Arquivo da tag: mensagem de boas festas

Você acredita em Papai Noel?

Papai NoelTexto publicado em dezembro de 2010, na coluna Diário do Avoante, jornal Tribuna do Norte, e publicado neste blog no mesmo dezembro e hoje renovo minhas esperanças. Feliz Natal!!!!

Do meu cantinho no cockpit do Avoante, onde costumo observar o cotidiano das cidades, às vezes me pego sonhando acordado e perdido em devaneios. Sons de sirenes, buzinas, motores e tiros são trazidos pelos ventos carregados da cidade. Cidade que vira as costas para seus problemas.

Luzes coloridas piscam ao longe, dando vida e cores a mais um Natal que se aproxima. Nas esquinas e na penumbra das ruas, crianças lutam contra o novo bicho-papão em forma de pedra. A cidade não reconhece a fera e a vida vai assim sendo desmentida. Papai Noel não existe! Bicho-Papão não existe!

O Avoante balança suavemente na ancoragem e me desperta para ver que no mundo de hoje, nem criança acredita em Papai Noel.

E você, acredita em Papai Noel? O velhinho bondoso e bonachão, com sua roupa vermelha, gorro dependurado, transportado num trenó e puxado por renas voadoras.

Você não acredita em Papai Noel? Que pena!

Como seria bom se todos acreditassem em Papai Noel. Não na figura mercadológica, mas no bom velhinho. Personagem encantado e carismático, com sua risada gostosa, que não precisa falar, sua risada já diz tudo.

Quantos Natais dependeram de sua presença alegre para ser Natal? Quantas noites mal dormidas a espera dos presentes desejados? Quantas vezes ficamos a olhar o céu na esperança de ver seu trenó passar com os sinos a tilintar? Quantas vezes desejamos ter uma chaminé no telhado para o velhinho entrar com os presentes? Quantos sonhos? Quantos pedidos? Quantos presentes? Quanta fantasia?

Quem inventou o Papai Noel? Alguns falam nos americanos. Outros juram que foi a Coca-Cola. Muitos afirmam que foram os empresários. Os cépticos apostam tudo no capitalismo, mas estes como sempre, duvidando. Não precisamos saber quem criou o Papai Noel, só precisamos reconhecer que foi uma pessoa iluminada e que queria trazer alegria e paz ao mundo e as crianças, pelo menos em um dia do ano. Assim vai Papai Noel em seu passeio pelos ares, carregado de presentes e apoiado em seu cetro grandioso.

Muitos adultos já não acreditam em Papai Noel e, por incrível que pareça, muitas crianças também não. O adulto tem suas razões para a descrença, mas a criança não. Elas foram orientadas pelos pais de que tudo não passa de fantasia, de uma grande mentira, de uma farsa diabólica e maldosa. Criança não gosta de maldade. Criança não gosta de coisas diabólicas. Criança não mente e nem gosta de mentira, mas criança adora fantasia.

Por que reprimir a fantasia do Papai Noel da cabeça da criança? Por que desmerecer o papel do Papai Noel? Por que apagar a esperança por coisas boas e lembranças felizes de brinquedos e brincadeiras? Por que retirar esse sonho das cabeçinhas inocentes das crianças? Por que tomar o doce da alegria e do desejo de suas bocas? Por que não permitir que a criança seja criança? Por quê? Do que temos medo?

O mundo vive na banalização da violência, na concorrência desenfreada e desumana, na eterna briga pelo poder, na falta de vergonha, na extinção da ética, na corrupção desenfreada, na falta de pudor, na fúria das drogas, na desagregação dos povos, na cegueira da justiça, na palhaçada oficial, na guerra pelo petróleo, na intolerância religiosa, no choque entre culturas, no terror desumano, na expectativa do confronto e na guerra, eternamente na guerra. Por que não pedir ao Papai Noel um mundo melhor para nossas crianças?

Por que ter medo do Papai Noel? Por que não deixar que a criança acredite no Papai Noel? Como éramos inocentes e felizes quando acreditávamos em Papai Noel! Por que não deixar que as crianças peçam paz, amor, esperança e presentes ao Papai Noel? Criança é criança e adulto é adulto.

O Papai Noel não traz somente presentes, ele traz sonhos, fantasias, esperança, risadas, encantamento, paz, compreensão e alegria, tudo que a criança precisa, tudo que a criança deseja, tudo que a criança merece e tudo que o adulto necessita para deixar um mundo melhor para as crianças.

Por que desfazer o sonho? Por que acabar a fantasia? Por que o medo?

Eu acredito em Papai Noel, tanto acredito que todo Natal peço alegria, compreensão, tolerância e paz para o mundo. Ainda não fui atendido, talvez Papai Noel esteja ocupado em atender aos pedidos de crianças que pedem alegria, compreensão, tolerância e paz para seus lares.

Viva, Papai Noel! Viva sempre!

Nelson Mattos Filho/Velejador

Anúncios

Uma nota de fim de ano

IMG_0020

Desejar Feliz Natal e próspero Ano Novo depois de ler as últimas notícias, ou ver o retrospecto do que foi o ano de 2016, é o mesmo que querer abrir uma cortina na esperança de vislumbrar uma bela e magnânima paisagem. Falar o que de um ano tão carregado de maldades e mazelas e que tem a Síria como o seu mais incompreensível e cruel cartão postal? Deixo para os dotados de alma compreensiva a tarefa de responder, porque prefiro me dirigir a cortina para escancará-la de uma vez, mesmo que a paisagem venha a ser a mesma, que as cores ainda estejam opacas e que as flores ainda estejam murchas.

Desejo sim, que possamos abrir a cortina de um novo mundo e ao olharmos para trás, tudo esteja apagado, como nas cinematográficas portas do futuro. Desejo um mundo realmente novo e não aquele dos velhos bordões e das velhas mensagens natalinas, que diante do primeiro gole de champanhe fica esquecido sobre uma mesa de gulosa fartura. Desejo que venha abaixo toda forma de preconceito, desigualdade e que os direitos sejam humanos. Desejo que a paz, a alegria e a liberdade se espalhe entre os povos desse planetinha metido a besta, independente de raça, credo ou cruz.

Não peço compreensão, porque essa é uma palavra eternamente incompreendida, peço simplesmente amor, união, beijos e abraços, porque precisamos reaprender a acolher com o coração e afeto aqueles que chegam até nós. Desejo que seja restabelecida a beleza da vida, que hoje anda esquecida. Desejo que os soldados abandonem as armas e entreguem as trincheiras os cuidados dos generais, porque esses se acovardam diante dos campos de batalha. Desejo um mundo com governantes verdadeiros e não governado por piratas pilantras assaltantes da ordem, da razão e da ética.

Quero que a cortina que encobre esse Natal, e o ano que vai chegar, descortine a paz de espírito e o amor ao próximo que nos foi ensinado há mais de dois mil anos e que infelizmente a cada ano enterramos mais e mais nas profundezas abissais.

Desejo que você também abra a cortina a sua frente, mas se não conseguir enxergá-la, feche os olhos, reflita e abra novamente, se mesmo assim não conseguir vê-la, repita o gesto várias vezes, pois ela está lá, encobrindo a esperança de um mundo de paz, amor e respeito ao próximo.

Feliz Natal, Feliz 2017 e que se abram as cortinas!