Arquivo do mês: outubro 2014

A poita

IMG_0095

Essa boia em que o pequenino e ágio pescador descansa da sua labuta diária é uma poita, uma das tantas que encontramos por ai nas ancoragens. Hoje elas estão se multiplicando numa velocidade assustadora e trazendo dissabores para muitos navegantes, principalmente por estarem fincadas em ancoragens públicas e por serem públicas, não deveria existir tal regalia. As autoridades marítimas precisam acompanhar de perto, verificar a legalidade e retirar do mar as poitas que estejam em desacordo com a legislação. Tem muito espertalhão demarcando lugares nas ancoragens com o objetivo financeiro. O comércio de poita é uma realidade no Brasil e as autoridades estão fechando os olhos para não encarar o problema. Na minha opinião, não deveria existir lugar marcado em ancoragem pública. Se nas ruas não podemos marcar o lugar de estacionar o carro nem em frente de nossa casa, porque vamos querer fazer isso no mar? Se vai existir a poita em ancoragem pública ela deveria servir para o primeiro barco que chegasse e sem nenhuma cobrança, a não ser que exista uma regulamentação para tal como nos estacionamentos nas ruas e avenidas do centro das cidades. Reclamamos tanto da falta de ética cidadã dos nossos governantes e basta fecharmos a boca para agirmos tal e qual.  

Anúncios

Um marco para a navegação

IMG_0011

“…Essa é a cidade de um deus mar, de um deus mar que vive para o sol…” Pedro Mendes, cantor e compositor potiguar, musicou Natal/RN de um modo mais belo impossível e olhe que nem sei se um dia ele já se fez ao mar para ver a Cidade do Sol de frente. De lá ele veria três Reis Magos seguindo o brilho de uma estrela e dai seus versos seriam cada vez mais encantadores. Ponte Newton Navarro, um grande marco de referência da Barra de Natal e que pode ser avistado a quase 20 milhas náuticas. Não se perca, mas conte com muito cuidado as pilastras dos estaiamentos.      

O encontro

9 Setembro (175)9 Setembro (172)9 Setembro (173)Os encontros de velejadores, em alguma ancoragem qualquer pelos recantos dos oceanos do mundo, é sempre uma alegria em volta de mesas coloridas de receitas maravilhosas. Nesses encontros não existe um planejamento antecipado, tudo acontece na mais pura improvisação, basta a vontade de um combinar com o desejo de outros e assim está marcada a reunião em algum barco da vez. É um clima bom, regado com o mais sincero entendimento entre pessoas que têm interesses comuns e que não tem hora para terminar. Termina quando o último resolver ir embora e isso na maioria das vezes demora um bocado. As receitas seguem o ritual em que cada barco leva a que desejar e por isso a mesa fica tão colorida e saborosa. É assim!      

Guerra de gigantes sobre o litoral nordestino

IMG_0020IMG_0010IMG_0017IMG_0011

A natureza é mesmo cheia de mistérios, mas nunca engana ninguém. Quando resolve fazer estragos, primeiro envia sinais, que muitas vezes passam despercebidos, em seguida ameaça com um rosto mais carrancudo e no fim é que vem a rebordosa. Há dias que os satélites meteorológicos acompanham a movimentação dos exércitos dos deuses sobre o litoral do nordeste brasileiro e a leitura vinda das lentes indicam uma grande operação de guerra no mar com ondas variando de 2,5 a 4 metros de altura e ventos na casa dos 20 nós. Os homens que estudam o tempo apostaram suas fichas que a luta começaria neste final de semana, 02, 04 e 05 de Outubro, e parece que ganharam a aposta. Na Bahia, onde navego atualmente, a coisa nessa Sexta-Feira, 04, está feia. Hoje tive a curiosidade de ir de carro até o Farol da Barra apenas para ver como estava a situação do mar por aquelas bandas e me espantei com o que vi. Dentro da Baía de Todos os Santos o mar estava totalmente encarneirado e a entrada da Barra estava no maior salseiro. O batalhão de ataque da frente fria já avança rumo ao Norte, mas o grosso da tropa promete chegar ainda nesta madruga na terra dos Orixás.       

Natureza em fúria

Essa coisa meio disforme que aparece na imagem é mais um dos monstros criados pela natureza para colocar o ser humano em seu devido lugar no tempo e no espaço. O bicho papão se chama Phanfone e vem em forma de um super tufão voando a 20 quilômetros por hora sobres as águas do Oceano Pacífico e trazendo na garupa ventos de 175 km/h com rajadas de mais de 250 Km/h. Segundo o site Clima Tempo, de onde copiei a imagem e peguei essa informação, a coisa caminha em direção ao Japão e a capital Tóquio está em alerta geral. A notícia da feroz tempestade agitou os bastidores do GP de Fórmula 1, que acontecerá em Suzuka, Domingo, 05/10, e a organização da prova marcou reunião com as equipes para avaliar a situação. É bronca!   

Desdobramentos das regras da Refeno

foto 2

Em consequência do acidente com o trimarã Nativo, que naufragou na costa do Rio Grande do Norte enquanto participava da XXVI Refeno, deixando seis tripulantes a deriva em alto mar por mais de 32 horas, a Marinha do Brasil somente liberou o retorno livre ao continente para aqueles veleiros que tivessem a bordo o localizador Epirb. Os demais veleiros deverão retornar apenas acompanhados pelos dois navios patrulha que estão em Fernando de Noronha para esse fim e que devem navegar com atenção total na flotilha da regata Fernando de Noronha/Natal, que larga na manhã de Sábado, 04. Aqueles comandantes que já deixaram a Ilha sem observar a nova exigência, algum petardo de longo alcance deve vir por ai. O Cabanga Iate Clube já adiantou mudanças para a Refeno 2015, inclusive a exigência do Epirb, mas diante de tudo o que temos acompanhado, essa mudança deverá ser bem mais abrangente. Esse é o segundo acidente que resultou em naufrágio acorrido, e felizmente sem vítimas fatais, durante a competição.

GetAttachment Em 2009 o trimarã paraibano Acauã capotou no retorno a Paraíba e teve seus três tripulantes resgatados por um navio da Marinha. Em agradecimento e reconhecimento a tripulação resgatada espalhou outdoors em várias capitais do nordeste.     

Regata Fernando de Noronha/Natal 2014

IMG_0534

Vinte veleiro estarão alinhados na largada da regata Fernando de Noronha/Natal – Fenat, Sábado, 04/10, segundo informações passadas pelo coordenador da regata Érico Amorim, garantindo mais uma vez o sucesso da competição.  A previsão é que os primeiros barcos da flotilha cruzem a linha de chegada na madrugada do Domingo e alguns participantes já aparecem como favoritos, entre eles o catamarã pernambucano Jahu II. A prova é uma promoção do Iate Clube do Natal e sem medo de errar: É uma das mais gostosas, animadas e calorosas regatas do Brasil.