A lama sem lei, sem ordem e sem vergonha


mar de lama.mar de lama

A lama que envergonha o país desde do dia 05 de novembro chegou ao mar trazendo o cheiro da morte, do desespero e da desgraça de famílias destroçadas, cidades destruídas e fauna e flora praticamente riscados do mapa. A lama da Samarco, com as devidas assinaturas oficiais, passeia serelepe sem nenhuma ação objetiva para conter a demonstração de fracasso das políticas ditas públicas. Numa atitude sem nenhum precedente lógico e sem nenhum embasamento técnico, tentaram brecar a vergonha com umas indecifráveis barreiras saídas das ideias delirantes de alguma cabeça amalucada com víeis demagógicos. Esse é o nosso país! Enquanto isso as “autoridades” constituídas discutem quem pode e quem não pode ser investigado num outro lamaçal fedorento. E ainda há quem pinte o rosto com as cores da França! 

Anúncios

5 Respostas para “A lama sem lei, sem ordem e sem vergonha

  1. um comentário bem realista e com um pouco mais de conhecimento
    Visualizar comentários anteriores
    Igor Carneiro
    Igor Carneiro Meu conhecimento científico se resume a engenharia e geotecnia, mas vou ver se consigo passar algumas informações, pelo pouco que já estudei. Percebo que as variações são muitas e fica muito difícil saber o que pode acontecer. Os metais pesados sofrem uma grande influência de dois aspectos importantes, são eles a salinidade e a ionização. Grande parte dos metais com certeza ficou depositado no leito do rio durante o percusso e as regiões de estuário são as que sofrem maiores mudanças de salinidade, sedimentação e ionização devido as variações de marés. Existirá uma floculação desses sedimentos quando em forma coloidal e a deposição desse material no fundo, porém a variação de maré causa um sistema cíclico reflutuando esse material e mandando para o mar. No mar, onde a densidade beira os 35gramas por kg, os metais são mais facilmente carreados e dependendo da concentração que está saindo do estuário pode sim chegar a região de Abrolhos e com certeza irá contaminar a fauna e flora pelo caminho, mas a quantidade e os danos são realmente imprevisíveis. O que poderia ser feito é uma barreira de tratamento desse material no percusso ainda no rio e um acompanhamento do que está passando de material, mas a certeza é que o estrago está ai, e infelizmente muitos ainda estão por vir, já que as barragens continuam e o “fingir que não é com agente” também. Vamos torcer Enrico Marcovaldi Lawrence Wahba e amigos, para que as influências sejam mínimas e que a natureza seja forte e supere mais essa.

    Curtir

  2. Uma das maiores tragédias no estado de Minas Gerais!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s