Arquivo do mês: março 2012

A Normam 3 sofreu alterações – Confira

Regata Batalha Naval do Riachuelo 004

A Diretoria de Portos e Costa da Marinha do Brasil fez alterações na Normam 3, aquela que normatiza as embarcações de esporte e/ou recreio e as entidades náuticas ligadas ao amador. A partir de agora todo condutor de Jet Ski precisar portar carteira de motonauta e comprovar a participação em 4 horas de aulas práticas. Essa regra vale também para quem já é habilitado em Arrais, Mestre e Capitão Amador. Para a carteira de Arrais Amador também será exigido aulas práticas. Quem tiver a Carteira Nacional de Habilitação fica dispensado de apresentar atestado médico. A quantidade de pirotécnicos também sofreu modificação e agora embarcações menores de 23 metros navegando em águas interiores ficam dispensados de terem a bordo. Outras alterações fazem parte da Portaria 263/DPC, clique AQUI para ficar inteirado.

Você sabia?

Você sabia que a NORMAM 03 – Norma da Autoridade Marítima para amadores, embarcações de esporte e/ou recreio e para cadastramento e funcionamento das marinas, clubes e entidades desportivas náuticas – no capítulo 6 determina a obrigação de embarcação de apoio em marinas, clubes e entidades náuticas?
c) Embarcação de Apoio
As marinas, clubes e entidades desportivas náuticas que abriguem mais de 50
embarcações de esporte e/ou recreio  deverão manter, permanentemente apta a
manobrar, uma embarcação  para apoio e segurança para  atender suas embarcações
filiadas nas águas interiores, conforme estabelecido nas Normas e Procedimentos para as
Capitanias dos Portos (NPCP/NPCF), num raio máximo de até 10 milhas de sua sede,
com capacidade para rebocar a maioria das suas embarcações, não somente durante as
competições e eventos, mas também em qualquer situação de emergência.
Essa embarcação para apoio e segurança poderá ser mantida em parceria com
outras marinas, clubes e entidades desportivas náuticas ou por meio de empresas
terceirizadas.
A embarcação de apoio, além dos indispensáveis equipamentos de
comunicação VHF ou HF, deverá ser dotada sempre com excesso de equipamentos e
material de salvatagem e primeiros socorros, de modo a poder prestar a assistência que
for requerida em emergências.
O serviço de apoio poderá ser indenizado de acordo com o estabelecido no
estatuto de cada entidade ou no contrato de  terceiros, desde que não se configure em
salvaguarda da vida humana.
As marinas, clubes e entidades desportivas náuticas que abriguem menos de
100 e mais de 50 embarcações de esporte e/ou recreio deverão, até 31/12/2004, adotar
os procedimentos descritos nesta alínea.

Velejador foi parar na Delegacia

visita a fragata independencia (29)

Em solidariedade ao velejador Danilo Chagas Ribeiro, editor do site popa.com.br, e a todos os navegantes amadores gaúchos, reproduzo na integra o artigo publicado dia 14/03 no popa.com.br: Velejador foi parar na Delegacia. Para acessar o link clique AQUI.

* Danilo, mais uma vez peço desculpas por não pedir permissão para reproduzir seus artigos, mas esse eu não poderia deixar passar em branco. Um grande abraço, Nelson

A primeira turma no mar

1ª aula prática (1)

No Sábado passado, 10/03, encerramos a primeira turma do Curso de Vela de Cruzeiro e como vocês podem ver na foto, a turma aprendeu rapidinho que o mais importante, além de velejar, é se salvar em cima de um prato de comida. Brincadeira a parte, a nossa aula prática foi com total ajuda da meteorologia em testar os novos cruzeiristas, pois com um céu totalmente nublado e com vento tão fraco que o Avoante se espreguiçava todo para sair do lugar, quando saímos na boca da barra de Natal a chuva mostrou que todas aquelas nuvens não faziam parte da paisagem, elas estavam ali para derramar toda a água que quisessem. E assim foi feito! Totalmente encharcados, mas felizes, aproamos o primeiro ponto que a turma havia marcado a 4 milhas da costa para tirar a prova dos nove do GPS e conferir as marcações com a Carta Náutica. No ponto marcado chegamos em cima da mosca, mas conferir a Carta ficou sem condições. Quando demos o bordo para seguir até o próximo ponto, seguindo a rota pré-determinada, o vento acompanhou a nossa proa, é sempre assim, e o homem da chuva resolveu abrir o restante das comportas. Eu ainda tentei animar a turma mostrando a beleza de navegar em comunhão com os elementos da natureza, mas o frio nordestino já começava a se fazer presente e resolvi aproar em direção a entrada da barra. Afinal o curso tem por finalidade incentivar novos velejadores de cruzeiro e mostra o prazer de uma boa velejada. A nossa velejada, apesar da chuva, até que não estava ruim, mas estava muito longe de uma boa velejada para iniciantes, mesmo assim a turma gostou da experiência. Depois de ancorar no clube e arrumar o barco, que mesmo chovendo tem que ser feito, brindamos com uma fumegante xícara de café.

Dividindo 100 mil alegrias com os amigos!

super quarta (17)

No caminhar da vida o maior de todos os segredos é o de fazer e manter os amigos junto da gente. Muitas vezes nos afastamos durante anos a fio, mas um dia, numa das esquinas da vida, lá estão eles com um largo sorriso de alegria e com uma lembrança na ponta da língua. Não importa se o nosso rosto já escancara as marcas do caminhar ou se o nosso corpo já não tem aquela mesma virilidade de uma juventude que nem faz tanto tempo assim. Tudo é motivo para um abraço, um aperto de mão, uma saudade, um apelido que nunca se esquece, um segredo que continua segredo, uma história tão velha quanto presente, um olhar de relance, um amor e um monte de coisas boas que somente um amigo é capaz de trazer a tona. Sem amigos o homem não tem história!

Quando começamos o blog Diário do Avoante foi carregando a responsabilidade de manter os amigos ao nosso lado e conquistar tantos quantos fossem preciso, pois infinito é o reino da amizade. Havia o medo da falta de assunto e o de navegar em mares tempestuosos que provocassem o desembarque de velhos amigos e impedissem o embarque dos novos. Havia até o medo da mesmice, num universo tão grande e ao mesmo tempo tão pequeno como é o universo náutico. Mas, para nossa alegria nada disso aconteceu e sempre, com gratidão, festejamos todas as conquistas dessa navegada que já dura dois anos e dois meses. Hoje reconhecemos que a responsabilidade aumentou, pois o Diário do Avoante já não é nosso, ele é parte da vida de cada um dos leitores que um dia resolveram dar uma espiadinha e se identificaram com o nosso sonho de vida, tornando-se mais um amigo mesmo sem nunca termos nos encontrado. Somos tão cientes que ele já não nos pertence que hoje estamos festejando com vocês a marca de 100.000 mil acessos. Cem mil é um número tão grande quanto espetacular e que nunca poderíamos imaginar, mesmo diante da grande plantação de amigos que amamos e que fazemos questão de regar todos os dias. Alegria é alegria e sempre é gostoso dividir com os amigos, por isso, dividimos com vocês esse momento e esperamos a cada dia dividir muito mais. Por tudo isso, só nos resta agradecer e continuar acolhendo a bordo do nosso Avoante todos vocês e a todos que um dia vierem fazer parte da tripulação. Muito obrigado!!

A vela de cruzeiro – II

Lavagem da Coroa  de Itaparica (13)

O artigo da semana passada sobre a vela de cruzeiro foi motivo de vários emails e comentários no blog Diário do Avoante (diariodoavoante.wordpress.com). Muitos se identificando com as maravilhas de uma viagem em um veleiro de oceano e outros vendo no texto mais um motivo para buscar a realização do grande sonho de vida, o de morar a bordo de um barco ou mesmo mudar o rumo de suas vidas.

Reconheço as dificuldades de mudanças radicais em nossas vidas, pois as raízes que plantamos em terra são fortes e não morrem facilmente. Mas, muitas vezes elas nos consomem a ponto de não deixar que enxerguemos um centímetro além. Quando uma mudança é muito lenta corre o risco de nunca se realizar. O nosso subconsciente vive de lamentações e de produzir comparações terríveis para apagar nossos desejos. Uma mudança de vida é um prato cheio para ele trabalhar em tempo integral.

Não estou querendo que você embarque numa canoa furada, largando tudo que conseguiu na vida para o alto, mergulhando de cabeça em um sonho louco recheado de aventuras. Mas o corpo cobra ações imediatas para a realização de um sonho e a vida segue em frente, até que um dia você olha para trás e ver que seus sonhos ficaram pelo caminho e não podem mais serem resgatados.

Continuar lendo

Veleiro naufraga próximo à Fernando de Noronha

Um veleiro de bandeira francesa que navegava de Cabo Verde em direção a Salvador/BA naufragou próximo a Ilha de Fernando de Noronha na semana passada, a bordo estava apenas o casal Henry e Danilla Baudou. Segundo relatos do próprio Henry, na noite do dia 07/03 o veleiro se chocou com alguma coisa no mar, que eles não puderam definir o que era, que abriu um buraco no casco. Veja abaixo a matéria completa que copiei do popa.com.br:

Um naufrágio com final feliz movimentou Fernando de Noronha nesse final de semana. O piloto de avião aposentado, o francês Henry Baudou, e a esposa Danilla Baudou saíram de Cabo Verde, na África, no dia 26 de fevereiro, com destino a Salvador, mas um choque com um objeto não-identificado fez o casal desviar a rota e chegar até a Ilha. 
O acidente aconteceu depois de dez noites no mar, quando eles estavam dormindo. Por volta da meia-noite, uma forte pancada no casco projetou os dois para frente. Henry e Daniella tentaram ver o que tinha acontecido com o veleiro, mas não conseguiram, estava muito escuro. 
Nos fundos, dentro do barco, eles encontraram alguns buracos e rachaduras que permitiam a entrada de água. O casal usou roupas e outros objetos para tentar fechar as aberturas e impedir que a água continuasse entrando. Mudaram a rota e com a ajuda de um aparelho GPS, vela e motor seguiram em direção a Fernando de Noronha – que a 40 milhas, cerca de 70 quilômetros de distância, era o ponto mais próximo. 
Aos poucos a água foi comprometendo a navegação. Danificou o sistema elétrico e antes que o veleiro afundasse, os dois conseguiram preparar os barcos salva-vidas (um Dingue com motor e um bote inflável) e colocar alguns objetos pessoais, equipamentos de segurança, além de comida e combustível. Henry guiou por 18 horas até chegar ao Porto de Santo Antônio, por volta das 22h30 da noite da última quinta-feira (08.03). 
O casal recebeu ajuda de alguns moradores da Ilha que acionaram o Corpo de Bombeiros para atendimento e se solidarizaram com a situação dos estrangeiros, oferecendo abrigo e alimentação. 
Henry e Daniella seguiram para Natal, de onde seguem de volta para a França. Apesar do trauma, eles não desistiram de velejar. “Certamente não, nós amamos isso”, disse o ex-piloto. 
Aposentadoria – A viagem do casal estava sendo preparada há dois anos. A idéia era aproveitar a aposentadoria recém-chegada e curtir a vida, conhecendo diferentes portos do mundo. Eles venderam casa e carro e investiram no veleiro “Sloop”, de 13 metros de comprimento. Henry lamenta o acidente, mas diz que a perda material não foi a prioridade para o casal. “No momento eu só pensava em manter a calma para poder pensar e saber fazer tudo certinho para tirar minha mulher e eu com vida de lá. Conseguimos e chegamos neste lugar cheio de solidariedade. Somos muito gratos a todos”, concluiu o francês.
Fonte: ilhadenoronha.com.br
Colaboração: Edison Lima / Veleiro Trilha RJ

Coisas da natureza

O tempo parece que cansou dos dias de sol de verão e resolveu colocar água na fervura. Em Natal depois de uma madrugada de chuvas e ventos fortes o dia amanheceu prometendo mais chuva e não enganou ninguem. Para o final de semana a meteorologia diz que vai chover em quase todo Brasil. Se você vai para o mar é bom ler com atenção os sinais vindos dos céus, dar uma navegada pelos site meteorológicos  e mandar tirar o mofo da capa de chuva.

REGIÃO DO LITORAL BRASILEIRO – NORDESTE
– Sexta-feira (09/03), os ventos tenderão a perder força em alto-mar, na altura do SE até PE. Neste dia, a mar ficará agitado em alto-mar, na altura da costa do PE, PB e RN com ondas entre 2 e 2,5 metros. No entanto, a altura das ondas tenderá a diminuir rápidamente com o transcorrer do dia. Na região costeira, as condições do estado do mar tenderão a se manter.
– No sábado (10/03), ventos fracos a moderados continuarão dominando o litoral da Região Nordeste. As ondas propagarão de sudeste e nordeste com alturas de até 1 metro nas regiões próximas da costa, e de até 1,5 metros em oceano aberto.

Tudo isso eu pesquei no CPTEC-INPE e aconselho você sempre fazer o mesmo.

A receita do pecado da gula

jantar casa de sandra (23)

Como hoje é o dia Internacional da Mulher e como sei que tem muitos homens que adoram ir até a cozinha preparar algum prato e demonstrar todo amor e carinho que sente por elas, vou dizer como é feito essa delícia de Crepe de Banana com Calda de Chocolate, que deixou muita gente com água na boca no post Um Crepe dos deuses. Mas essa receita não é minha, ela é parte das ideias culinárias da dona da minha cabeça e que eu faço questão de homenagear durante os 365 dias do ano e que através delas homenageio todas as mulheres do mundo.

Massa do crepe

1 colher de chá de açúcar / 3 ovos / 100g de farinha de trigo / 200 ml de leite / 50g manteiga derretida / 1 pitada de sal.

Recheio

4 bananas cortadas em rodelas/ 1/2 xícara de açúcar / 1/4 xícara de água

Cobertura

1 barra de chocolate meio amargo / 1/2 caixa de creme de leite

Acompanhamento

Sorvete de creme ou creme com passas

Modo de preparo da massa

Bata os  ovos e o sal, aos poucos acrescente farinha, leite, açúcar e a manteiga derretida. Deixe a massa descansar uns 15 minutos. Unte uma frigideira, leve ao fogo e faça os discos bem finos e reserve.

Recheio

Em uma panela coloque açúcar, água e deixe virar caramelo. Acrescente as bananas até dourarem.

Cobertura

Derreta o chocolate em banho maria ou microandas e acrescente o creme de leite.

Montagem

Em um disco de Crepe coloque bananas e dobre ao meio. Ao lado coloque sorvete e regue com a calda de chocolate.

Final

Se conseguir, coma moderadamente. Bom apetite.

Em quase todo mundo é assim!

Galícia, cuja capital é Santiago de Compostela, é uma comunidade autónoma da Espanha com uma população de mais de 2,7 milhões de habitantes. A Galícia e dona de uma marca que faz inveja a muita gente que vive olhando para um litoral de mais de 8.500 quilômetros de extensão. Esse pequeno pedaço da Espanha recebe em suas águas anualmente mais de 15 mil embarcações de recreio, que passam em média 3 dias na comunidade. É um número que coloca a Galícia, ou Galiza, em primeiro lugar no turismo náutico de recreio na Europa, segundo dados fornecidos pela mesa de trabalho do Plano Estratégico 2010-2012 para a náutica de recreio. O encontro foi criado por setores institucionais para promover a geração de negócios, impulsionar criação de marinas e objetivando otimizar a alocação de recursos  para barcos de recreio. Segundo José Juan Duran, coordenador do encontro: “Esta administração acredita no potencial da náutica de recreio como um fator na geração de riqueza e de emprego, uma questão de vital importância em um momento de crise como esta”. E salientou ainda o potencial da Galícia para ficar como uma referência nacional e internacional da indústria naval e disse que o Plano Estratégico deverá abordar a necessidade de apresentar uma oferta competitiva de acordo com a atividade real que já está registrado. fonte: masmar.net

Isso é uma realidade e os caras ainda estão querendo melhorar. Muito diferente de não ter quase nada e ainda ter um monte de orgãos públicos e pessoas sem noção atrapalhando e burocratizando o que já é altamente burocratizado.