Arquivo do mês: junho 2010

UMA SENHORA VELEJADORA – UM COMENTÁRIO

Recebi email do velejador Luciano Guerra, leitor da coluna DIÁRIO DO AVOANTE no jornal TRIBUNA DO NORTE, comentando o artigo UMA SENHORA VELEJADORA, postado também neste blog, que com a autorização do mesmo publico agora. Muito obrigado Luciano e bons ventos. 

Caro Mattos,
 
Primeiramente quero parabenizá-lo pelo seu relato sobre Abby.
Hoje tenho 35 anos, mas iniciei as minhas velejadas aos 6 anos
de idade. Naquela época eu velejava na minha canôa caiçara que
o meu avô e meu tio fizeram para mim. O mastro era de pau
d’arco e a vela de roupa de cama velha que minha mãe fez.
Com esta canôa eu costumava sair da Vila do Abraão para o
Saco do Céu, Palmas, Freguesia de Santana e por aí vai…
Lembro que algumas pessoas viviam criticando meus pais, meu
tio e meu avô por deixar uma criança sair para velejar de canôa
sozinha, mas hoje, com 35 anos, velejando grande parte do meu
tempo em solitário em um 31 pés vejo nas suas palavras as
palavras que eu gostaria de ter falado para os meus pais, tios e avô.
 
Eu deveria ter falado para eles que ele estavam sendo responsáveis
pela criação de um adulto honesto, que ajuda as pessoas, compreensivel,
ponderado e por aí vai.
 
Parabéns mais uma vez. Espero que Deus ilumine ainda mais a sua
mente para que saia ainda mais palavras inteligentes para o mundo
cruel de hoje.
 
Abraços
 
Luciano Guerra
Veleiro Araiti
ILHA GRANDE – RJ
 

Anúncios

ARRAIÁ DO VELEJADOR

Vai ser Quarta-Feira, 23/06, no Iate Clube do Natal o 1º ARRAIÁ DO VELEJADOR. Ninguém  pode faltar e quem faltar não vai ter desculpas. Comidas típicas, forró, gato no pote, pescaria, tiro ao alvo e muita animação. Quem quiser pode vir a carater e a festança começa às 19 horas. O sistema de comidas vai funcionar no mesmo modelo dos nossos encontros semanais. Quem quiser saber mais detalhes ligue para Lucia do Avoante. Já ia esquecendo: VAI TER QUADRILHA IMPROVISADA.

PEIXE ENSOPADO – A RECEITA

O post sobre o PEIXE ENSOPADO  gerou uma glutônica reação nos amigos leitores, alguns querendo a receita e outros se prontificando vir ao AVOANTE, prometendo trazer o peixe e uma boa cachacinha. A receita vou postar agora, mas os que quiserem vir a bordo não precisam fazer cerimônias. Comer, beber e farrear é com a gente mesmo!

RECEITA

Ingredientes:

Disposição para ir a pé comprar o peixe num dia de chuva;  peixe fresco; tomate; cebola; pimentão; coentro; cebolinha; batata inglesa; azeite de oliva e sal a gosto.

Preparo:

Duas colheres de azeite de oliva para untar o fundo da panela de pressão, rodelas de cebola e batata para forrar e em seguida a primeira camada de peixe. Cobre o peixe com rodelas de cebola, tomate, batata e pimentão, mais uma camada de peixe e novamente cebola, tomate, batata, pimentão e, agora, coentro, cebolinha e rega com azeite de oliva. Fecha a panela e espera 30 minutos, antes de ir ao fogo, para o tempero tomar gosto. Em seguida leva ao fogo e no primeiro chiado da panela de pressão desliga o fogo e aguarda sair todo o vapor. Coloca a cachacinha sobre a mesa, abre a panela, quando a pressão acabar, respira forte para apreciar o aroma e cai de boca até você começar a suar e ficar esbaforido de comer. Bom apetite!

 

 

UMA SENHORA VELEJADORA

 

                                   “Há muitas coisas que as pessoas podem pensar para culpar a minha situação: minha idade, a época do ano e muito mais. A verdade é que eu estava no meio de uma tempestade e não se veleja no Oceano Índico sem passar ao menos por uma tempestade. Não foi a época do ano, foi apenas uma tempestade do sul. Tempestades fazem parte do pacote quando se decide velejar ao redor do mundo. Quando à idade, desde quando a idade cria ondas gigantes e tempestades?” Abby 

                                   Na semana passado o mundo náutico parou para acompanhar o desenrolar do caso da velejadora californiana Abby Sunderland, 16 anos, que tentava uma volta ao mundo em solitário, num veleiro de 40 pés e que foi dada como desaparecida depois que seu equipamento de Epirb foi acionado. A notícia espalhou-se rapidamente através de jornais, televisões, rádios e internet.

                                   Abby pretendia o recorde de ser a pessoa mais jovem a cumprir esse objetivo. Seu irmão mais velho Zac Sunderland, fez a mesma tentativa e conseguiu, desencadeando o desejo da irmã caçula.

                                   A tentativa de Abby parou em meio a um oceano mal humorado e que sempre tira a prova dos nove para navegadores que atravessam suas águas tempestuosas. Ventos de 60 nós e ondas de mais de 15 metros, derrubaram o mastro de seu veleiro e forçaram a menina a pedir socorro. Dias antes, ela já tinha passado maus bocados para enfrentar a fúria do mar e a força descomunal dos ventos das altas latitudes, mas o seu veleiro super equipado, para esse tipo de navegação, e ela bem preparada e corajosa, formavam um só corpo solitário em meio ao mundão de água.

                                   Houve muitas críticas aos pais e as autoridades por permitirem tal façanha a uma menina de 16 anos. Até o Guinness Book que regulamenta e premia esses recordes, foi atiçado a não reconhecer tentativas como essas para menores de idade. Mas, essa é uma polêmica que ainda vai atravessar muitos oceanos e não chega a lugar nenhum. É difícil frear o espírito aventureiro de pessoas, principalmente de jovens. Os antigos navegantes, desbravadores dos oceanos e do mundo, eram jovens e muitos deles não tinham 17 anos completo.

                                   Abby Sunderland foi resgatado depois de três dias em que três países, EUA, França e Austrália, se esforçaram para tentar localizar seu paradeiro. Um avião sobrevoou a área do sinal emitido pelo Epirb e um pesqueiro francês que navegava a mais de 3 mil quilômetros de distância foi deslocado para fazer o resgate. O veleiro foi encontrado sem o mastro, varrido por uma onda mais afoita, mas, a velejadora em bom estado de saúde e com bom humor.

                                   Alguns dizem que foi sorte e pode até ser que tenham razão, mas a grande verdade é que a navegação nos dias de hoje é segura e pode ser feita por qualquer pessoa que tenha um bom planejamento, conhecimento e preparo para realizá-la. Os barcos e os equipamentos de navegação atingem níveis altíssimos de perfeição e os velejadores, sejam eles adultos ou muito jovens, que se propõem a realizar essas proezas, são muito bem preparados. Como diz o ditado: “Quem vai ao mar, avia-se em terra”.          

                                   Idade não é passaporte para se fazer ao mar, nem o mar é um local tão perigoso a ponto de uma criança não poder navegar. Mais perigosos são as cidades, as ruas, um Shopping Center ou um simples caminhar numa calçada. Onde vivemos sob poder das drogas, da bandidagem, das armas, da violência banalizada, dos acidentes de trânsito e da falta de ação e pulso de autoridades desnorteadas.

                                   O mar é um mundo livre aonde quem vai a ele, sabe que pode encontrar a paz e a serenidade que as cidades não podem mais oferecer. Jovens como Abby Sunderland e seu irmão Zac, e também outra jovem, detentora do recorde que Abby tentava superar, a australiana Jessica Watson, sabem muito bem o que querem e esperam do mundo. Seus pais podem até serem taxados de relapsos para com a educação e a saúde dos filhos, mas no fundo eles sabem que na volta, receberam em casa filhos mais preparados para a vida do que muitos alunos das mais famosas escolas do mundo.

                                   O mar é uma grande escola e uma grande universidade para a vida das pessoas. Crianças que navegam sozinhas ou acompanhadas pelos pais assimilam rapidamente fundamentos de liberdade, paz, solidariedade, autocontrole, determinação, ética, razão, ecologia, segurança, planejamento e respeito.

                                   Não desista Abby, os deuses do mar reconhecem o seu valor!

 Nelson Mattos Filho

Velejador

SÃO PEDRO A BORDO

 

O Iate Clube do Natal vai realizar dia 25 de Junho seu tradicional São Pedro a Bordo. Vai ser uma festança daquelas arroxadas e com todo calor das fogueiras. Quadrilha improvisada, comidas típicas, fogueira e muito forró. Venha você também participar!

RECEITA DE PEIXE ENSOPADO

Hoje acordei com vontade de comer peixe cozido na panela de pressão, uma receita que foi passada pelo baiano/sergipano Gileno, veleiro Caboges. Essa é de dar água na boca e, para aqueles afeitos aos caprichos da culinária,  uma boa maneira de impressionar os amigos. O bicho fica bom que nem presta.  O dia em Natal amanheceu chuvoso e com aquele jeitão que iria se manter assim durante o dia inteiro. Mas como vontade a gente só mata quando realiza, a hora do almoço foi chegando e a vontade foi se multiplicando. Tentei desanuviar a mente com um bate-papo no palhoção do clube e quando já estava quase esquecendo a peixada, chegou o amigo Joca. Conversa vai, conversa vem e lá vem novamente a vontade. Joca ainda botou pressão na panela dizendo: “Nelsão vamos lá comprar esse peixe que quem está com água na boca agora sou eu” E lá fomos nós até o Canto do Mangue escolher o escamudo. Na saída da peixaria caiu um pé d’água de responsa, daqueles que não deixa espaço entre um pingo é outro. As gotas caiam junto que nem cachoeira. Como não tínhamos guarda-chuva e a fome já mostrava a sua força, resolvemos enfrentar o dilúvio. Chegamos ao clube completamente ensopados e foi nessa hora que Joca batizou o prato: “Nelsão, hoje em vez de peixe na pressão vai ser PEIXE ENSOPADO”. Na chegada ainda convidamos o amigo Helio Milito para saborear a iguaria. Ele, bom de garfo, aceitou sem pestanejar.

VAI AO MAR? OLHE O TEMPO.

O mar continua agitado em todo litoral do nordeste brasileiro com ventos de até 24 nós. A previsão é de fortes pancadas de chuva de Alagoas ao Rio Grande do Norte.  A situação é de ALERTA. Veja o que diz o CPTEC:

REGIÃO DO LITORAL BRASILEIRO – NORDESTE

– Hoje (17/06), os ventos sopram predominantemente de sudeste com velocidades de até 12 m/s ao largo do litoral da Região Nordeste. A altura das ondas continúa de até 2 metros ao largo do litoral de Maranhão, Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte. No sul, o mar encontra-se agitado devido a chegada de ondas vindo de sudeste, com alturas significativas acima de 2.5 metros. A situação é de ALERTA.

– Na sexta-feira (18/06), os ventos continurão soprando com intensidades de até 12 m/s e as ondas propagarão-se de sudeste com alturas significativas acima de 2.5 metros ao largo do litoral desde o norte da Bahia até Rio Grande do Norte. A situação ainda é de ALERTA.

– No sábado (19/06), a altura das ondas tenderá a diminuir ao largo do litoral desde o norte da Bahia até Rio Grande do Norte.

Obs: Texto referente ao dia 17/06/2010-11h43