Arquivo da tag: profundezas abissais

Será coisa de maluco?

IMG_0301

Diz uma matéria no site Mundo Estranho, da Abril, que existem oito sons misteriosos nos oceanos que até hoje a ciência não conseguiu explicar, alias, existem muitas coisas saídas das profundezas abissais que carecem de explicações. O que dizer das vozes do mundo que mexe com imaginário dos navegantes desde que o mundo é mundo? Muitas vezes nos turnos de comando durante as madrugadas silenciosas, somos despertados por um verdadeiro bate papo fantasmagórico e quando procuramos na vastidão do mar para ver do que se trata, nos deparamos apenas com o sussurro do vento e o marulhar das ondas passando pelo casco. Se eu já ouvi? Claro que sim! Se é imaginação, sonho, fantasia ou simplesmente delírio de maluco eu não sei, mas que é assim é. Agora vem o Mundo Estranho com o caso dos oito sons misteriosos e me faz viajar. Eita mundão de água cheio de segredos!   

Anúncios

Do reino da feiura

image

Nesses tempos que precede o reinado de mono e as máscaras entraram no centro da discussão jurídica entre o que pode e o que não pode, fui buscar nas profundezas dos oceanos duas criaturas que disputam o troféu da criatura mais feia do mundo. Descobri que na Inglaterra tem até uma associação, liderada por um comediante, que defende a preservação dos bichos desprovidos de beleza, a Sociedade de Preservação dos Animais Feios, e é justamente esse grupo que organiza a competição nacional dos bichos feios no Reino Unido. O troféu foi para o feioso que aparece na imagem acima que é o Peixe-Bolha, que segundo as línguas ferinas, a marmota tem um rosto que só agrada mesmo a mãe. O Peixe-Bolha vive nas profundezas abissais dos mares frios da Tasmânia, Austrália e Nova Zelândia, assustando outras criaturas tão feias quanto ele.

Tamboril

O outro feioso, que apesar de horripilante ainda não se aventurou a lutar pelo título de feiura, é o Tamboril que também habita o fundo dos oceanos e é um feroz predador, mas na culinária portuguesa tem posição de destaque. O fundo do mar é realmente um grande mistério para o homem e nem de longe quero dar de cara com um monstrinho desses durante um mergulhinho para refrescar o calor.