Arquivo da tag: paquete

E apois!

Outubro (166)

Tem certas palavras que são verdadeiros tabus e ai daquele que se meter a besta para pronunciá-las diante de um grupo em que estejam presentes alguns membros mais exaltados. Se você acha que estou brincado, experimente chegar em meio a uma reunião de motociclistas e chame os participantes de motoqueiros. Rapaz, no mínimo sua mãe receberá um tratamento “elogioso”, no mínimo. Quer mais: Chame um velejador, mesmo aquele que só navega com o motor no último giro de potência, de lancheiro. Seu menino, você vai receber tantos impropérios que nem imagina. Pois bem, na postagem anterior coloquei a foto do convés de uma jangada em que aparece uma “corda” sobre ele, e inseri a frase, Corda ou cabo? Eis a questão, para instigar os leitores. Os navegantes, principalmente os amadores, se alvoroçaram em cravar o xis na palavra cabo, porque, segundo se aprende em todos os manuais náuticos e nas rodas de bate papo, corda a bordo apenas para quem deseja se enforcar ou para fazer relógio funcionar. Aí estávamos na beira mar da praia de Enxu Queimado/RN, na companhia dos amigos Fernando Luiz e Marta Machado, esperando a largada de uma pequena regata de paquetes, quando Marta apontou para um cabo e perguntou ao mestre da pequena jangadinha qual a função daquele cabo no barco. Ele olhou para ela e respondeu: – Isso não é cabo, é uma corda! Marta sorriu, agradeceu, se virou para mim e Fernando, e disparou: – Quero ver quem será o engraçadinho que vai me corrigir a partir de hoje. Se esse homem que praticamente nasceu no mar, vive no mar, tira o sustento dele e da família do mar, chama de corda é porque é corda e ponto final. Fernando deu um gole na cerveja, sorriu e completou: – É mesmo!!!!

Anúncios

Uma regata de paquete

Regata de paquete - enxu-queimado 025Regata de paquete - enxu-queimado 030Regata de paquete - enxu-queimado 036 Regata de paquete - enxu-queimado 049 Domingo, 08/08, fui a praia de Enxú-Queimado/RN assistir a uma regata de Paquete. Paquete é um tipo de embarcação muito usada no Nordeste do Brasil e que substituiu as antigas jangadas de seis paus. São embarcações pequenas e muito ágeis onde o pescador, com muita coragem, vai ao alto-mar. Em Enxú-Queimado todos os anos os amigos Pedrinho e Lucia organizam a regata do Dia dos Pais e a atração principal é a regata de paquete. Em 2008 eu havia assistido essa regata, mas esse ano a festa foi mais organizada e com um grande número de embarcações. As areias branquinhas da praia de Enxú não cabiam de tanta gente. Ninguém queria perder uma só manobra dos barcos. Fui convidado para acompanhar a comissão de regata e embarquei num bote inflável para ver de perto o trabalho das tripulações e o alto nível das disputas. A largada é muito interessante e cheia de lances engraçados, todos os tripulantes ficam em terra e os barcos na beira da praia. No tiro de largada correm todos para os barcos e quem tiver mais agilidade e precisão larga na frente. Mas, vida de pescador não é tão fácil e logo na largada aconteceu a primeira virada da prova e o paquete Renata, protagonista da virada, saiu por último, mas nem por isso a tripulação se abateu. De onde eu estava vi que o timoneiro da Renata, o grande Tabara, era dos bons, pois na segunda bóia já estava entre os primeiros.  Outro barco foi destaque na regata, a canoa do timoneiro Jailson. A canoa de Jailson corria na classe canoa, por ser maior do que o paquete e orçar um pouco mais, assumiu a dianteira e acabou sendo o fita azul da regata. Fiquei muito impressionado com a dianteira do fita azul e com habilidade de seus tripulantes. Mas, como a atração eram os paquetes, voltei minha atenção para essa classe que era a mais disputada. O mestre Tabara, grande pescador e timoneiro, deu uma verdadeira aula de vela com bordos precisos e abjetivos, saindo de último lugar, depois da virada, e chegando em primeiro com larga vantagem. Já ia esquecendo: A tripulação do paquete Renata ganhou também o troféu Burro, por causa da virada. O troféu Burro consiste em montar num burro todo enfeitado e dar uma volta pela praia. Valeu ter participado dessa regata, mesmo como acompanhante, mas no próximo ano vou me inscrever e tentar pelo menos o troféu Burro.