Arquivo da tag: cozinha de bordo

Cozinha a bordo – Bolo de rapadura

20160502_121456

Vixi, faz dias que não posto uma receitinha básica produzida por Lucia a bordo do Avoante. Na semana passada ela decidiu fazer um bolo de rapadura e o resultado foi que acrescentamos uns quilinhos a mais a pança. Se quiser tirar a prova dos nove, basta seguir o roteiro abaixo:

20160505_191227Se fizer, pelo menos diga se gostou.

Anúncios

Risoto de Jerimum. Pense num prato danado de bom!

risoto de jerimum (1)risoto de jerimum (4)

Não quero que ninguém me leve a mal ou fique achando que estou querendo fazer inveja, mas essa desgraceira gastronômica que aparece nas imagens é nada mais, nada menos do que um prato misturando sabores da cozinha italiana e nordestina, que rendeu essa delícia que incrementou a mesa do almoço do Avoante, nesse 29 de Dezembro de 2014. Eita ano que passou depressa! Risoto de Jerimum, acompanhado com a sertaneja carne de sol e uma saladinha básica para acalmar a dor de consciência do povo da dieta. Rapaz, o bicho estava danado de bom e já vou dizendo que não sobrou nem um grãozinho de arroz e nem uma lasquinha de carne. Quanto a salada: também foi toda. Tudo isso foi degustado com alguns goles de cachaça Caribé, pois aqui ninguém é de ferro. Quer a receita? Então anote ai e depois me diga se aprovou:

Risoto de Jerimum

150 g de Arroz arbóreo

200 g de Jerimum (abóbora) de leite

1 cebola pequena ralada

2 dente de alho ralado

2 colheres de sopa de coentro picadinho

2 colheres de sopa de cebolinha verde picadinha

2 colheres de sopa de azeite de oliva

40 ml de cachaça

3 colheres de sopa de requeijão

1 cubo de caldo de legumes

1 litro de água

queijo parmesão a gosto

O sal, deixa para corrigir no final, pois o caldo de legumes contém sal.

Rende 4 porções

Modo de fazer:

Refogue a cebola e o alho no azeite, quando a cebola estiver dourada acrescente o arroz e continue refogando até o arroz começar a ficar branco. Acrescente a cachaça e mexa até a maldita evaporar. Misture o caldo de legume em água fervente e vá acrescentando aos poucos sobre o arroz. Quando a arroz estiver quase no ponto, acrescente o jerimum, a cebolinha, o coentro, o requeijão e continue mexendo até o jerimum cozinhar e o arroz ficar ao dente. Se for necessário acrescente mais um pouco de água. Tire do fogo, polvilhe com queijo parmesão e sirva.

Que tal um Peixe Recheado?

peixe recheado (1)peixe recheado (4)

Faz algum tempo que não faço postagens dos pratos preparados a bordo do Avoante. Na verdade eu nem sei o porquê dessa abstinência toda, pois a bordo sempre tem novidades e comidas saborosas. Lucia continua mandando ver nas panelas e nós continuamos no regime científico de engorda. Para quebrar o silêncio e deixar vocês com água na boca, vou dizer como se prepara esse Peixe Recheado.

Ingredientes do recheio
1 Peixe inteiro(esse é cavala)
2 tomates
1 cebola
1 pimentão pequeno
cebolinha
2 colheres de azeite de oliva
1 pitada de sal
Modo de fazer
Colocar o peixe inteiro, salgado por dentro e por fora, num refratário. Rechear e regar com azeite de oliva e vinho branco. Cobrir com papel alumínio e levar ao forno por 30 minutos.

OBS: Não esquecer da cerveja gelada ou um bom vinho para acompanhar. 

 

O Quarenta

IMG_0178IMG_0171

Em nossas andanças em busca dos segredos mais escondidos dos lugares, principalmente os gastronômicos, nos deparamos com verdadeiras maravilhas que passam a milhas de distância dos cardápios premiados de chefes, sub-chefes e afins. A nação da beira mar e afluentes ribeirinhos é rica nos sabores de uma cozinha, dita popular, mas que na verdade pertence a mais pura realeza dos sabores. Quem não se rende ao sabor inigualável de um pirão de peixe a moda caiçara? Quem nunca encheu a boca de água ao sentir o cheiro de uma moqueca feita em fogão a lenha? Levante a mão quem nunca lambeu os dedos ao se deliciar com um prato de camarão no bafo. Pois é! No mundo da beira  d’água existem pratos feitos com a mais pura simplicidade  e carinho que encanta e faz a gente nunca mais esquecer. Lucia tem um tino especial para decifrar sabores e no mesmo instante ditar e gravar toda a receita. No Avoante, que tem um pequeno fogãozinho de 2 bocas, com forno,  e que não passa no crivo de nenhuma autoridade nos assuntos da cozinha, já saíram pratos maravilhosos e na grande maioria vindos do povo praieiro. Poderia discorrer laudas e mais laudas saborosas sobre a cozinha “popular”, mas hoje vou encher minha boca de água, e a sua, e depois lamber os beiços, para um prato com nome esquisito e que sacia a gula de quem já teve o prazer de degustá-lo: Quarenta! Isso mesmo que você leu: Quarenta. Eu também não sei de onde danado Pedrinho e Lucinha, meus amigos da praia de Enxú-Queimado/RN, foram tirar esse nome. Mas na verdade, a grande maioria dos habitantes de lá, principalmente os pescadores, sabem fazer o delicioso Quarenta. Eu deduzo e até já discuti o assunto com outro apaixonado pelo Quarenta, o amigo e velejador Flávio Alcides Araújo que já provou da iguaria no Avoante, que esse nome é um termo popular para a tradicional Polenta, pois os dois se parecem em quase tudo, só diferem no sabor: O Quarenta é bom demais! E quando vem acompanhado de peixe frito ai se dana tudo! Na velejada que fizemos de Natal a Trinidad o Quarenta se fez presente para acompanhar umas deliciosas postas de atum fritas no dendê. A tripulação quase passa da conta e até o comandante Eduardo Zanella que se disse indiferente a peixe, esqueceu o que havia afirmado. Mas acho bom eu parar de atiçar a barriga de vocês e começar a escrever a receita, pois até eu já estou com água na boca com essa história toda e principalmente com a foto lá em cima.   

QUARENTA: Ponha para ferver 2 litros de água numa panela, com duas cebolas ralada, duas colheres de sopa de manteiga, sal a gosto e deixe ferver até reduzir a metade. Coloque um pacote de flocos de milho, aos poucos, e mexa com uma colher de pau para não encaroçar. Vá mexendo até aparecer o fundo da panela. Coloque numa travessa e sirva acompanhado de um gostoso peixe frito. Se for fazer não esqueça de me convidar.

Peixe frito com tapioca

IMG_0173IMG_0170

Existem algumas regras e proibições no mundo da vela de oceano que muitas vezes não passam de teorias. Alguns comandantes até se alteram quando algum tripulante tenta dar um drible na teoria para provar que a pratica é muito mais saborosa.  Uma dessas regras é que não se pode usar fritura a bordo sob pena de engordurar todo o ambiente para sempre. Alguns até proíbem a compra de óleos de cozinha e nem têm a bordo uma simples frigideira. Radicalismo total! E para que danado existem os produtos de limpeza? No Avoante essa regras, e outras que navegam pelos mares, nunca se estabeleceu. Graças a Deus! Porque um peixinho frito acompanhado de uma deliciosa tapioca é bom demais! E uma panela de pipoca num finzinho de tarde? Pense numa coisa boa! Pois é, tudo isso e muito mais Lucia prepara a bordo e nunca deixou o Avoante, nem barco nenhum que a gente navega, impregnado de cheiro de gordura. Na travessia que fizemos no Itusca de Natal a Trinidad, a pipoca de panela, o peixe frito e a tapioca de goma fresca eram gostosuras do cardápio de bordo. Sem falar nos pães caseiro, nas pizzas e nas frigideiras de bifes acebolados. Danou-se! Peeense numa dieta de engorda! Mas, se você é um desses comandantes radicais nem precisa fazer o teste, mas se não for, acho bom começar a repensar certas regras na cozinha de bordo. Para você não ficar apenas se deliciando com as fotos acima, anote a receita para fazer na próxima viagem ou mesmo em casa com os amigos. Bom apetite!

PEIXE FRITO: Compre uma boa vara de pesca ou apenas uma linha com anzol e espere o peixe cair na sua isca. Nunca desista na primeira tentativa e nem nas muitas outras que se sucederem. Quando enfim conseguir pegar o peixe, trate-o e corte em postas, mas pode ser também em filés. Passe sal nas postas e depois empane com farinha de mandioca. Coloque óleo e um pouco de azeite de dendê na frigideira e deixe ficar bem quente. Coloque as postas na frigideira e deixe até começar a embranquecer. Vire as postas, coloque bastante cebola e tomate em rodelas e tampe a frigideira por mais ou menos 5 minutos. O peixe está pronto. 

TAPIOCA: Peneire a goma fresca e coloque sal a gosto. Coloque a frigideira no fogo até esquentar. Coloque um pouco de goma na frigideira até cobrir o fundo. Deixe um pouco e vire a tapioca. Deixe mais um pouco e retire. Coloque a tapioca em cima de um pano limpo, passe manteiga e dobre a gosto. A manteiga é opcional quando for para acompanhar o peixe.