Avoante, a canção


 

A gente vai navegando por ai, pescando histórias, fazendo crônicas, falando da vida, festejando a natureza, se apaixonando com o horizonte sem fim e juntando amigos. Nem sempre os amigos embarcam de vera a bordo do nosso veleirinho, a grande maioria embarca no sonho da aventura e chegam navegando pelas águas do grande oceano internético, mas nem por isso deixam de ser grandes e bons amigos. Alguns festejam a amizade com poesias, textos, fotografias, desenhos, emails e comentários, todos querendo expressar o carinho que sentem por nós e com o nosso Avoante, mesmo sem nunca ter nos visto mais gordos, mas é assim. Amizade é uma via de mão dupla onde se cruzam lealdade, amor, carinho, atenção, verdade, mentira honrosa, sinceridade, paciência, entendimento, muito calor humano e muita vontade de querer bem. Existe o ex-amigo? Existe sim, quando a via passa a ser apenas mão única. Mas vamos deixar de filosofia barata e voltar ao tema objetivo dessa postagem. No mês de Maio recebi do amigo Hélio Mattos, o sobrenome é apenas uma feliz coincidência, uma canção feita para o Avoante. Hélio, pernambucano arretado, é um assíduo leitor do blog e um dos mais ativos comentaristas. Velejador que encontrou nos meus textos a veia para seguir no sonho náutico e a partir dai a amizade, mesmo virtual, soprou ventos favoráveis.  É claro que você deve saber que Avoante é a famosa Asa Branca que tanto migra para lá e para cá, então fiz uma analogia pássaro/barco. Gostei do resultado final, mas penso que você pode achar que ela não tem nada a ver com nada. É porque é a minha maneira de tentar traduzir um pouco do que aprendo nos seus textos. E eles, coisa que muito me envolve, têm um quê de tristeza e decepção com a vida em terra, com os descaminhos da sociedade atual. Tenho brincado de fazer músicas nas minhas horas vagas e a força dos seus escritos têm mexido muito comigo, daí a decisão de fazer algo com este sentimento. Digo que tem mexido muito porque penso direto nas suas palavras que tanto instigam em direção ao mar… Foi assim que ele escreveu quando enviou a letra da Canção do Avoante. Elson Fernandes (Mucuripe), violeiro da mulesta, velejador cruzeirista do grande oceano central do Paranoá, amigo de fé e fogo, cearense forjado entre o sol do sertão e os alísios do mar alencarino, fala mansa do bom nordestino. Pois é, Mucuripe inseriu a letra da Canção do Avoante na alma, parlamentou com o autor, Hélio Mattos, sobre tons, semi-tons, batidas e hits, coisas do mundo da música, e se mandou Paranoá adentro, a bordo do veleiro Mucuripe com a comandanta Fabiana. Diante do pôr do sol do planalto central e na mansidão do grande lago oceânico, o velejador violeiro executou a música e Fabiana gravou tudo. O resultado está ai e mais uma vez festejo a amizade. Obrigado Hélio Mattos pela letra e melodia que nos emocionou e obrigado também ao grande Elson Mucuripe pela versão cheia de magia. Amizade faz coisas assim sim senhor!  

Anúncios

8 Respostas para “Avoante, a canção

  1. Ê meu amigo, Que belas palavras Avoânticas! Prezo muito por nossa amizade, e graças à essa bela canção do amigo Hélio Mattos, pude mais uma vez prestar uma singela homenagem à nossa amizade e ao valente Avoante!

    Grande abraço pra você e a comandanta Lúcia!

    Mucuripe e Neguinha.

    Curtir

  2. Parabens ao compositor e ao arranjador, e principalmente aos homenageados/inspiradores.

    Curtir

  3. Mas rapazzz!!!
    Que surpresa agradavelmente bela para se começar o dia!
    Olha Elson, vou te dizer que simplesmente adorei.
    A sensibilidade deste novo arranjo ficou de arrepiar e, cá pra nós, tem uma calma, uma serenidade que de certa forma faltou no original.
    Como falei para o Nelson, ficou com uma certa tristeza, que cabia bem na música. Na sua versão a melancolia vira só um bonito pano de fundo.
    O final partindo para o horizonte também demonstra uma sensibilidade apurada de quem estava na “direção de arte”.
    Parabéns Cara! Estou ainda emocionado, como num feliz casamento de uma filha querida..
    Parabéns!

    Curtir

    • diariodoavoante

      Pôxa Hélio, estava preocupado com o seu silêncio. Um grande, Nelson

      Curtir

      • Grande compositor e cantador Hélio Mattos, fico muito contente de não ter conseguido estragar sua canção…kkkk….que bom que gostou do resultado. Essa “direção de arte” foi por conta de minha comandanta, falei pra ela ir avoando de mansinho pelas águas do paranoá enquanto o violão chorava sua melodia.
        E vc andou sumido mesmo seu cabra!!!!
        Grande abraço!

        Mucuripe.

        Curtir

  4. Ôxe Comandante! E tu é desse, é? (Como se diz por aqui quando se estranham certas preocupações incabíveis aos que se gostam).
    Óia, o fato é que eu estou meio que impedido, por mim mesmo, de entrar no mundo internético. Daí demoro a abrir e-mails e visitar os sites que gosto que, aliás, se resumem a 3. O Diário do Avoante, o do Santa Cruz (que é como se fosse uma doença e que empatou de 1 a 1 com o ABC e eu fiquei arretado), e o google para dirimir dúvidas e mais um monte de possibilidades subutilizadas…
    Enfim, só vi agora esta belezura de vídeo!
    (Tô entrando muito pouco mesmo na internet)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s