Arquivo da tag: ásia

Tufão Rammasun / Natureza em fúria

Tufão ergueu e jogou barco em área da Baía de Baseco. (Foto: Romeo Ranoco / Reuters) Na semana passada noticiamos aqui a violenta passagem do tufão Neoguri sobre o Japão causando destruição, mortes e assustando o mundo com cenas fortes do desespero da população e dos escombros espalhados por todos os cantos. O Neoguri deixou seu nome cravado na história japonesa e agora mais um tufão assusta o mundo asiático com ventos de mais de 250 quilômetros por hora e dessa vez o cenário é a República das Filipinas, um vasto arquipélago do Sudeste Asiático, região também conhecida por Insulíndia. O tufão que castiga as Filipinas foi batizado de Rammasun, que em tailandês quer dizer Deus no Trono, e já causou a morte de 13 pessoas, deixando milhares de desabrigados e novamente paisagens assustadoras de devastação. Vilarejos pesqueiros localizados no leste filipino foram devastados e barcos foram jogados em terra pela força do tufão, como mostra a foto de Romeu Ranoco/Reuters. O tufão Rammasun chegou enquanto o país ainda se recuperava dos estragos causados pelo tufão Haiyan, que em novembro de 2013 causou a morte de mais de 6 mil pessoas, milhares de desaparecidos e mais de 29 mil feridos. A temporada de tufões nas Filipinas começa em Junho e termina em novembro. Geralmente de 15 a 20 tufões atingem anualmente o país. Fonte: G1 

Boeing 777 da Malaysia Airlines. O que houve?

 

imageQue mistério envolve o desaparecimento do Boeing 777 da Malaysia Airlines? Talvez nunca consigamos as respostas, já que todos os meios empregados até o momento, e não foram poucos e todos de última geração tecnológica, não tiveram nenhum sucesso. Oceano Índico: Terceira maior concentração de águas do planeta; 73 mil quilômetros quadrados; Profundidade média de 3.890 metros; Delimitado pela Ásia, África, Austrália e parte da Antártida; Grande importância econômica, pois em suas águas navegam grandes navios de petróleo que abastecem o ocidente. Porém, o Índico tem segredos mergulhados em grandes áreas de um verdadeiro deserto oceânico, onde raramente transitam navios e aviões. E foi justamente nesse imenso deserto de águas desconhecidas que mergulhou o Boeing da Malásia com 239 pessoas a bordo.  

poison-p8

“Esta é a minha primeira vez no Oceano Índico, e é inquestionavelmente o pedaço de água mais intocado que eu já vi”, subcomandante naval David Mims, piloto da Marinha americana.

O avião militar P-8 Poseidon, da Marinha americana, é um arsenal de tecnologia. São cinco estações de trabalho instaladas em sua fuselagem que exibem vídeos de alta definição feitos com sensores ultrassecretos, o que faz desse um dos mais sofisticados aviões de vigilância do planeta. O Poseidon sobrevoou e varreu a área onde provavelmente caiu o Boeing da Malásia durante 5 horas, a 90 metros de altitude, e não encontrou nada. “É raro sair e não ver nenhuma massa de terra, nenhum tráfego marítimo. Não há nada”, afirmou Mims. “É estranho.”

220px-Poseidon_sculpture_Copenhagen_2005 Poseidon, supremo deus do mar, também conhecido como deus dos terremotos, talvez somente ele tenha a chave da caixa preta dessa tragédia que abalou o mundo. O provável local do acidente é estranho, irracional, sem nada, amedrontador. O que fazia o Boeing 777 malaio sobre aquele mar de nada? O grande Poseidon, o deus Netuno na mitologia romana, com certeza mandará seus exércitos para averiguar, mas tudo é muito longe. Que rota tomou o Boeing da Malásia? Ia para a China e entrou para história dos mistérios a 1.850 quilômetros da terra mais próxima. A partir da sua última posição, detectada pelos radares, tudo é boato.