26 de Setembro do Marco Zero no Porto de Recife. A Refeno – Regata Recife/Fernando de Noronha, é uma das mais charmosas e instigantes prova do iatismo brasileiro e para esse ano 32 barcos já garantiram presença. Seguindo o que foi anunciado na edição passada pela coordenação da prova e Marinha do Brasil, as exigências estão mais extensas. Para quem pretende participar da prova é aconselhável ler com muita atenção o edital.

11. EXIGÊNCIAS DA MARINHA

11.1. Por se tratar de uma regata oceânica, todos os barcos devem estar de acordo com as exigências da Marinha do Brasil. Só serão aceitas embarcações classificadas como Mar Aberto. Solicitamos aos comandantes participantes observarem com a máxima atenção as exigências da NORMAM 03. (www.dpc.mar.mil.br ou www.mar.mil.br). 11.2. Estarão disponíveis em breve, no link Quadro de Avisos » Exigências, no site www.refeno.com.br, a lista de equipamentos e medicamentos exigidos pela Marinha do Brasil, bem como as flexibilizações e as exigências adotadas pela Capitania dos Portos de Pernambuco.

11.3. O nome da embarcação deverá estar pintado nas boias, coletes, pirotécnicos, botes e extintores.

11.4. Será exigida de todos os participantes a Licença de Estação Navio emitida pela ANATEL.

11.5. O seguinte tópico referente ao previsto no item 0437 da NORMAM 03/DPC está pendente de flexibilização pela Marinha do Brasil para as embarcações participantes da REFENO, classificadas para navegação Mar aberto, exclusivamente quando navegando acompanhadas por navio da Marinha do Brasil (MB), inclusive no regresso de Fernando de Noronha para o continente:

11.5.1. Rádio SSB desde que possua dois rádios VHF conforme 12.6.2.

11.6. Apesar da flexibilização acima, os itens a seguir serão exigidos para todos os barcos participantes:

11.6.1. Obrigatoriamente, cada embarcação deverá portar 02 aparelhos GPS, em condições de funcionamento.

11.6.2. Além do rádio VHF fixo será exigido a cada embarcação portar 01 VHF portátil, a prova d´água ou portar um case impermeável e em perfeitas condições de funcionamento.

11.6.3. Todas as embarcações deverão portar as seguintes cartas náuticas: 22000 (Atol das Rocas e Arquipélago Fernando de Noronha), 22100 (Do Cabo Calcanhar a Cabedelo), 22200 (De Cabedelo a Maceió), 21030 (De Fortaleza a Natal) e 52 (proximidades arquipélago Fernando de Noronha).

11.6.4. Será obrigatório a utilização dos coletes Classe I de acordo com a Normam 3/DPC.

11.6.5. Todas as embarcações deverão portar um equipamento EPIRB com seu certificado a bordo, devidamente registrado pela ANATEL.​

As cidades

recife (2)recife (3)

Cais José Estelita/PE. Sempre me encantei com os lugares meio que abandonados das cidades, pois para mim eles falam por si só. Adoro olhar de frente os prédios abandonados, caminhar pelas ruas cheias de mato crescido, sentir o cheiro de mofo que exala das paredes, ver o descaso do poder público encravado nas fezes e córregos de xixi que lavam as calçadas. Gosto de ouvir o pulsar da história que existe em cada grãozinho de areia ali exposto. As cidades são assim mesmo, abandonadas e lindas em sua alma. O Cais José Estelita, paisagem linda de doer, merece sim um olhar mais atento e carinhoso da sociedade recifense. Ao longo do apetitoso calçadão que margeia a Bacia do Pina seria maravilhoso que pudéssemos caminhar com tranquilidade e segurança, sentar para tomar um sorvete, uma água de coco ou mesmo namorar recebendo a brisa do oceano que paira no ar, pois ali a cidade mostra uma face mais bela. Adoro navegar com o Avoante no estreito e raso canal rente a avenida, apreciando aquele quadro de tintas vivas. A cidade do Recife merece ter o direito de receber aquela paisagem revigorada e cheia de vida, mas vou dizer uma coisa: Aquele projeto futurista cravejado de arranha-céus é de muito mau gosto, já basta a feiura das torres gêmeas no extremo da Ilha de Antônio Vaz. Tomará que prevaleça o bom senso e que os ânimos sejam amainados com muita parcimônia. As cidades precisam de modernidade para oferecer ao seu povo uma vida cada vez mais digna, mas não precisam perder a beleza. Chamem os Caboclos de Lança e rufem os bumbos!

Mais uma da Refeno 2013

cabanga (212)

Quem um dia já participou de uma Refeno – Regata Recife/Fernando de Noronha, sabe dos bons momentos de confraternização que vem na esteira da regata. A grande maioria acontece mesmo dentro das dependências do Cabanga Iate Clube, clube anfitrião, pois todo dia tem festa. Porém, vez em quando um grupo é carinhosamente arrastados e intimado a comparecer na casa de algum amigo pernambucano e ai a festa é dobrada. Nesse ano de 2013 a amiga Sueli, coordenadora da equipe de secretaria, convidou um pequeno grupo, que coube dentro de uma Van, dizendo que os seus Pais queriam recepcionar os amigos queridos dela na regata. O convite era assim: “…olhem, meus pais querem que vocês vão lá em casa para um jantarzinho básico…”. Bem, convite é convite e vindo de uma amiga com a grandeza de Sueli é irrecusável. Fomos todos!

cabanga (211)

O tal do jantarzinho básico era mesmo um verdadeiros banquete de frutos do mar, muita alegria e forró.

cabanga (207)cabanga (216)

Pois é! Para nos recepcionar estava lá um excelente Trio de Forro pé de serra de lascar meio mundo. Os caras eram bons mesmo e tocaram de tudo: Do forró ao frevo pernambucano. Do frevo ao baião. Do baião ao xote e por ai a noite foi se estendendo até a turma jogar a toalha. Foi uma noitada das melhores, com o carinho de uma família super unida e que deixou todos muito a vontade. Só nos resta agradecer e mostrar como foi a festa.

cabanga (208)cabanga (214)cabanga (219)cabanga (221)cabanga (225)cabanga (228)cabanga (234)cabanga (235)cabanga (236)cabanga (240)cabanga (242)

Eu bem que acreditei

recife (3)

A notícia não é nova, mas ecoa na nossa mente aquela velha frase tão brasileira: Eu já sabia. Mas a verdade é que a capital do frevo não vai mais sediar a próxima edição da Volvo Ocean Race. No começo do ano a notícia de que Recife/PE ficaria com a primeira parada da famosa regata de volta ao mundo caiu como uma bomba no mundo do iatismo brasileiro. Na ocasião foi anunciado também que Pernambuco patrocinaria um barco brazuca/nordestino com as cores e força dos tambores do maracatu. Muito foi falado, festejado e acho até que teve gente montando a provável equipe. Eu mesmo apostava na alegria e irreverência do grande velejador pernambucano Guga, Ave Rara, para comandar o novo VO 65 pernambucano e tinha certeza que o barquinho iria voar baixo. Porém, tudo foi em vão e não passou de um sonho. Recife perdeu a chance para a africana Cidade do Cabo, mas o Brasil manteve Itajaí/SC como a única parada brasileira da regata. Quem sabe um dia!

Chegamos!

image

Depois de uma velejada cansativa, porém prazerosa, já estamos muito bem acomodados e com o Carcará I descansando tranquilo no fundeadouro do Cabanga Iate Clube. Para quem não acompanhou virtualmente, no link SPOT DO CARCARÁ I, a nossa velejada subindo o litoral nordestino a partir de Salvador/BA, ai está a imagem que recortei do site share.findmespot.com. Desde já agradecemos a todos aqueles que a cada momento buscavam saber onde estávamos e se estava tudo bem a bordo, pois com esse maravilhoso aparelhinho chamado SPOT temos a grata certeza de que através dele em algum momento alguém nos observa, tornando a nossa navegada muito mais segura. Em breve contarei detalhadamente como foi essa viagem tão cheia de aprendizados.