Arquivo da tag: igreja do bonfim

A Península de Itapagipe

8 Agosto (216)

A Península de Itapagipe, onde está localizado o bairro da Ribeira, em 2009 foi considerado, em votação feita na internet, um dos sete lugares mágicos de Salvador e é dotado de uma beleza ímpar de se ver. É na Península que está a Igreja do Senhor do Bonfim, o hospital, as obras sociais e o memorial de Irmã Dulce, O Monte Serrat – um dos mais belos recantos da capital baiana, a Ponta de Humaitá – um dos cartões postais da Bahia, a Praia da Boa Viagem e uma das orlas mais animadas da cidade e que tem na segunda-feira seu dia de maior alegria. É na Ribeira que baianos e turistas se deliciam na famosa Sorveteria da Ribeira, nas inúmeras pizzarias que servem pizzas com massa de batata, nos tradicionais botecos, nos pasteis e num calçadão que é um verdadeiro convite ao ócio.

01 Janeiro (66)01 Janeiro (69)10 Outubro (186)12 Dezembro (101)8 Agosto (217)7 Julho (91)

Os bairros da Península de Itapagipe ainda conservam um ar interiorano e ainda podemos ver moradores com cadeiras nas calçadas em animados bate papos com vizinhos e amigos, numa cidade que beira fácil os três milhões de habitantes. A Ribeira é um encanto e um grande livro a céu aberto, onde podemos ver o melhor de uma cidade multifacetada. 

Anúncios

Nós na Lavagem do Bonfim

Foto0130

A Bahia tem festas que são verdadeiros patrimônios culturais e religiosos e uma delas é a Lavagem do Bonfim, dotada de um fenomenal sincretismo religioso que  acolhe na mesma escadaria, católicos e diversas vertentes do povo da Umbanda, além daqueles que nem tem tanta fé assim. Nesse ano de 2014 a Lavagem do Bonfim, que acontece desde 1773, recebeu o título oficial de Patrimônio Imaterial Nacional. A história conta que a tradição teve início com a Festa em louvor do Senhor do Bonfim, que acontece no segundo Domingo depois da Festa de Reis. Naquela época os organizadores obrigavam os escravos a lavar a Igreja na Quinta-Feira que antecedia a Festa. Os escravos começaram a fazer da Lavagem um evento próprio e em homenagem a Oxalá, sincretizado como Senhor do Bonfim, já que eram adeptos das religiões africanas, e assim o que era obrigação virou tradição de fé.

Foto0123Foto0127Foto0128Foto0133

A Festa reúne uma multidão incalculável nas ruas da Cidade Baixa, num tapete humano que se estende desde a Igreja da Conceição da Praia até o Alto da Colina Sagrada, como é conhecido o monte em que se localiza a Igreja do Bonfim. Pais e Mães de Santo, baianas, bandinhas, mini trios elétricos, cordões de capoeira, grupos de samba de roda, cavaleiros, movimentos sociais, políticos e mais um batalhão de devotos prestam suas homenagens ao Santo Protetor da Bahia. Observando toda essa manifestação multicultural e religiosa, somos levados a crer que depois do Carnaval não existe na Bahia nada mais importante do que a Lavagem do Bonfim.

Foto01181526500_610782425662304_633236222_nFoto0141

Fazia muito tempo que eu não demonstrava minha devoção ao Senhor do Bonfim, este ano aproveitamos a visita de Gizana, que não conhecia Salvador, e saímos em busca do cortejo da fé. Lá encontramos minha filha Amanda e a tia Eliana, e depois de subir a Colina Sagrada, num calor de Sol a pino, fomos convidados por elas para se deliciar num saborosíssimo Xinxim de Bofe, na casa dos familiares de Walter e Larissa, primos de Amanda. Eita que essa Bahia é uma festa só!