Arquivo da tag: livro diário do avoante

Comentário de um leitor

18156838_1325526094201328_7595791070411754317_n

Nelson,

“…Que obra extraordinária! Acabei de ler o seu livro, e fiquei encantado como você apresenta os fatos de forma clara e objetiva, mas nunca deixando faltar a sua paixão pelo mar, por velejar…”

Edmar Puça

Anúncios

Notícia dos mares da literatura

capa Avoante final

E o livro Diário do Avoante continua sua navegada pelos mares das letras e agora aportou no blog da livraria 30porcento.com.br com a crítica literária assinada pela velejadora Isabela Gaglianone, veleiro Odô Iyá. O texto começa assim:

“Desfazer-se de uma vida citadina

para ser um cidadão cosmopolita

de outra maneira: pelo mundo, a

bordo de um veleiro…”

Click no link a seguir e confira na integra o texto de Isabela: Livraria 30porcento  

Mais um lançamento do Diário do Avoante

IMG_0072

“(…) Embarquei no sonho colorido do mundo náutico, procurando ajustar as velas num rumo que me levasse a fugir de toda essa cachoeira de vaidades que semeia prosperidade, mas afoga a razão e a ética.(…) Hoje eu prefiro as surpresas da vida, pois através delas fortaleço minha auto estima. O mar está me chamando! Na festa em homenagem ao velejador Leo Lacrau, no Aratu Iate Clube e que comentei no post anterior, teve espaço também para o livro Diário do Avoante. A convite do Comodoro Roberto Nadier, que montou uma mesa para os autógrafos, fiz uma breve apresentação do livro e para nossa alegria tivemos a mesma acolhida de sempre. Nas imagens abaixo estão alguns momentos dos autógrafos. O livro Diário do Avoante está a venda em Salvador/BA nas secretárias do Aratu Iate Clube e do Iate Clube Angra dos Veleiros.

IMG_0051IMG_0052IMG_0074IMG_0081IMG_0091 

Lançamento da segunda edição do livro Diário do Avoante

IMG_0243IMG_0244

Convidamos para o lançamento da segunda edição do livro Diário do Avoante que acontecerá Sexta-Feira, 03 de Janeiro de 2014, a partir das 17 horas, na Sorveteria OBA! Localizada na Av. Márcio Marinho, Praia de Pirangi do Norte/RN. A obra é uma coletânea das crônicas dominicais que Nelson escreve para o jornal Tribuna do Norte, levando até o leitor um olhar do mar sobre sonhos, cotidiano e vida.

No Rotary Clube de Natal Sul

IMG_0229

Em 19 de Novembro, dia em que se deu o lançamento do livro Diário do Avoante em Natal, fui convidado pelas rotarianas Idia Vila e Ana Maria Vila para participar da assembleia/almoço do Rotary Clube de Natal Sul, para proferi uma palestra sobre como é a vida a bordo de um veleiro de Oceano, o que me deixou imensamente feliz. Apesar de não ser rotariano tenho o Rotary dentro do coração, pois sou filho, sobrinho, irmão e amigo de rotarianos. Sempre frequentei assembleias rotárias quando criança e também na adolescência o que me trazia muitas alegrias.

IMG_0223IMG_0246IMG_0248Apos a palestra fui agraciado pelo presidente, jornalista Paulo Macedo, com a flâmula do Clube Rotário e em seguida autografei alguns livros para os presentes. Foi muito bom reviver e relembrar bons tempos que marcaram minha vida.

O livro e os agradecimentos

IMG_0186

Poderia começar mais uma página desse Diário falando das coisas que acontecem no cotidiano dessa vida sobre o mar que tanto me encanta, mas sei que seria uma navegação em um rumo não desejado. Poderia falar de amor, de paixões, de poesia, de gastronomia, de natureza, de lugares, de navegação, de velejadas, de gente ou simplesmente de sonhos, pois adoro falar de sonhos.

Mas não, hoje tenho que falar em agradecimentos, pois foi assim que aprendi com meus pais: Que somente alcançamos a grandeza da vida, quando usamos, em todos os momentos, a humildade de um agradecimento. E hoje tenho sim muito a agradecer, a todos vocês leitores que acompanham pacientemente os escritos dominicais desse Diário, e muitas vezes vibrando, se emocionando, sorrindo, se encantando, sonhando ou mesmo curtindo o sabor de uma deliciosa velejada em um mar de letras.

Quando entrei de cabeça no mundo maravilhoso do mar, nunca imaginei que um dia pudesse estar passando para as pessoas a minha vivência náutica. Sempre achei difícil o mundo das letras e das palavras, pelo grande poder de infinitas traduções que existe na mente do ser humano.

Dizem que a palavra dita um dia será esquecida e que a palavra escrita é para o sempre, mas quase ninguém se refere à ressonância da compreensão. Já se foi o tempo em que o fio do bigode era a melhor e mais respeitada tinta de caneta. O que será que foi feito da ética? Nunca esqueci as palavras de ensinamentos ditas pelos meus pais. Será que sou anormal? Vamos voltar para o nosso rumo, na rota dos agradecimentos, pois foi para isso que abri a página.

Esse Diário do Avoante surgiu do nada, navegando nas ideias iluminadas de um diretor de redação. Segundo ele, os leitores haviam gostado de uma matéria publicada com a gente e ele gostaria de levar mais a frente esse encanto. Vacilei no primeiro momento, mas logo em seguida levantei ancora, subi as velas e parti. Hoje o Diário do Avoante comemora a realização de mais sonho, que nunca eu havia sonhado, e que posso creditar na pessoa do jornalista Carlos Peixoto, diretor de redação da Tribuna do Norte.

Essa semana comemoramos o lançamento do livro Diário do Avoante, sob o selo da editora Caravelas, numa grande noite de confraternização entre leitores, amigos, velejadores e familiares, que encheram os tapetes carregados de cultura da livraria Saraiva, do shopping Midway Mall. Falar em alegria acho que é pouco.

O livro é uma coletânea de cinquenta, entre as cem primeiras crônicas publicadas todos os Domingos na Tribuna do Norte, e que mostram o quanto a vida no mar transformou o nosso modo de ver o mundo, descortinando novos sonhos e diversificando em infinito os horizontes avistados.

Mas meu caro amigo Carlos Peixoto não está só nessa Nau, ao seu lado existe uma grande e valiosa tripulação, pois é assim que navega uma embarcação. O pecado de nominar todos é muito original e por isso não tenho como fugir dele e por isso tenho que navegar nesse mar.

Lógico que posso esquecer-me de agradecer a alguém, mas nunca de você leitor, que é o objetivo maior desse Diário e consequentemente do livro Diário do Avoante. Agradecer também aos colaboradores: Favorito Supermercados; Grupo Vila; Comercial do Trigo; Cristalina de Natal; Teetos Pré-moldados; Farmácias Santa Sara; Equinautic; a pousada gaúcha Esquina do Sol, que atravessou o Brasil para nos prestigiar e ao alagoano restaurante Del Popollo Cantina e Pizzaria.

No mesmo veleiro dos agradecimentos embarco o meu dileto amigo e velejador Luiz Bardou, membro do Ministério Público do Rio Grande do Sul, pelo incentivo em um momento de profunda indecisão. Minha Mãe Iracema Mattos e minha querida Tia Cecília, que, se derretendo de alegria, usaram a força do apoio familiar para realizar o pedacinho de sonho que faltava. E ao editor José Correia, que colocou tudo isso em uma máquina de multiplicar cultura e em seguida retirou do forno em formato de um livro.

Esqueci? Lógico que não, pois muitos outros estão grafados e eternizados nas páginas do livro Diário do Avoante, mas sem ela nada disso teria acontecido: Lucia, minha grande capitã e timoneira dos meus mais ousados e loucos sonhos. É ela que norteia minhas crônicas e com muita serenidade me faz ver que uma mesma palavra muitas vezes tanto pode curar como ferir.

O livro Diário do Avoante enfim está ai, e em suas páginas estão um breve relato das muitas lições que aprendemos com o mar. E só temos a agradecer!

Nelson Mattos Filho/Velejador

Lançamento do Diário do Avoante em Natal

IMG_0458

Não tenho como agradecer a todos aqueles que compareceram, como também aos que não puderam estar presente, mas que estavam com a gente no coração, ao evento de lançamento do livro Diário do Avoante, ocorrido dia 19/11 na livraria Saraiva do shopping Midway Mall em Natal/RN. De todas as frases de parabéns que recebi naquele dia, uma vai ficar gravada para sempre em minha memória: Nelson, estou maravilhado com todo isso, nunca imaginei que vocês fossem tão queridos e tivessem tantos amigos. Fiquei sem palavras para responder, pois um nó se formou na garganta e ao levantar a cabeça senti os olhos marejarem. Hoje posso responder, mas sem antes sentir que novamente as lágrimas teimam em escorrer pela face:  Graças a Deus essa é a nossa maior riqueza e nunca esquecemos de regar e agradecer.