Arquivo da tag: pôr-do-sol do potengi

Serenata do Pescador – Ode a uma linda praiera

Serenata do Pescador, ou simplesmente Praeira, e uma poesia de Othoniel Menezes com letra de Eduardo Medeiros, e que aqui está imortalizada na voz melodiosa do cantor potiguar Fernando Tovar. Cresci ouvindo essa maravilha poética sendo entoada nas varandas da casa de praia do Dr. Bianor Medeiros, grande amigo do meu Pai, e sempre fui envolvido pela emoção. A velha Praia da Redinha já se foi de mãos dadas com os bons tempos de outrora, para não sofrer nas garras de uma modernidade enraivecida. Restaram as lembranças de uma época e a poesia desnuda e apaixonada para uma linda Praeira.

Anúncios

Um sublime espetáculo

Temporada Natal 2008 010 Os espetáculos da natureza são os mais belos e os mais cheios de mistérios. Não interessa se eles são aterrorizantes como os furações e maremotos ou se cheios de poesias como o nascer e pôr-do-sol. Todos são produzidos no seio vivo da natureza, que até hoje o homem tenta decifrar, domar e destruir.

O homem na sua eterna insatisfação cria cores, mistura luzes, monta fantasias, mas nem de perto chega à tonalidade inebriante dos raios solares, quando o Sol deixa o posto de astro rei, para ceder espaço à luz enamorada da lua, com suas quatro fases protegidas pela sombra do Santo guerreiro.

O que tem um pôr-do-sol para enfeitiçar tantas pessoas ao longo dos milhões de anos das civilizações terrestres? Para os cépticos, não existe nada de extraordinário numa coisa que todo santo dia cumpre o mesmo ritual. Para eles, isso é coisa de maluco e de quem não tem o que fazer. Para os sonhadores, poetas, amantes, namorados, loucos, livres e outros gêneros maravilhosos da espécie humana, um pôr-do-sol nunca é igual ao anterior e nunca vai ser igual aos próximos.

Tenho mania de pôr-do-sol e seus raios cheios de cores. Já tinha essa mania antes de me tornar velejador, agora que tenho a oportunidade de observá-lo do alto mar, sua presença é muito mais viva e muito mais extraordinária.

Nesses quase quatro anos de vida a bordo, já tive a oportunidade de apreciá-lo de vários locais e em muitas navegadas. Na beleza impar da Ilha de Campinho, na Baía Camamú. Na tranqüilidade ameaçada da Ilha de Tatuoca. Na paz relaxante de Terra Caída, terreiro das travessuras e sensualidade da morena Tieta. Na praia do Jacaré e seus acordes de Ravel. Nos encantos, requebros, pimentas, morenices e todos os Santos da Baía de Todos os Santos, aonde a vida caminha lenta com a benção do Senhor do Bonfim e a proteção de todos os Orixás. Na oceânica Ilha de Fernando de Noronha e nas muitas milhas navegadas diante do crepúsculo do grande astro da vida e da luz. Cada pôr-do-sol tem seu mistério e em cada lugar suas luzes de magia falam de uma poesia diferente.

Esse ano quando retornamos a Natal, tivemos uma grata surpresa: O belo Projeto Pôr-do-Sol do Potengí, nas varandas do Iate Clube. A cidade do Natal tem um belo pôr-do-sol, cantado em verso e prosa ao longo de sua história de 409 anos. O espetáculo montado em parceria com a Super Star Produções e Fundação Hélio Galvão é de altíssimo nível cultural e artístico. Uma produção que encanta pela leveza, musicalidade e emoção que desperta em quem já teve a oportunidade de apreciá-lo.

Aqui não tem os acordes flutuantes de Ravel, como na praia paraibana do Jacaré. Aqui se ouve a valsa Royal Cinema, do maestro potiguar Tonheca Dantas, tocada pelo saxofonista Luiz Dantas, abrindo alas para artistas como Galvão Filho e suas raízes de alegria. Mariana, violinista, é seu belo solo da Ave Maria. Estevam e sua flauta de inspiração. Tovar, cantando Ranchinho de Palha e encantando com a beleza poética de Praeira. Tudo bem potiguar e bem potengí. Um grande espetáculo feito para Natal, a cascudiana Noiva do Sol.

Viver esses momentos de celebração é o que faz a vida ser tão emocionante. Pequenas coisas que passam despercebidas no dia a dia, escondidas pelas barreiras arquitetônicas e por uma eterna luta de concorrência, mas que continuam lá, fazendo a parte espetacular da natureza na grande renovação da vida.

A bordo, vivemos sempre a procura dos sinais de belezas gratuitos oferecidos pela natureza. O simples vôo de pássaros sobre o mar e o mergulho de pequenos peixes ao nosso lado, são admirados e festejados com muita alegria. Sabemos que ali não estamos sós, que existe vida e muita vida, ao nosso redor.

As estrelas, a lua, as nuvens, o vento, as correntes marinhas, o mar, o sol, tudo é vida e tudo é festejado e admirado. Não somos privilegiados, apenas saímos em busca das belezas da vida, coisa que qualquer pessoa tem condições de fazer.

Encontrar esse projeto em Natal nós deu muita alegria, foi um sentimento de que não perdemos a batalha diante de tanta violência e tantos percalços. Saber que as belas coisas da vida ainda têm grande valor nas cidades. Saber que existe muita gente com sensibilidade para promover um pôr-do-sol com muita maestria.

Parabéns Natal, a Noiva do Sol. Parabéns ao Iate Clube do Natal. Parabéns a Fundação Hélio Galvão. Parabéns a Super Star Produções e parabéns a esse povo papa-jerimum, por receber tão bonita homenagem.

Nelson Mattos Filho

Velejador

Pier 21 – O novo waypoint

Bar Pier 21Bar Pier 21 (8) Bar Pier 21 (10) Bar Pier 21 (4) O restaurateur Romildo, arrendatário do restaurante Mar Sereno no Iate Clube do Natal, abriu uma nova casa sem perder o foco do rio Potengi e seu belo pôr-do-sol. A nova casa fica em Santos Reis, bem próximo ao iate clube e com nome bem sugestivo: Pier 21. Um excelente local para apreciar a beleza do Pôr-do-Sol do Potengi e encontrar os amigos para um maravilhoso fim de tarde e uma noitada de agradável bate-papo. O Pier 21 funciona de Segunda a Sábado a partir das 17 horas.