AO COMANDANTE VASCONCELOS


                                 

                                    “Nelson, você está realizando um sonho de um marinheiro…”. Esta frase veio acompanhada com um nó na garganta, a algumas milhas da Ilha de Fernando de Noronha em direção a Natal. O dia era uma bela manhã de Outubro, com o mar acordando com o humor alterado.

                                   É fácil reconhecer os homens do mar. Em suas faces brilham o real sentido de honra, liberdade, amizade, reconhecimento, parceria, doação, responsabilidade, respeito, humildade e estão sempre de braços e mãos estendidas para um auxilio.

                                   Hoje presto minhas homenagens a um verdadeiro homem do Mar: Capitão de Mar e Guerra Francisco José Silveira de Vasconcellos ou simplesmente Comandante Vasconcelos, que até o dia 29 de Janeiro de 2010, assumiu o comando da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte.

                                   Nossas latitudes e longitudes se cruzaram no decorrer do ano de 2009, nas dependências do Iate Clube do Natal, eu um simples velejador sonhador e ele um apaixonado pelo esporte a vela, mas com a autoridade de guardião dos portos do Rio Grande do Norte.

                                   Certa vez um amigo perguntou o que eu achava da aproximação e da fácil amizade de Vasconcelos. Na hora fiquei sem resposta, até porque eu não costumo prestar atenção a essas coisas. Para mim, amizade é lealdade e nunca me aproximo de um amigo em busca do que ele possa me dar em troca. Hoje, refletindo um pouco mais, ainda continuo sem resposta. Até porque Vasconcelos é um amigo e de um amigo dificilmente se cobra alguma coisa.

                                   Vasconcelos mudou a cara da Capitania dos Portos. Escancarou suas portas a comunidade náutica e revolucionou a prestação de serviços ao público. Eu, em várias ocasiões, vi o homem Vasconcelos com lagrimas nos olhos diante do reconhecimento de seus comandados e pelas homenagens que nunca lhe faltaram.

                                   Amigo leal, mas sempre pautado pelas normas e Leis da autoridade marítima, nunca precisou usar de sua autoridade para convencer alguém que as regras precisavam ser seguidas. A vida no mar exige respeito e assim, todos aqueles que se aproximavam do comandante sabiam o rumo a seguir.

                                   Aproximava-se o dia da regata Recife – Fernando de Noronha em 2009 e a tripulação do Avoante estava completa, mas num dos muitos encontros de velejadores no clube, ao meu lado sentou o comandante Vasconcelos, com sua habitual alegria e amizade. Numa lacuna dos assuntos da reunião ele pegou no meu braço e falou baixinho: “Volto de Noronha no Avoante”. Dei uma risada e respondi de pronto: -“A tripulação já esta completa…”. Ele não baixou guarda e já desferiu um cruzado de direita: “Eu sei, mas eu vou a Noronha de avião e volto no Avoante nem que seja amarrado nas velas”. A reunião seguiu em frente e ele ficou com aquela cara de quem ganhou a peleja. E ganhou mesmo!

                                   Quem era aquele homem que tínhamos acabado de conhecer e que já se posicionava no mais alto pedestal da amizade e ainda invadia o nosso querido Avoante? Com tanto barco para ele vir de Noronha, porque escolheu logo o nosso, ainda mais sabendo que já estava lotado? Sou difícil de dizer um não aos inimigos, quanto mais aos amigos. Mas, aquele capitãozinho, metido a besta, já começou abusando.

                                   A partir daí nossa amizade foi sendo lapidada e se multiplicou ao longo da travessia oceânica de Noronha/Natal. Amizade que tem o orgulho de vestir a camisa do Avoante e sair exibindo. Amizade de ter dividido turnos em uma longa noite de mar endiabrado. Amizade de ver os vergalhões de ondas e o uivo dos fortes ventos de um Pirajá mais enfurecido, mas que diante da confiança não se abala. Amizade verdadeira que somente o mar pode abençoar e compreender.

                                   Hoje o Comandante Vasconcelos não comanda mais a Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, cumpriu com dignidade o seu posto e agora assume novas funções na sua amada MARINHA DO BRASIL. Vai navegar longe do mar, sua paixão. Vai navegar levando sua experiência e competência aos cerrados e planícies da Capital Federal. Vai navegar pelas avenidas largas e pelas águas tranqüilas de um lago de uma cidade que pulsa a procura de homens de honra e respeito como nosso Comandante.

                                   Bons ventos Comandante Vasconcelos e que o mar, diante do grande marinheiro que você é, seja sempre um bonito mar azul.  

 

Nelson Mattos Filho

Velejador

* Artigo também publicado no jornal TRIBUNA DO NORTE, coluna DIÁRIO DO AVOANTE em 31/01/2010. A coluna é publicada aos domingos. 

Anúncios

3 Respostas para “AO COMANDANTE VASCONCELOS

  1. Lendo hoje o Diário do Avoante pude comprovar que você não está sòzinho nessa vida de aventuras,que nunca faltam oportunidades para conhecer pessoas bôas,leais,humanas ,que se indentificam com vôce ,com o mar e com as coisas simples da vida.
    Muito bom o artigo sôbre oComandante .Desejo também que êle seja bem feliz na sua nova missão .

    Curtir

  2. como muitas vezes nos seus artigos, voce consegue me emocionar profundamente com suas belas palavras, transmitindo tudo de bonito que vc tem no seu coração parabéns amigo
    bjos

    Curtir

  3. diariodoavoante

    Tia Cecilia e Lucia, muito brigado pelos incentivos. Beijos, Nelson

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s