Eu também quero ir!!!!


pigente de veleiro Se você já viu coisa igual a isso pode mandar que eu faço questão de publicar. Nem sempre as coisas dão certo. Mas será que foi o comandante que jogou ele para fora do barco?

Anúncios

4 Respostas para “Eu também quero ir!!!!

  1. kkkkkkk…Será que estavam indo na REFENO?

    Curtir

  2. rsrsrs….acho que ele bebeu e perdeu a hora da regata…..muito boa,,,,eu tambem vouuuuuuuuuuuuuuursrsrsrs

    Curtir

  3. Julival Fonsêca de Góes

    Caro Nelson, não sabemos se se trata de um fato ou brincadeira. De qualquer modo, há muitos anos, coisas de mais de trinta, três amigos nossos, numa viagem a Noronha, partindo de Recife num Brasilia “32”, caiu ao mar. Viveu momentos de angústia porque alem de ser noite, seus dois outros companheiros-tripulantes,se ecnotravam a todo ronco. Felizmente que preso a um cabo, conseguiu se safar quando por falta de vento, o veleiro praticamente “estacionou”. Seu nome : RAMON PEDREGAL, arquiteto, hoje não mais entre nós, porque num mar possivelmente bem mais seguro ao lado de Jesus. Um abraço, Julival Fonsêca de Góes( Veleiro Sedutor, o veleiro amigo)

    Curtir

  4. Julival Fonsêca de Góes

    Caro Nelson, ainda um outro fáto: Saíam de Abrolhos já bem noite(felizmente clara) três amigos baianos:Israel(Tico Rebouças), seu irmão Emanoel(Rambo Rebouças) e Bráulio( Bom de papo). Quando de repente, ouve-se um “baque nágua!. Tico ainda acordado, sobe ao cock-pit e surprezo vê que seu amigo Braulio, que acabara de substituí-lo no turno da noite, havia caído no mar.
    Às pressas, arreiam as velas, não despregam os olhos do quase naufrágo e conseguem iça-lo a bordo. Resultado:
    todos encharcados completamente! Não da salgada água do mar. Mas da água que saia da mangueira existente entre as pernas de cada um. Há quem diga, que nestas ocasiões não desejadas, também não há como conrolar o barro que sai por trás escorrendo pelas pernas. Porque a queda ? O cabo (garda mancebo) de popa partiu-se uando o marujo se encostou. Possivelmente para uma imprudente “soneca”. Nome e modelo do veleiro: Brasilia “32”, chamado de Matreiro. Aliás, nessas duas ocasiões, havia na Bahia muitos Brasilias 32″.
    Até breve com ventos favoráveis e pés firmes em terra segura.
    Julival Fonsêca de Góes( Veleiro Seutor, o veleiro amigo)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s