Coisas do progresso

IMG_0019

Nada contra as fontes de energia renovável, mas o que estão fazendo com as dunas e matas virgens que são uma das molduras de beleza do litoral brasileiro é um crime ambiental que até agora passa despercebido do grande público. Montanhas de dunas estão sendo destruídas sem a menor cerimônia e o desmatamento, que não acontece somente no litoral, ameaça a fauna e a flora de grande parte do interior brasileiro, tudo para serem erguidas as torres dos geradores eólicos. Enquanto isso, os fiscais do meio ambiente apontam suas armas para os pequenos pescadores de lagosta e os caçadores de arribaçã. Mas como diz o ditado: “uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa” . O homem, em pleno século XXI, ainda não aprendeu a lidar com o progresso sem precisar desmontar a natureza.

Uma casinha isolada

HYPENESS_INTERNA_1000X600_Iceland

Vez ou outra somos surpreendidos com notícias sobre coisas, fatos, situações e pessoas que ultrapassam as fronteiras do mundo e sempre dizemos que são os maiores, os piores, os mais trágicos, os mais felizes, os mais tudo e por ai vai a imaginação de grandeza que criamos em nossas mentes. Recentemente fomos apresentados a uma casinha localizada numa diminuta ilha no sul da Islândia como sendo a mais isolada do mundo. Acho que nenhum veículo de comunicação do mundo deixou de publicar imagens e comentários sobre a casa de Bjork, como ela é chamada pelos islandeses. Em outras épocas a ilhazinha abrigou algumas famílias que pretendiam viver da criação de gado, pesca e caça dos papagaios-do-mar, mas a intenção fracassou justamente por causa do isolamento. Na década de 50 a casinha branca foi construída pela Associação de Caça de Elliõaey para abrigar os caçadores do papagaios-do-mar. A casinha não tem luz elétrica, a água é recolhida da atmosfera por um sistema especial de coleta e a ilha é cercada pela geladas águas do Atlântico norte. Mas será que a casa de Bjork, que não tem nada a ver com a cantora Bjork que também tem uma ilha na Islândia, é mesmo a mais isolada do mundo ou tudo é fruto da mania de grandeza que insistimos em cultivar? Vamos aguardar! Porém, diante dessa vida louca, destrambelhada e quase impropria para os que querem apenas viver em paz, não seria nada mau morar na casinha de Bjork. Mas por enquanto me basta um veleiro. Imagem copiada do site hypeness.com.br.      

O Pôr do Sol

IMG_0086

O Pôr do Sol tem encantos que quando refletem na alma enche o coração de poesia. 

Você já navegou na Bahia? Então vá!

IMG_0345

Comentário do velejador Sérgio Netto, que colabora com esse blog enviando histórias maravilhosas, no port sobre o tufão Ramassun que atingiu o sudeste asiático.  

“Quem quiser velejar em paz que venha para a Baía de Todos os Santos, sem dúvidas o melhor local do planeta terra para esse tipo de atividade: 1000 km2 de águas abrigadas, 26°C no verão e 24°C no inverno, ventos alísios na medida certa, meso-maré de 2,5m , fontes de água doce sempre disponíveis. Ao por do sol o vento cai deixando uma brisa suave para as velejadas noturnas. Vinte anos atrás, Charlie Gauglième, do Feijão me disse: vocês até que velejam direitinho, mas raramente alguém se aventura a uma travessia. Eu que todo ano venho velejando da França para cá para fugir do inverno do hemisfério norte agora entendi: o melhor programa do mundo é sair da Ribeira para Itaparica num final de semana.”

A meteorologia no Brasil

A imagem do satélite mostra o que a natureza aprontou para o Sul do Brasil nessa Quinta-Feira, 17/07, e com promessa de atrapalhar a programação do fim de semana de muita gente. O Cptec/Inpe anuncia fortes chuvas e tempestades isoladas em toda região Sul. A organização da 41ª Ilhabela Sailing Week, que acontece de 19 a 26 de Julho, reunindo 130 veleiros, alertou os participantes do evento para a chegada, dia 18, de uma forte frente fria no Canal de São Sebastião. No litoral do Nordeste a previsão é de chuvas entre em Alagoas e Sergipe. Portanto, quem pretender se fazer ao mar é bom se preparar e ficar de olho no tempo.  

Tufão Rammasun / Natureza em fúria

Tufão ergueu e jogou barco em área da Baía de Baseco. (Foto: Romeo Ranoco / Reuters) Na semana passada noticiamos aqui a violenta passagem do tufão Neoguri sobre o Japão causando destruição, mortes e assustando o mundo com cenas fortes do desespero da população e dos escombros espalhados por todos os cantos. O Neoguri deixou seu nome cravado na história japonesa e agora mais um tufão assusta o mundo asiático com ventos de mais de 250 quilômetros por hora e dessa vez o cenário é a República das Filipinas, um vasto arquipélago do Sudeste Asiático, região também conhecida por Insulíndia. O tufão que castiga as Filipinas foi batizado de Rammasun, que em tailandês quer dizer Deus no Trono, e já causou a morte de 13 pessoas, deixando milhares de desabrigados e novamente paisagens assustadoras de devastação. Vilarejos pesqueiros localizados no leste filipino foram devastados e barcos foram jogados em terra pela força do tufão, como mostra a foto de Romeu Ranoco/Reuters. O tufão Rammasun chegou enquanto o país ainda se recuperava dos estragos causados pelo tufão Haiyan, que em novembro de 2013 causou a morte de mais de 6 mil pessoas, milhares de desaparecidos e mais de 29 mil feridos. A temporada de tufões nas Filipinas começa em Junho e termina em novembro. Geralmente de 15 a 20 tufões atingem anualmente o país. Fonte: G1 

Regata do descobrimento 2000. Diário de bordo do navegador – III

image

Chegamos ao terceiro e último capítulo da história contada pelo velejador baiano Sérgio Netto (Pinauna) sobre a Regata do Descobrimento, acontecida no ano 2000 em comemoração ao descobrimento do Brasil. Sérgio Pinauna participou como navegador a bordo do veleiro Arribasaia. A Regata do Descobrimento teve a participação de vários veleiros brasileiros. Mais uma vez agradeço ao amigo Pinauna por dividir com os leitores do Diário do Avoante suas aventuras náuticas. Para quem não acompanhou os capítulos anteriores, basta clicar nos link, Capítulo I e Capítulo II.

REGATA DO DESCOBRIMENTO 2000. DIÁRIO DE BORDO DO NAVEGADOR – III

Sérgio Netto

1º de abril. Pasei um dia de cão, com forte gripe, dor no corpo, dor de cabeça, lezeira. Pela manhã subimos o balão já consertado, e à tarde o vento rondou de NE para N e tivemos que dar jaibe. Ai deu confusão e descemos o balão. Não dei meu turno, Felipe e Nobbi administraram. Hoje é aniversário de casamento de Nobbi, e Rose resolveu abrir um vinho. Daí que passou a noite mal, enjoada. O Bahia cruzou o equador hoje, e prevê chegada em Salvador 6 a 8 de abril.

image

Em Mindelo, 1. o Comandante e seus agregados; 2.cais de desembarque. 3. No doldrum, todas as gaiutas do Beneteau 41 abertas. 4. Costurando a esteira do balão no dia 31/3/00.

2 abril. Às 09:30 GMT trip 629 mi, Vmedia 5,16 Ψ=6°53’N λ=27°24”W, Rumo V193, vel.5kn, vento NNE 10-15 nos, P=1016mb T=27,5°C UR=79%. Esta segunda travessia está mostrando que o discurso previsivo da primeira é simplório. Provavelmente cada travessia é única e o que pode ser generalizado é pouca coisa. Liana tem razão de novo: este tipo de viagem é para exercitar a humildade. Durante o dia descansei e melhorei da gripe. Ao por do sol fumei o primeiro cigarro do dia. As partidas de gamão estão SN8x4FC. O balão desceu ao por do sol, e Rose vomitou na operação. Já é o quinto dia seguido de balão o dia todo, com todas as gaiutas abertas. Às 20 GMT Ψ=5°53’N λ=27°38”W, vento NNE 10-15 nos, P=1014T=29°C UR=74%, vento NNE 12 nós.

3 abril. Já estou bem melhor da gripe e acordei cedo, 6h, para subir o balão. Andamos bem nas ultimas 24 horas, 140 milhas. Às 09:00 GMT T=27,5°C P=1015îmb UR=77%, céu com cumulus, Ψ=4°41’N λ=27°55”W , trip odometro 766 mi rumo V193 vel. 7 nós, vento NE 10-15 kn. Acabou o primeiro bujão de gás desde Mindelo. Às 13:44 GMT, meio dia hora verdadeira local, o sol rondou pelo sul e passou no meridiano local @ 92°. Passou de SE para NW, muito rápido em menos de 30 segundos. O sol hoje passou sua declinação pela nossa latitude. Tomei banho na popa com água salgada, enxaguei com água doce, e aparei a barba. Às 17 hvl apareceu um trem de ondas secundário de ENE, interagindo com o trem principal de NNE.T=31°C P=1013x UR 72% Ψ=3°41’N λ=28°08”W, Vento NE 10 kn.. Continuar lendo